Posts tagged ‘Rafaella Feola’

22/11/2013

Dê um destaque ao seu empreendimento

entre-linhas12

Jornal local possibilita anunciar o comércio dos bairros da Nova Rússia, Uvaranas, Santa Paula e centro

    O jornal Destaque do Comércio é distribuído quinzenalmente e tem como proposta divulgar e promover o comércio de Ponta Grossa. O veículo possui seis editorias (Destaque, Construção e Decoração, Acontece, Informativo, Variedades e Promoções), que são distribuídas em oito páginas coloridas.

        Todas as páginas possuem diagramação simples e veiculam propagandas. As editorias são apenas formas de distribuir a publicidade por aspectos semelhantes, o que facilita a procura do leitor. A primeira editoria, “Destaque”, abre oportunidade para qualquer tipo de anúncio. “Construção e decoração” contêm propagandas de construtoras e lojas de móveis planejados. “Acontece” e “Informativo” são as únicas páginas com conteúdo de caráter noticioso, “Acontece” tem teor cultural e a outra traz informações sobre assuntos gerais e publicidade de eventos.

1459199_215496051962886_989930216_n

Foto: divulgação

      Na página de ‘Variedades’ o leitor encontra horóscopo, jogos (caça palavras) e notícias sobre a cidade. Um aspecto negativo no jornal é o fato de você encontrar um anúncio do veículo entre suas páginas. Isso dá a impressão de que há uma falta de conteúdo para preencher a publicação. Outro fato incomum é que nenhuma matéria do jornal é assinada, e não há expediente (para indicação autoral).

         O periódico, que é carregado de publicidade e carece de informação, possui três pontos fixos de distribuição gratuita: a lotérica Coradassi, localizada na Av. Dom Pedro II – Nova Rússia, a lotérica Princesa dos Campos II, localizada na Praça Barão de Guaraúna – Centro, e no Supermercado OBA, localizado na Av. General Carlos Cavalcante – no bairro de Uvaranas.

Rafaella Feola

Serviço: Jornal Destaque do Comércio

Distribuição gratuita. Periodicidade: quinzenal

Tiragem: 50 mil exemplares

Telefone: (42) 3086 5115. Email: destaquedocomerciopg@gmail.com

Página no facebook: https://www.facebook.com/JornalDestaqueDoComercio

09/11/2013

Aventuras possíveis, entendimentos complicados

Imagem

Com três personagens e três histórias distintas a apresentação de bonecos deixou o público confuso no Fenata 2013

O grupo de teatro Auto-Peças é da capital paranaense e se apresentou na categoria de mostras não competitivas. Com 40 minutos de duração, a peça “Aventuras Possíveis” foi assistida por alunos dos colégios Estaduais Profº Becker e Silva, José Elias da Rocha e o particular, Tales de Mileto, que na escuridão, minutos antes da peça, se mostraram ansiosos.
A peça é encenada por bonecos feitos de pano. Três atores dão vida aos fantoches com maestria, realizando todos os tipos de movimentos, desde os mais comuns até os mais difíceis e delicados, executando passos de dança.  Toda a apresentação é narrada, mas em paralelo há o diálogo entre os personagens e também trilha sonora, que juntamente com a iluminação dá ênfase aos sentimentos demonstrados nas cenas.

Imagem

Foto: João Henrique Souza

Em síntese, o espetáculo trazia à tona o devaneio e a fantasia, questões que ressaltavam a dualidade entre sonho e realidade. Composta por três protagonistas, a peça deixa o espectador confuso, pois não há conexão entre esses personagens. Com somente o uso central do palco e um palanque, a troca de histórias foi rápida e brusca, gerando dúvidas para quem assistia.
Mesmo sem o total entendimento a respeito dos personagens, a plateia interagiu com a apresentação. A peça continha momentos de drama e comédia, nesta os espectadores riram e acompanharam as músicas com palmas. A peça se encerra com uma música do cantor Raul Seixas – “Você ainda pode sonhar”, e ao final da apresentação os atores agradeceram o público e deixaram um recado: “Bons sonhos!”.

