Posts tagged ‘UEPG’

21/06/2012

Nem mais, nem menos: suficiente

Música que abriu festival de 2012 não transmitiu emoção que o público esperava e ficou fora da etapa nacional

Foto: Lente Quente/Giovana Paganini

 

Às 20h e 20 minutos, na noite da quarta-feira, 20/06, o auditório principal do Cine Teatro Ópera silenciava-se à espera da música que inauguraria o 25º Festival Universitário da Canção (FUC). No palco, o trio comandado por Gilson Rocha tinha em mãos a responsabilidade de abrir o evento e levar ao público, que saira de casa em um dia frio, chuvoso e preenchia boa parte dos lugares, a emoção que todos esperam do festival.

Sem acompanhamento da banda do evento e com um arranjo simples de vozes e violão, o trio fez o básico para garantir os aplausos da plateia ao final da apresentação. Nada de mais. A música ‘Olhares’ pouco prendeu a atenção do público, talvez pela postura dos integrantes no palco. Tímidos e nervosos, características de músicos jovens, que não fazem parte do ‘circuito de festivais’ e não tem a malícia que só o tempo traz, não conseguiram transmitir a emoção presente na letra.

Os 13 versos entoados em três minutos de música tem uma história interessante: foram compostos por Gilson Rocha, Estefane Bonin e Bárbara Mainardes, durante um trabalho para a disciplina de Teoria e Percepção, na grade do segundo ano de Licenciatura em Música pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Como o resultado em classe fora satisfatório, o gurpo trouxe a composição para o FUC.

Ainda no que diz respeito a letra, os versos “Dentre mil olhares só o seu/ Não quero que fales que sou teu/ Basta olhar pra mim”, assim como toda a música, seguiram a linha romântica do dia, também notada nas canções ‘Por onde for’ e ‘Deusa da beleza’.

Um arranjo melhor elaborado, utilizando uma base instrumental mais rica seria interessante, pois ajudaria os músicos a não ficarem tão expostos no que diz respeito à afinação. Após o show “Mistura Boa”, com a participação de Álvaro Bueno e grupo Sua Voz, no término da primeira noite, foram anunciados os vencedores, e o trio, ficou de fora da disputa na etapa nacional do evento e sequer entrou na lista do Júri Popular.

Edgar Ribas

Serviço:

Canção: Olhares

Música: Estefane Bonin e Bárbara de Sá Mainardes

Letra: Gilson Rocha

Duração: 3:00 (min)

08/06/2012

Mais que uma partida de futebol

Jogos Jurídicos Estaduais e Engenharíadas unem esporte, música, diversão e preocupação social

O feriado de Corpus Christi leva cerca de 400 acadêmicos a representar a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) nos Jogos Jurídicos Estaduais em Guarapuava e nas Engenharíadas, em Umuarama. Os jogos, tradicionais no circuito universitário, buscam além da prática esportiva, integrar os participantes com festas e diversão. Na programação, muito semelhante em ambos, os shows de Marcelo D2, Art Popular e Bonde do Tigrão.

No entanto, o interesse por esses jogos não se reflete nas competições oficiais organizadas pela Federação Paranaense de Desportos Universitários, como as Olimpíadas Universitárias e os Jogos Universitários Paranaenses (JUP’s). O que não dá pra admitir para o porte e potencial da universidade é levar cerca de 10 atletas para representar a instituição, como aconteceu no ano passado.

Como o número de participantes deve ficar próximo aos dez mil, os segmentos mais beneficiados serão o hoteleiro, gastronômico e o de transportes. O aumento nos preços da alimentação e bebidas é evidente e comum nas praças que recebem as atividades. Os jogos contam com mais de 15 modalidades, que vão desde o futebol e handball até o xadrez. Ponto positivo para a preocupação com a responsabilidade social, que não é deixada de lado pela organização dos eventos. A doação de um quilo de alimento por noite é obrigatória, e estima-se que serão arrecadadas 20 toneladas que beneficiarão entidades de Guarapuava e Umuarama. Além da UEPG, a atlética da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) representa a cidade nos jogos.

Edgar Ribas

Fotos: Divulgação

Serviço:

Jogos Jurídicos Estaduais – de 7 a 10 de Junho – Guarapuava

Engenharíadas – 7 a 10 de Junho – Umuarama

Outras informações: http://www.jogosjuridicos.com/ e http://www.engenhariadaspr.com.br/

30/03/2012

Favor manter o ambiente habitável (pelos cães!)

Imagem

Palco de lutas e reivindicações, a Praça Santos Andrade, hoje, está mais pra canil do que pra lugar histórico

As recentes manifestações na UEPG não mudaram a atual imagem da Praça Santos Andrade. Situada em frente ao prédio central da Universidade, o local se tornou um canil mal cuidado. Outrora palco de lutas e reivindicações estudantis e ainda usada como cartão postal, a Praça hoje tem um aspecto que espanta até as manifestações, que migraram para o pátio interno da UEPG.

Imagem

Foto: Matheus Lara

O dia amanhece e a Praça atinge seu maior contingente de pessoas, todos estudantes, socializando ao ar livre. À tarde, a representatividade humana se restringe a casais que trocam carícias nos bancos. Ao cair da noite, a Praça escurece e, sem segurança, acaba ficando deserta.

Os cães de rua são os freqüentadores mais assíduos da Praça. Sempre estão lá em grupos, com chuva ou sol, descansando. Os alunos parecem não se incomodar com eles. E os cães também não dão a mínima aos estudantes. No período da tarde, os canídeos são maioria.

A grama vira mato em pouco tempo e a quantidade de lixo jogado nas calçadas assusta. Os cães procuram os lugares limpos. Quem passa ao lado das lixeiras, nota o cheiro forte. Os dejetos parecem ficar lá por muito tempo até serem retirados. Os cães merece(ria)m um lugar mais bem cuidado!

Já que a movimentação urbana impede os estudos no local, o que resta para a Praça são cães, mato e lonas pretas transpassadas pelas colunas do prédio da UEPG em tempos de manifestações. Ao que tudo indica, a Praça continuará sendo o ponto de referência para coberturas jornalísticas e cartões postais, isso até o momento em que se considerar errado não cuidar de um espaço público. Aí, talvez, poderá ser esquecida de vez!

Matheus Lara

Serviço:

Praça Santos Andrade, Nº 1 – Centro

Avenida Bonifacio Vilela, em frente ao campus central da (UEPG)