Posts tagged ‘Mariana Okita’

22/11/2013

Uma fuga impensável e perigosa

projetor322

Mais um filme relacionado a prisões, que aposta em atores famosos, mas não os melhores do cinema

      Depois de avaliar outras prisões de segurança máxima, o ator principal, Sylvester Stallone, como Ray Breslin, desenvolve um modelo estruturalmente à prova de fugas. Breslin é preso e enviado a prisão que ele mesmo havia criado. No presídio, ele busca achar uma escapada, impensável até então. Do diretor Mikael Hafstrom, o filme buscou a construção de um roteiro simples, mas baseado na diversão e ação.

        Filmes sobre prisões fazem parte do catálogo de filmes clichês, mas ainda conquista a atenção do público. Dessa vez, primeiramente por ter como protagonista dois atores renomados do cinema (Stallone e Arnold Schwarzenegger), que atuam no terceiro filme juntos, após Mercenários e Mercenários 2. A segunda pelo olhar curioso de fugas em presídios, uma ação muito difícil na vida real. Em terceiro, é inevitável, como em outros filmes tecnológicos, o público se interessar ao ver cenas com grandes planejamentos estruturais, que dificilmente são atendidos nas prisões convencionais.

Escape

Foto: divulgação

        Apesar das cenas que prendem atenção do começo ao fim, o longa metragem traz algumas cenas duvidosas. Stallone torna-se, em todos os momentos, um gênio de várias áreas sendo que antes era apena promotor de justiça. O diretor também propôs a esse personagem, praticamente um invencível “X-men”, pois mesmo apanhando fortemente fica intacto. E apesar de ser “aliviante” assisti-lo fora da máscara de Rocky Balboa, está marcado claramente nas cenas a distância da eficácia atuante que possuía em filmes clássicos. Assim como o próprio filme.

Mariana Okita

Serviço:

Filme: Rota de Fuga. Diretor: Mikael Hafstrom. Duração: 1h56. Gênero: Ação

Em cartaz no cine do Shopping Total. Sala: 1

Horário: 14:10 – 16:30 – 18:50 – 21:10

Legendado – Normal

04/10/2013

Garagem… não estacione aqui!

outros-giros21

Shopping Palladium é opção de lazer de muitos ponta-grossensses, mas precisa de mudanças

       Inaugurado em 1° de maio de 2003, no bairro Olarias de Ponta Grossa, o Shopping Palladium é considerado como um dos locais de lazer da cidade. Com 200 lojas, 21 quiosques, 18 estabelecimentos de alimentação e 4 salas de cinema, o shopping alcança o movimento, segundo a assessoria, de cerca de 650.000 pessoas por mês.

       Em toda estrutura do centro comercial, é possível notar a expansão das instalações, ocorrida em 2011, com o crescimento do espaço, variedade de lojas, entre outras mudanças. Entretanto, há falhas. A principal é o preço elevado do estacionamento, que mesmo havendo uma tabela fixa de valores, na maioria das vezes, o preço é único de R$ 4. Sobre o estacionamento, ainda, se pode destacar a (confusa) sinalização, que atrapalha a movimentação dos condutores. Sem contar as filas que formam para entrar no estacionamento nos finais de semana.

Foto: Kelvin Vieira

Foto: Kelvin Vieira

       A praça de alimentação oferece um diferencial de sabores, desde lanches a comida japonesa. A praça, entretanto, deve repensar a estética. As mesas e cadeiras estão abandonadas, antiquadas e não posicionadas adequadamente, já que ficam muito próximas uma das outras. A ocorrência de pessoas que deixam as bandejas de comida na mesa, sem recolhê-las, também dificulta a escolha de lugar de outros usuários que querem sentar e o trabalho das poucas atendentes de limpeza que ali trabalham.

        O shopping frequentemente é centro de exposições de artes em geral. Também não deixa de fornecer diferentes brinquedos e outras atividades, tornando-se um pólo da agenda cultural da cidade, inclusive como estratégia para aumentar a movimentação.