Rafaella Feola

Serviço:

Peça: Aventuras Possíveis

Classificação: 12 anos

Duração: 40 min

Grupo: Auto-Peças – Curitiba PR
Etiquetas: ,
16/08/2013

Quando a invenção desapareceu…

entre-linhas12

Após nove edições, revista cultural de Curitiba, que apresentava inovações, interrompe produção

     Inventa é uma revista cultural da capital paranaense, uma publicação de caráter informativo com circulação gratuita, editada pelo grupo IEME comunicação. Criada em março de 2009, a revista tinha tiragem de 5.000 exemplares. E oito das nove edições estão disponíveis online.

     Todas as capas do periódico são distintas, valorizadas por ilustrações, outras com montagens, todas coloridas e divertidas. O que mostra a criatividade e versatilidade da revista. E, por ser um projeto cultural, os assuntos abordados são muitos, mas design, fotografia, arquitetura e cinema se sobressaem. Assuntos também encontrados são moda, teatro, música e, até mesmo, gastronomia.

     A revista não é destinada somente ao público jovem, mas nota-se pelo layout e escolha dos assuntos que o público leitor é “antenado”. Como toda revista, ela contém publicidade que, de início não era exagerada, cresceu ao decorrer das edições.

revista-inventa-edicoes0-1-2-3-e-4

   Foto: Divulgação

     Além da existência da revista existe um blog com pequenas matérias informais, e com uma estrutura que foge do padrão jornalístico, muitas vezes colocando o lead ao final do texto. No entanto, o blog é divertido, de leitura fácil, rápida e agradável.

     A revista saiu de circulação em 2011 e não se sabe o motivo, mas estagnou após a nona edição. No editorial da última edição, aparentemente, a publicação parecia bem, falava sobre novas parcerias e até mesmo aumento de tiragem. No entanto, o resultado foi outro, com a produção suspensa. Embora não haja mais a revista em si, o blog ainda é atualizado, dando um “gostinho” do que era a Inventa.

 Rafaella Feola

Serviço:

Site: http://revistainventa.tumblr.com/

Revista online: http://issuu.com/revistainventa

09/08/2013

Versatilidade e simplicidade do papel

em-cena

Forças invisíveis dobram, ameaçam e transformam folhas de jornal em personagens de Shakespare

     Contemplada pelo Prêmio Funarte de Teatro Muryam Muniz 2012, a peça “Paper Macbeth” foi apresentada no Cine Teatro ópera, em Ponta Grossa, no dia 1 de agosto, em um roteiro que envolveu oito apresentações em cidades do Paraná e Santa Catarina.

     Baseada na tragédia escrita por William Shakespare, a peça apresenta uma inusitada adaptação. O nome do espetáculo revela a surpresa da trama, em “Paper Macbeth” os personagens são feitos em papel, especificamente jornal. A versatilidade do papel possibilita a movimentação dos personagens e também alguns sons, que se traduzem em efeitos sonoros.

     O teatro animação registrou um público com mais de 200 pessoas, incluindo crianças, jovens e adultos. A plateia também contou com a participação de alguns estudantes do Colégio Estadual Regente Feijó.

Foto: Digulgação

Foto: Digulgação

     A peça, apresentada pela Fazendo Fita Companhia de Teatro, foi montada de forma inovadora, transformando o papel com simplicidade e criatividade, criando personagens não convencionais que não deixam a desejar. Todas as cenas são trabalhadas com jogos de luz, dando ênfase aos personagens. Algo surpreendente é que na cena final do espetáculo os pequenos bonecos de papel “crescem”. No último ato são usados bonecos de papel, porém maiores, em tamanho real, dando mais emoção à cena.

     Cabe lembrar que, além da peça, a Fazendo Fita Companhia de Teatro oferece uma oficina gratuita e aberta a toda população, que fala sobre a linguagem do espetáculo e os bonecos de papel. Ainda ao da final da apresentação, os atores ficam a disposição da plateia para conversas informais e também mostrar os bonecos, garantindo uma aproximação maior com o público.

Rafaella Feola

Serviço: Peça exibida dia 01/08 no Cine Teatro Ópera

22/06/2013

Baiá pode fazer sucesso em outras regiões

cabec3a7alho-fuc1

Músico paranaense investe em ritmo quente, mas não consegue aquecer o público do FUC 

             Apesar de ter experiência com música, participação em diversos projetos culturais e também possuir trabalhos autorais, a performance de Josemar Artigas não foi suficiente para chegar à final do 26º FUC. O músico, vindo da capital do Paraná, Curitiba, se apresentou com canção de sua autoria, Baiá.

