Posts tagged ‘Hellen Gerhards’

08/11/2013

Leonardo e Julieta fazem a festa

Clássico dramático da literatura universal vira comédia leve e descontraída em festival de teatro de PG

Clássico dramático da literatura universal vira comédia leve e descontraída em festival de teatro de PG

Entre gargalhadas e sorrisos, a história de Romeu e Julieta, que existe “há longi longi taime a gol”, foi apresentada de maneira diferente no Calçadão de Ponta Grossa, durante o Festival de Teatro, com a peça “Estardalhaço”. O enredo foi adaptado para a comédia, com links atuais, como as manifestações que ocorreram em junho no Brasil, o rato na Coca Cola, a vigilância dos Estados Unidos e músicas conhecidas (algumas do ritmo funk).

A adaptação trocou o personagem Romeu pelo ator Leonardo DiCaprio, que interpretou o personagem no filme Romeu + Julieta, lançado em 1996. A peça, inclusive, trás características da obra cinematográfica, como a fantasia de anjo usada por Julieta na cena do baile. O espetáculo também faz referências ao filme “Titanic” e ao clássico para crianças “Chapeuzinho Vermelho”.

Foto: Camila Gasparini

Foto: Camila Gasparini

As famílias rivais, Capuletos e Muntéquios, são colocados na peça como “Pensones” (família de Leonardo DiCaprio) e Corpones (família de Julieta). A apresentação aborda uma nova hipótese para as brigas entre as famílias do casal apaixonado. A causa do desentendimento seria um suco preparado pelo bisavô de Leonardo dado para a bisavó de Julieta. Mas por que um suco provocaria todo aquele ódio? Simples, era um “sucueca”, ou seja, um suco preparado com uma cueca dentro da jarra.

Os palhaços “Jubi” e “Greta”, que interpretaram os pombinhos, conseguiram arrancar gargalhadas do diversificado público que parou para apreciar o espetáculo. A apresentação é acompanhada pelos efeitos sonoros de “Cassildo”, apresentado por “Greta” como sendo o “cara dos efeitos especiais”.  A sonoplastia, feita por “Cassildo”, deu clima divertido para a peça.

Hellen Gerhards

 Serviço:

A peça foi apresentada por atores do Traço Cia de Teatro, de Florianópolis (SC), às 10h, no dia 07 de Novembro, no Calçadão de Ponta Grossa, centro da cidade. A apresentação faz parte do 41º FENATA.

Anúncios
Etiquetas: ,
25/10/2013

De flash em flash, um repertório de PG

outros-giros21

Em preto e branco ou colorido, fotografias chamam a atenção pela criatividade e técnica bem executada

          O Espaço Cultural da Câmara Municipal de Ponta Grossa existe há 11 anos. Oferecem-se para os artistas os suportes que são fixos no teto, a iluminação e a assessoria de imprensa. Os suportes estão desgastados, devido ao uso frequente. Eles são colocados bem perto uns dos outros, gerando dificuldade na circulação e na apreciação das obras, principalmente nos dias de lançamento. A exposição, em cartaz neste final de outubro/13, é de fotografias e chama-se “Olhar Princesino”, do jornalista graduado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, Marco Favero.

          A exibição contêm 15 fotografias, sendo que a maioria (10) impressa em preto e branco. As fotografias foram feitas nas ruas de Ponta Grossa. Uma das principais características das obras é a presença de pessoas viradas de costas para a câmera. Essa escolha coloca o indivíduo como um detalhe, e não como objeto central. Isso remete aos enquadramentos fotográficos, em que não é preciso centralizar tudo sempre para fazer uma boa foto.

IMG_1216

Foto: Hellen Gerhards

        A utilização do preto e branco em diversas fotografias cria um clima diferente em cada uma delas e um contraste forte com as coloridas. Ele fotografou também prédios e casas antigos, trazendo uma nova visão daquilo que há muito tempo está presente na cidade.

          A maior circulação de pessoas acontece durante as sessões da Câmara, em que o público observa as fotografias antes ou depois das sessões.  As imagens chamam a atenção dos que passam por ali, que normalmente param para observar por alguns minutos. A exposição está disponível até 31 de outubro de 2013. As fotografias podem ser vistas também no flickr do fotógrafo Marco Favero.