Mariana Okita

Serviço:
Localização: Rua Ermelino Leão, 703 – Olarias – Ponta Grossa – PR
Horário de funcionamento: lojas: Segunda a Sábado – 10h às 22h. Domingo – 14h às 20h
Alimentação: Segunda a Sábado – 10h às 22h. Domingo – 11h às 22
Contato: (42) 3224 3000 ou marketing@shoppingpalladium.com.br
Site: http://www.palladiumpontagrossa.com.br

13/09/2013

Criatividade e inovação versus parcialidade

selo flicampos

Revista da Prefeitura informa, entretanto propõe foco fechado nas realizações da atual gestão

         Com quatro artigos, dicas literárias, crônica, perfil e outras editorias, a revista pedagógica “Ponta Grossa – Construção de uma escola de qualidade voltada para infância” objetiva trazer os principais feitos da atual administração municipal da Cidade na educação, nos últimos meses e futuros ideais para melhoria do setor. Com 47 páginas, a leitura fica pesada e não apenas cumpre o papel de informar o pronta-grossensse, mas apresentar uma propaganda do atual mandato.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

       Cada informação dada não deixa de ter um interesse público, já que informa em geral o que vem avançando e acontece nas principais escolas municipais como projetos educacionais da cidade. Mas, não cumpre totalmente esse papel quando a informação parece um “portal de transparência” de modo mais literário, repetitivo e prolongado. Dessa forma, em todas as páginas é possível notar a grande quantidade de texto corrido e alguns deslizes da diagramação. Ao mesmo tempo em que o impresso acerta na aposta em cores chamativas e desenhos criativos, erra quando padroniza o corpo do texto alinhado à margem esquerda em todos os casos e confunde a visão do leitor com a cor semelhante ao fundo da página, o que acaba poluindo a página.

        Entretanto, vale ressaltar que a revista é um avanço significativo da atual gestão da Prefeitura de PG, que também preocupa em tratar temas importantes como a formação de professores e dicas de literatura. Destaque também aos artigos que oferecem ao leitor dados e informação de especialistas sobre a área de educação.

Mariana Okita

 Serviço

Número de páginas: 47 páginas

Lançamento: 11 de setembro de 2013.

Preço: Distribuição Gratuita

Realização: Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, juntamente com a Secretaria Municipal de Educação.

Periodicidade: Não foi informado

16/08/2013

Apenas mais uma ficção

projetor322

Filme de monstros, que emergem do mar versus humanidade, retoma clichê antigo do cinema

     O longa metragem dirigido por Guillermo del Toro fala de criaturas monstruosas conhecidas como Kaiju que saem dos mares e iniciam uma guerra contínua com os seres humanos. Para destruí-los, os homens criam robôs gigantes de última geração, os Jaegers, controlados por dois pilotos por conexão neural. A história muda quando a humanidade perde poder e precisa optar por um velho robô aposentado comandado então por um ex piloto, Charlie, e Rinko, uma treinadora.

     O filme, que apesar de trazer imagens gráficas que atendem ao critério de técnica qualificada, não traz nada de novo. A proposta de renovar o ideal de uma versão melhor produzida, com ideias mais modernas, dos famosos filmes clichês com monstros gigantes destruindo cidades, como Godzilla, falha em mais uma ficção que não sai do mesmo (contexto). Outra ideia, que não foge do comum, é a paixão repentina e com um final feliz entre o ex-piloto e a treinadora, que “viveram felizes para sempre”, tornando-se os heróis da história. O mesmo se pode dizer da tentativa de mostrar a capacidade cooperação entre as nações para vencer a guerra.

filmeFoto: Divulgação

     A proposta de trazer criaturas cuspidoras de ácido, que se parecem animais comuns como tartarugas, dinossauros ou tubarões, faz das cenas de ataque o principal clímax da história, mas cria uma imagem longe do real. Entretanto, o longa é executado de forma inteligente. Mesmo feito para aqueles que gostam de viajar na ficção, o filme atende o critério de uma ação empolgante, perceptível em todas as cenas.