            A música com influência do tambor de crioula e do maracatu, com apenas voz, violão e percussão, apresentou uma melodia ritmada, e inclusive alguns artifícios para cativar o público. No entanto, a composição, que remete a uma marca da cultura maranhense, tornou-se monótona. O som dos instrumentos clamava animação, estado de espírito que o cantor pareceu não expressar.

feola

Foto: Lente Quente/ José Tramontim

           Apesar do ritmo regional, dançante e agitado que instigou o público, a voz do interprete parecia não acompanhar a melodia. No início dos versos a canção era pouco ouvida, e ao final das frases, a voz se exaltava, tornando alguns trechos da música indecifráveis.

            Contribuindo para a não compreensão da letra, era perceptível que a percussão estava muito alta. Entretanto, a voz do cantor era suave, e em alguns momentos lembrava o timbre do cantor Milton Nascimento.

        O músico possui um blog onde divulga seus trabalhos e também disponibiliza o download de músicas e partituras, incluindo Baiá. Porém, nota-se diferença em versões. Letra e melodia permanecem as mesmas, porém a versão gravada em estúdio se diferencia da apresentação ao vivo, pela entonação de voz. Na música Baiá letra e melodia eram harmoniosas, o que de fato prejudicou a apresentação foram as idas e vindas, e altos e baixos, exibidos na voz do músico na interpretação ao FUC.

Rafaella Feola

Serviço:

Canção: Baía

Compositor: Josemar Artigas Santos

Interprete: Josemar Artigas

Blog: http://josemarartigas.blogspot.com.br/

Etiquetas: , ,
24/05/2013

“Quem quer churros?”, pergunta a moça

pratosComida de origem ibérica também faz sucesso nas feiras livres de Ponta Grossa

     Há sete anos Silvana Franco trabalha com carrinho de churros. É  um alimento de sucesso popular, vendido em carrocinhas, geralmente em  eventos de rua. Nas terças, quartas e sábados pode-se encontrar o carrinho de churros da Silvana na feira livre, tornando seu produto conhecido como o famoso ‘churros da feira’.

     De origem ibérica, o churros é uma massa feita com farinha de trigo e água, possui  formato cilíndrico, e a massa depois de ponta é frita. Depois de frito, o churros pode receber uma camada de açúcar, ou canela.  Originalmente, o alimento não recebe recheio, mas no Brasil é servido com recheio de doce de leite ou chocolate, o que torna o alimento mais atrativo e apetitoso.

     A massa é preparada anteriormente, no carrinho o churros é  apenas frito e recheado,  facilitando a venda. Após frito,  recebe a camada de açúcar e você escolhe o recheio, tornando  o alimento crocante. Com duas opções de recheio, e cinco opções de acompanhamento (granulado, granulado colorido, amendoim, coco ralado, e castanha),  o carrinho de churros sempre está envolto de clientes.

rafaoDivulgação

     O churros de doce de leite é o mais tradicional, e o mais doce. No entanto, o acompanhamento de amendoim ameniza o sabor, não o deixando  enjoativo. O de chocolate é menos adocicado e o acompanhamento de granulado lembra o gosto de brigadeiro. Ambos têm bastante recheio, massa leve e macia, amenizando o doce dos acompanhamentos.

     O carrinho da Silvana também faz crepe no palito, doces e salgados, com sabores de queijo, presunto, queijo e presunto, goiabada, chocolate branco, chocolate preto e romeu e julieta (queijo e goiabada).

Rafaella Feola

 Serviço:

Churros da Feira

Churros: R$ 2,50. Crepe: R$ 3,00

Terça: Feira  Livre do Jardim Carvalho (Av. Monteiro Lobato) – 14 as 19

Quarta: Feira Livre do Centro (Rua Benjamin Constant)- 14 as 19 h

Sábado: Feira Livre do Centro (Rua Benjamin Constant) – 6 as 13 h

10/05/2013

Esporte de maneira informal

na-tela

Programa Esporte Emoção, apresentado pela TV Educativa, mostra cenário esportivo ponta-grossense

     Apresentado por Cândido Neto e Juca Francisquini, o programa Esporte Emoção é exibido pela TVEPG. De forma descontraída, os apresentadores mostram o cenário esportivo da cidade, fazem comentários pessoais, expressam opiniões e mandam saudações aos amigos, transferindo ao programa uma imagem informal. Com aproximadamente 75 minutos, Esporte e Emoção vai ao ar nas segundas-feiras, a partir das 22h, e entretêm os amantes do esporte.