Hellen Gerhards

Serviço:

A Câmara Municipal de Ponta Grossa fica na Avenida Visconde de Taunay, nº 880 e o horário de funcionamento é de segunda à Sexta das 13:00h às 19:00h. A exposição fica na Câmara até 31 de outubro de 2013. O flickr de Marco Favero é:http://www.flickr.com/photos/marcofavero2

31/08/2013

O mar de monstros está logo ali

projetor322Deuses gregos, adolescentes e ação compõem a fórmula da nova aventura do semideus ‘queridinho’ da garotada

     A aparição de deuses gregos e semideuses no cinema não é novidade. Porém, o escritor e professor de História, Rick Riordan, resolveu criar uma adaptação moderna da mitologia grega ao escrever uma saga de cinco livros. O enredo das histórias vividas por Percy Jackson desenvolve como seria o mundo se os deuses fossem reais e se tivessem filhos. O filme Percy Jackson e o Mar de Monstros é o segundo da série e tem como desafio reparar a má impressão que “Percy Jackson e o Ladrão de Raios” causou.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

     Percy Jackson e o Mar de Monstros aborda as aventuras de Percy, Annabeth e Grover em busca do Velocino de Ouro. Há toda uma adequação na construção do roteiro. No segundo livro, o personagem principal, Percy, tem 13 anos, já no cinema, tem mais de 16. Há uma profecia descrita na obra literária que diz: um semideus filho dos três grandes (Zeus, Poseidon ou Hades) salvará ou destruirá o Olimpo aos 16 anos. Essa idade foi alterada para 20 anos no filme, devido justamente à escolha etária dos personagens do primeiro.

     Vale a pena ressaltar as mudanças que ocorreram desde a adaptação cinematográfica. A aparência da personagem Annabeth segue as características do livro, de cabelos louros e cacheados, diferentemente do primeiro, em que a personagem possuía cabelos escuros e lisos. Os efeitos especiais e qualidade do enredo também evoluíram. A troca de diretor foi a principal causa das transformações, assim como a insatisfação dos fãs dos livros que reprovaram o primeiro filme. As alterações agradaram o público, que esperou mais de dois anos pela continuação.

Hellen Gerhards

Serviço:

Diretor: Thor Freudenthal Elenco: Logan Lerman, Alexandra Daddario, Brandon T. Jackson Duração: 1h48min

Censura: 10 anos

Local, horários e preços: Multipex Palladium, de segunda à sexta nas sessões das 17h, 19h:50min e 21h:30min. Por R$20 a inteira e R$ a meia na matinê e noite das segundas e quartas-feiras. Por R$16 a inteira e R$ a meia na matinê e noite das terças e quintas-feiras. Por R$18 a inteira e R$ a meia na matinê das sextas, sábados e domingos. Por R$20 a inteira e R$10 a meia na noite das sextas, sábados e domingos.

09/08/2013

Não pertence mais só a realeza

moda-e-estilo1

Preços baixos e inovações incentivam o aumento do consumo de blusas e roupas com detalhes em renda

     Beges, verdes, brancas, pretas, amarelas, azuis… Não importa a cor: as camisas e blusas com detalhes em renda voltaram. Com estilos variados, seguindo do clássico ao moderno, as combinações ajustam-se aos mais diversos tipos de tecido. Os detalhes podem estar nas costas, no busto e até mesmo nas alças e mangas. O tabu de que cores fortes deviam ser usadas à noite e cores neutras durante o dia não existe mais. Sejam tons chamativos ou pastéis, as blusas podem ser usadas durante os dois períodos.

     A presença da renda remete ao romantismo, mas, ao mesmo tempo, consegue trazer um ar de sensualidade e mistério: mostra pedaços da pele, tornando a peça provocativa, porém os desenhos delicados sugerem um ar de inocência. As roupas com detalhes em renda permitem diversas combinações, de acordo com o gosto pessoal do usuário. Jeans contribuem para deixar o conjunto mais descontraído, enquanto uma saia preta favorece um visual elegante.