Mariana Okita

Serviço:

Filme: Círculo de Fogo

Duração: 2h 10min

Censura: 14 anos

Exibição em Ponta Grossa:

-Shopping Total: http://www.cinemaslumiere.com.br/programacao/Shopping+Total/8

-Shopping Palladium: www.cinearaujo.com.br/salas.asp?cin_id=34

20/06/2013

Na essência, musicalmente falando

Imagem

Sexta canção apresentada no FUC reflete sobre o sentido da existência humana

        “Dedicada aos amigos”, como disse o violeiro no início da apresentação, a canção Essência foi a sexta música interpretada na etapa regional da primeira noite do FUC. Sob um ritmo harmonioso, cincos integrantes mostraram afinação no teclado, violino, violão e duas vozes femininas, que juntas igualaram-se ao som de um tom equilibrado e condizente com o estilo musical “relaxante”. O ritmo foi mantido do inicio ao fim, sem mudanças significativas.

        Apesar da interpretação atender ao desafio de qualidade instrumental e vocal, alguns apontamentos técnicos devem ser citados. Um dos principais e, o primeiro a se destacar, foi a entrada tardia da violinista, aparentemente proposital, ao palco. A estratégia da entrada, enquanto os demais já estavam cerca de 40 segundos executando a música, foi colocá-la para tocar somente na hora que inicia o refrão, o que confundiu um pouco a apresentação, já que acabou dispersando o foco de olhares para a violinista.

Imagem

Foto: Lente Quente/André Jonsson

        Os integrantes também não demonstraram interação com o publico como ferramenta. Até mesmo no início da apresentação, quando, no FUC, os cantores usam alguns segundos para explicar os motivos e as inspirações da canção, o grupo optou por não fazê-lo.

        Sobre a letra do compositor Sergio Luiz Waldmann Junior, os versos remetem ao sentimento da essência do viver a vida. Do descontentamento e solidão à persistência do valor do amor, a composição provoca o ouvinte a um pensamento, como a própria letra diz: “sozinha não, lutaremos pra viver”!. E, assim, a canção cumpre papel proposto de repensar a verdadeira essência do existir.

Mariana Okita

Serviço:

Canção: Essência

Letra: Sergio Luiz Waldmann Junior

Músicos: Sergio Luiz Waldmann Junior

24/05/2013

Informação turística, histórica ou catálogo?

entre-linhas12Site turístico da cidade cumpre o papel de informar, mas revela ausência de serviço

     O site www.visitepontagrossa.com.br é um dos principais espaços virtuais turísticos de Ponta Grossa. Formado e mantido por associados, empresas e pessoas que têm por objetivo atender o turismo ponta-grossensse como atividade econômica propõe um modo mais prático e acessível de manter o turista atualizado sobre o meio cultural e turístico da cidade.

     Entre os sete ícones disponíveis no site estão atrações, entretenimento, hotéis/gastronomia, localização, sugestão de roteiros e contato. Cada ícone cumpre um papel informativo de responder a uma pergunta: o que há na cidade? Entretanto, a informação apresentada não cumpre o papel de dizer como, onde e quanto. A informação é predominantemente histórica, assim como acontece no ícone ‘atrações’, em que cada ponto turístico citado, como Vila Velha, é descrito historicamente. O mesmo se repete no ícone ‘entretenimento’.

okitaDivulgação

     Outro ponto negativo do site é a falta de informações dos próximos eventos atrativos de Ponta Grossa. Quando se clica no ícone ‘eventos’ aparece a sugestão de acessar outro site da associação para ver o calendário, mas quando se visita esse site, o calendário de eventos encontra-se desatualizado e com apenas dois registros disponíveis para 2013, que acontecem somente em setembro e outubro.

     Contudo, o site é um atrativo visual e cumpre o papel em outros ícones, como o de ‘hotéis/gastronomia’, trazendo o nome de quatro hotéis, duas pousadas, um pensionato, cinco restaurantes, dois bares e uma panificadora. Todos estabelecimentos com endereço, número e em alguns o site e email para contato já ‘linkados’ para o visitante clicar e acessar diretamente.

Marina Okita

Serviço

www.visitepontagrossa.com.br

 

27/03/2013

Caseiro no espaço, caseiro no gosto

pratos

Hamburgueria apresenta uma inovação na carne e um ambiente criativo em PG

 À moda de uma lanchonete/bar alternativo, a Hamburgueria Gourmet possui um espaço com diferentes ambientes, desde mesas de madeira, sofás à mesas externas. Com um som ambiente no estilo rock e samba, a Hamburguería se torna um diferente espaço ao cliente escolher e se sentir a vontade. Nas paredes também não faltam imaginação, com quadros diversos à venda, papeis de paredes de histórias em quadrinhos, adesivos floridos, crochês e exposições fotográficas, o local se torna também um ambiente atrativo ao olhar durante a refeição.