    No programa, são exibidos eventos locais poucos divulgados na cidade. O conteúdo varia entre diferentes esportes, como MMA, hipismo, vôlei, basquete. Contudo, há mais de dois anos o Operário Ferroviário Esporte Clube e o Keima Futsal são os assuntos mais comentados.

    Apesar de mostrar o cenário esportivo ponta-grossense em um ângulo geral, é preciso ressaltar que a publicidade atrapalha o programa, pois, após cada reportagem, há o anúncio de patrocinadores e isso se repete a cada intervalo comercial.

Esporte Emoção - logo sf cópiaFoto: Divulgação

      Um ponto a favor é que, mesmo com interrupções para propaganda, os patrocinadores oferecem produtos e brindes para o sorteio realizado no final do programa. Através de mensagens de texto, o Esporte Emoção abre espaço para comentários e perguntas dos telespectadores, além de participação no sorteio de brindes.

     Embora haja publicidade, o programa oferece informações aos espectadores e incentiva o esporte local. Desde quando Esporte Emoção surgiu, contudo, não possui novidades. A programação continua praticamente igual, mas ainda é útil para quem se interessa pelo assunto e tem curiosidade  de saber “em que pé” está o esporte ponta-grossense.

Rafaella Feola

Serviço:

Programa Esporte EmoçãoExibição: Segunda  às 22h – canal 58 (na tv aberta) – TV Cultura

Apresentação: Candido Neto e Juca Francisquini

Emissora: TV Educativa de Ponta Grossa

12/04/2013

Um surto no automático

vitrola21Banda de garagem busca fortalecer produção de rock alternativo na cidade

 Instrumentos em sintonia, guitarras vibrantes, bateria frenética e baixo ritmado faziam os presentes pular e cantar ao som do indie rock. Ao trazer clássicos de bandas como Pixies, Interpol, e The Strokes, a banda Surtomáticos se apresentou no sábado, 06/04/2013, no Imperial Lounge Bar, região central de PG.

Em uma garagem da vila Santa Terezinha, em meados de 2008, nasceu a banda Surtomáticos. Juliano Breus na bateria, Doug Gess no baixo e Lennon Morais na guitarra e no vocal.  A banda, ainda em 2008 e 2009, teve duas apresentações e depois estagnou, por falta de comunicação entre os integrantes.

Nas tentativas de volta, três pessoas alternaram a guitarra solo, mas em 2013 Rafael Antoneli assumiu o posto, e também o novo instrumento da banda, o teclado. Na atual formação Glauco Manoel se responsabilizada pelo baixo, Eduardo Costa toma conta das baquetas, Willian Chuartz faz guitarra base e Lennon se dedica apenas ao vocal.

Divulgação

Divulgação

Durante o show na noite de seis de abril, o local estava ocupado com a presença de pessoas que acompanhavam a banda em anos anteriores. Quem estava lá, conhecia e acompanhava com euforia as músicas tocadas.

Apesar do som harmonioso, o vocal estava baixo, talvez microfone desregulado, o que causava o não entendimento das letras, sobrepondo o som dos instrumentos à voz. Ainda sobre o vocal, que em algumas das músicas, leu as letras em papel, transferindo a banda uma imagem amadora, o que também dificultou a interação com o público.

Surtomáticos está em fase de crescimento, produzindo músicas próprias e com ensaios frequentes, com novas apresentações na agenda a banda promete agitar o cenário alternativo na cidade.

                                                                                                          Rafaella Feola

 Serviço:

Passando do Limite – 27/04/2013.
Horário: 16 h
Local: DCE
Open Bar de Física

1º Lote: R$ 15, 00; 2º Lote: R$ 20, 00; Na hora: R$ 25,00

Contato Surtomáticos:
Rafael Antonelli: (42) 9947 0967

Lennon Morais: (42) 9945 7886