Foto: Hellen Gerhards

Foto: Hellen Gerhards

     A renda consegue se adequar a todos os tipos de situações, das mais elegantes às mais coloquiais, de uma festa de gala até para ir comprar pão na padaria. O avanço da renda na constituição de roupas torna-se mais visível quando se olha para a história: originalmente a renda era usada somente nas vestimentas da nobreza e era um tecido caro. Percebe-se o uso frequente de roupas com renda pelas celebridades, o que contribuiu para fazer com que a renda voltasse a ser usada pela população em geral. O preço passou de caríssimo para acessível a partir da propagação do tecido, contribuindo também para o aumento das vendas.

Hellen Gerhards

Serviço:

As blusas podem ser encontradas nas lojas da cidade e na internet a partir de R$19,00.

22/06/2013

Atenção, atenção, o circo chegou!

cabec3a7alho-fuc1

Grupo paulista interpreta canção que relembra a magia (e as saudades) do circo

            “Olhares atentos, porque hoje é dia de circo!” Assim encerra a primeira estrofe da música Ciranda do circo que foi interpretada pelos paulistas (da cidade de Limeira) do grupo Toque Percussivo. O sorriso no rosto dos integrantes não mentia: eles sentiam prazer em estar ali, trazendo para o público a beleza e a nostalgia do circo. A música descreve a alegria que o circo é capaz de fornecer, com palhaços, equilibristas e malabaristas. A lembrança, magia e o encanto do momento de ouro do circo encontram-se presente não somente na letra, mas também na face de quem representava a música.

Hellen

Foto: Lente Quente/ José Tramontim

            A canção retrata algumas das dificuldades de se viver e trabalhar em um circo, como diz o texto: “em noite de chuva o sorriso é forçado, Palhaços brincando, lá fora o trovão, Sonhando com um dia de circo de fama, No alto é a lona, no chão. No chão é a lama”. O trecho descreve a expectativa de trabalhar em algum circo de renome e não ficar somente em pequenos lugares. Em contraponto, o refrão descreve a satisfação de receber “aplausos e risos, olhares de espanto, pedindo mais um”.

A interpretação da banda chama a atenção pela integração e harmonia entre os participantes. Caracterizados como palhaços, o grupo trouxe ao palco uma atmosfera de circo e descontração, em que a música animada e ao mesmo tempo suave contagiava o público, que logo se concentrou na apresentação. Na abertura, um integrante do grupo declarou que gostaria de trazer a alegria do circo para o público, utilizando as vestimentas como uma forma de identificação cultural. Missão cumprida e objetivo alcançado!

Hellen Gerhards

Serviço:

Canção: Ciranda do Circo que foi

Letra: Marcos Lima

Música: Robson Barbosa

Músicos: Toque Percussivo

10/05/2013

Mal me toque, bem me toque

projetor322

Discussão de racismo e diferenças sociais marcam obra de sucesso no cinema francês

     Intocáveis é um filme francês de 2011, que estreou nos cinemas brasileiros em 2012. A obra é dirigida por Olivier Nakache e Éric Toledano, com a atuação de François Cluset e Omar Sy como protagonistas. A produção chegou a ser indicada ao prêmio francês César. Os temas abordados pela obra cinematográfica são pertinentes à análise social, como o conflito entre dois mundos diferentes: a elite francesa e a periferia.

     A trama gira em torno de Philippe, um homem rico, e Driss, um rapaz marginalizado que foi expulso de casa pela mãe. Driss começa a trabalhar para Philippe, que não pode andar. Além das diferenças financeiras, o preconceito também é discutido no filme. Philippe choca a sociedade ao contratar um homem negro e pobre para cuidar dele. Ocorre, então, um processo de aprendizado entre os dois, em que cada um experimenta realidades contraditórias.

Intocáveis

Foto: Divulgação

     As imagens possuem alta qualidade e o conteúdo de cunho social interessa quem está disposto a assistir um filme diferente dos tradicionais sucessos hollywoodianos. Apesar da temática de contrastes sociais e preconceitos raciais, o filme consegue apresentar bom humor e leveza, de maneira inteligente, sem cansar ou chatear quem o assiste. Valores pessoais como responsabilidade e amizade também são colocados na produção, que foi baseada em fatos reais. Driss aprende a ter compromissos e a encarar a vida de maneira diferente, já Philippe deixa de levar tudo tão a sério e passa a se sujeitar aos riscos das situações não planejadas. O filme é uma adaptação do livro, que foi lançado no ano de 2001.