PRATOS E DRINKS - DIVULGAÇÃO

Foto: Divulgação

Tais referências também se estendem à cozinha, que aposta em sanduíches com hambúrguer de preparo caseiro. Um exemplo é o lanche Onion & Cheddar (R$ 11,90), feito com pão preto, hambúrguer artesanal de 150g bovino, cheddar, cebola refogada em molho shoyu e molho de hamburgueria. O sabor do hamburguer é um dos mais atrativos do lanche. Com gosto de uma “verdadeira” carne, o hambúrguer com cerca de 3cm dispensa um segundo sanduíche durante o lanche. Outro gosto interessante é o molho de shoyu com o cheddar, espalhados uniformemente por todo o pão, que junto à cebola dão um gosto de molho especial. Para beber, a caipirinha geralmente é uma boa pedida, mas se mostrou um pouco ácida, faltando uma boa quantidade de açúcar. Apesar disso, a dose de vodka é suficiente para o tamanho do copo.

O atendimento da lanchonete é bem prestativo, entretanto a demora da entrega do pedido é longa, aproximadamente 35 minutos. As escolhas de pratos são muito variáveis. O Cardápio oferece hamburguers: Tradicionais, Clássicos, Especiais, Vegetarianos e Premium.

Mariana Okita

 

Serviço:

Hamburgueria Gourmet

Preço: De R$ 8,00 à R$ 14,90

Endereço:  Av. Bonifácio Vilela – 433. Ponta Grossa – PR

Atendimento:  De Terça-feira à Domingo. Cozinha aberta até 00h e o local de 00h30 á 1h

Telefone: 3229-2800

08/03/2013

Próxima parada: Terminal Central

Imagem

A Rádio VS do Terminal Central diariamente deixa de lado informação para repetir propagandas e músicas

“A Rádio do Terminal tem uma programação dinâmica com jornal local e nacional, curiosidades, utilidade pública, previsão do tempo, hora certa”. São essas características que defende o site da emissora VS. Quem fica no terminal aguardando ônibus escuta, entre as programações, um número considerável de propagandas e músicas. A rádio é voltada a uma homogeneidade de programação, não em entretenimento, mas voltada para autopromoção com um foco distante de algum tipo dedicação e/ou exclusividade de informação á população.

Há 50 anos emitindo sua programação, a Rádio VS do Terminal Central entra “ao ar” diariamente das 7h ás 22h. Na maioria da programação músicas são tocadas, um grande número destas são reproduzidas repetidamente e o restante do tempo é voltado às ofertas e promoções de lojas e empresas locais. E o que as torna menos atrativas são os ‘efeitos sonoros’ que na forma em que se apresentam, parecem ruídos de moto, carros de som, tornando-as praticamente incompreensíveis e de modo algum prendem a atenção do ouvinte.

Por estar localizada em um ambiente de muito barulho, a rádio opta por deixar o som elevado, muitas vezes tornando um incômodo já que compete com o som dos ônibus e pessoas. Apesar de se mostrar ainda um ícone pouco aproveitado pela empresa e, ainda, com necessidades de aprimorar a qualidade técnica e programação do sistema, a ideia de ter uma mídia alternativa ao consumo público, sem concorrência e com cerca de 200 mil ouvintes por dia, de acordo com a emissora, é um bom meio de comunicação que atinge a massa e principalmente as classes C, D e E.

A VS Rádio do Terminal surgiu na década de 1960 e, inicialmente, localizava-se na Praça Barão do Rio Branco, centro de Ponta grossa. A partir de 1984 a empresa VS propaganda administra a rádio no terminal, ficando ausente apenas entre 2006 e 2010.

                                                                                                                                   Mariana Okita

Serviço:

Rádio VS do Terminal Central (Ponta Grossa/PR)
Diariamente, das 7h às 22h

Etiquetas: ,