Hellen Gerhards

Serviço:

O filme foi recém-lançado em DVD e encontra-se nas locadoras da cidade por um preço, em média, de R$3,00.

19/04/2013

Uma obra de arte que vive, anda e respira

Imagem

A função estética da tatuagem no século XXI, o corpo como uma tela de pintura

Uma das formas de expressões mais encontradas no mundo contemporâneo é a tatuagem. Ela é usada desde os primórdios da humanidade como forma de identificação e comunicação. Porém, existiu um período de obscuridade, cuja causa foi a moralidade imposta pela igreja, em que as “tatoos” foram deixadas de lado e consideradas “indecentes”.

Nesse período de marginalidade, apenas alguns grupos urbanos as utilizavam. Em diversas tribos indígenas a tatuagem possuía e ainda possui o caráter de indicar as fases da vida do individuo e a que “classe” ele pertence dentro deste grupo, por exemplo. Há outro aspecto presente nas tatuagens: as diferentes ideologias, como o uso delas durante o nazismo. Diversos regimes políticos fizeram adotaram as tatuagens, inclusive para marcar os prisioneiros.

Imagem

Foto: Hellen Gerhards

A tatuagem começou a sair do “esquecimento” por parte da população em geral quando os artistas e famosos passaram a exibi-la. A partir desse momento, a tatuagem ganhou um aspecto mais estético e menos ideológico e passou a ser usada para enriquecer a beleza do corpo. Aos poucos, o próprio corpo virou uma ‘obra’ de arte, em que os artistas são os tatuadores. A possibilidade de marcar o corpo com a tinta tornou-o também um mural, com mensagens de amor eterno, agradecimento e gostos pessoais, como retratos de familiares e namorados ou mesmo nomes de bandas e trechos de músicas.

Cores variadas, letras diferentes e traços precisos e definidos são algumas marcas da tatuagem do século XXI, que atrai cada vez mais adeptos interessados em passar mensagens e enfeitar o próprio corpo.

Hellen Gerhards

Serviço:

O valor das tatuagens varia de acordo com o tamanho e preço estabelecido pelo tatuador, em média custam de R$100,00 a R$ 1500,00.

27/03/2013

Abordagem regional em estilo nacional

na tela

Música é destaque no programa Conectados, da TVM, com artistas que são poucos divulgados em outras mídias

 O programa de TV Conectados, apresentado por Igor Rosa, objetiva entreter o público, com brincadeiras interativas e atrações musicais da região. A programação assemelha-se a quase todos os programas nacionais do estilo, com dançarinas ao fundo, games e atrações que visam mais o entretenimento do que a informação. O que existe é uma adaptação do nacional para o regional.

NA TELA - DIVULGAÇÃO

Foto: divulgação

As músicas apresentadas como fundo e abertura consistem no pop norte-americano. Entretanto, as apresentações musicais prendem-se ao sertanejo e suas variações. A abertura atrai, pois é uma música muito conhecida internacionalmente, porém o conteúdo de apresentações do programa deixa a desejar, com músicas sertanejas e suas variações. Mas, há um aspecto positivo nessas apresentações: os artistas locais.  O Conectados serve como forma de divulgação de vozes da região, o que outros espaços midiáticos raramente fazem.

Apesar do serviço que presta aos artistas, o programa possui problemas técnicos. Um dos principais problemas encontra-se nas músicas de fundo, que são colocadas em momentos errados e em volume exagerado, atrapalhando e interrompendo o apresentador e os convidados. Mas não se ignorar a adesão do público ao programa. Os telespectadores ligam para participar dos games e dizem coisas parecidas como: “O programa é incrível! Não tem como melhorar” ou “Não existe coisa melhor do que este programa!”. O apresentador, Igor Rosa, se mostra simpático e tenta prender a atenção do público com uma linguagem acessível e bom humor durante todo o programa.

Hellen Gerhards

Serviço:

TVM – Canal 14 – Exibido nas segundas-feiras às 20h. O programa está disponível também no site da emissora, que transmite os programas (www.redetvm.com.br)

Etiquetas: ,