Posts tagged ‘entre linhas’

31/08/2013

Muito e pouco ao mesmo tempo

    entre-linhas12

Jornal curitibano ‘Bem Estar’ não varia nos temas e abusa das propagandas e do excesso de cores

     O jornal Bem Estar, com 12 mil exemplares e distribuição gratuita, tem como slogan “o seu jornal de qualidade de vida”. No entanto, quando se trata de qualidade de assuntos e reportagens, deixa a desejar. A metade de praticamente todas as páginas apresenta publicidade de empresas ou propagandas de eventos e não trata de outros assuntos além de saúde.

     Algumas reportagens são assinadas por colunistas independentes que não estão no expediente. Os editores também assinam conteúdos, mas o jornal informa que as reportagens são de responsabilidade de quem as escreve e não necessariamente a opinião do veículo. Isso gera uma desconfiança do leitor que espera um posicionamento ou um editorial de acordo com as publicações.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

     A diagramação do jornal é pesada e feita por apenas uma pessoa, além de não chamar a atenção nem destacar o que é importante ou não na página. Os textos brigam por espaço. O excesso de cores nos cabeçalhos e nos títulos prejudica ainda mais a leitura. As fotos não são de produção própria da redação e nem realçam a produção dos repórteres.

     Além de utilizar propaganda de outras empresas, o jornal faz propaganda de si mesmo para mostrar a repercussão de seus anúncios. Em uma das páginas do jornal, um grande espaço é reservado para um pedido: caso algum leitor entre em contato com algum anunciante, identifique-se como leitor do “Bem Estar”. Isso acontece porque, segundo o jornal,“são os anunciantes que, indiretamente, pagam os custos para que o Bem Estar seja entregue gratuitamente”. Em PG o Bem Estar foi distribuído em alguns cursos do Campus Central.

Aline Czezacki Kravutschke

Serviço:

Jornal Bem Estar

Distribuição Gratuita – 12.000 exemplares

Contato: (41) 3022-6890 – E-mail: curitiba@jornalbemestar.com.br

16/08/2013

Quando a invenção desapareceu…

entre-linhas12

Após nove edições, revista cultural de Curitiba, que apresentava inovações, interrompe produção

     Inventa é uma revista cultural da capital paranaense, uma publicação de caráter informativo com circulação gratuita, editada pelo grupo IEME comunicação. Criada em março de 2009, a revista tinha tiragem de 5.000 exemplares. E oito das nove edições estão disponíveis online.

     Todas as capas do periódico são distintas, valorizadas por ilustrações, outras com montagens, todas coloridas e divertidas. O que mostra a criatividade e versatilidade da revista. E, por ser um projeto cultural, os assuntos abordados são muitos, mas design, fotografia, arquitetura e cinema se sobressaem. Assuntos também encontrados são moda, teatro, música e, até mesmo, gastronomia.

     A revista não é destinada somente ao público jovem, mas nota-se pelo layout e escolha dos assuntos que o público leitor é “antenado”. Como toda revista, ela contém publicidade que, de início não era exagerada, cresceu ao decorrer das edições.

revista-inventa-edicoes0-1-2-3-e-4

   Foto: Divulgação

     Além da existência da revista existe um blog com pequenas matérias informais, e com uma estrutura que foge do padrão jornalístico, muitas vezes colocando o lead ao final do texto. No entanto, o blog é divertido, de leitura fácil, rápida e agradável.

     A revista saiu de circulação em 2011 e não se sabe o motivo, mas estagnou após a nona edição. No editorial da última edição, aparentemente, a publicação parecia bem, falava sobre novas parcerias e até mesmo aumento de tiragem. No entanto, o resultado foi outro, com a produção suspensa. Embora não haja mais a revista em si, o blog ainda é atualizado, dando um “gostinho” do que era a Inventa.

 Rafaella Feola

Serviço:

Site: http://revistainventa.tumblr.com/

Revista online: http://issuu.com/revistainventa

09/08/2013

Qualidade nas páginas e falta de conteúdo na tela

entre-linhas12

Jornal que circula nos Campos Gerais peca pela falta de notícias na própria versão online

     O Página Um, jornal produzido em Castro, tem circulação diária e leva informações e entretenimento para todas as cidades da região. As edições de segunda a sábado são compostas por páginas de opinião, política, região, geral, classificados, segurança e a coluna social. A linguagem simples permite uma compreensão rápida sobre o que está impresso.

        Normalmente com oito páginas, aos sábados são incluídas quatro páginas de ‘atos oficiais’. O periódico não se limita ao município onde é editado e, permite maior circulação ao invés de ficar limitado apenas às notícias de Castro.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

       Aos domingos, roda uma edição que vale também para a segunda-feira, com editorias variadas como ‘dia a dia’, ‘agronegócio’, ‘automóvel’, ‘esporte e moda’. As páginas coloridas são visualmente leves e a diagramação é equilibrada. O P-1 possui pouca publicidade, em comparação a outros periódicos de cidades da região.

      Além dos serviços diários de vagas de emprego, horóscopo, informações sobre assinatura e endereços e telefone para contato, nas páginas de domingo são encontrados resultado da loteria, previsão do tempo, datas comemorativas e  a programação do Cineplus de Castro. Porém, falta uma agenda cultural com eventos da região.

      No entanto, o site do Página Um segue o padrão das versões digitais dos demais jornais. É possível encontrar apenas as edições digitalizadas para serem lidas online ou em formato pdf e jpg. Notícias e atualizações sobre os acontecimentos não são publicados no site, de modo que o leitor precisa esperar a versão impressa para ter acesso a informações de última hora.

Giovana Kai

 Serviço

Venda avulsa : Sábado e Domingo – R$2,00
Dia de semana – R$1,50
Contato : redacao@paginaum.com
Site: http://www.paginaum.com

28/06/2013

O povo acordou e a mídia noticiou

entre-linhas12

Jornal da Manhã e Diário dos Campos pautaram as manifestações realizadas em PG

          Durante o período entre 16 a 21 de junho de 2013, nota-se que o Jornal da Manhã (JM) publicou não somente fatos das manifestações de Ponta Grossa, mas também das principais cidades do país e, na medida do possível, buscou ser independente nas matérias publicadas. O periódico deu espaço não somente à temática ‘manifestações’, mas também ao tema do transporte, que passou a ser ainda mais pautado nas matérias após o início dos movimentos.

          O jornal pecou em um aspecto: nas matérias sobre a primeira manifestação, falava que a mobilização acontecia apenas pela tarifa do transporte público, o que não era verdade. Os cartazes dos manifestantes também tinham outras exigências. O JM só abordou as demais reivindicações a partir da segunda manifestação.

          O Diário dos Campos (DC) cobriu as manifestações como se fossem notícias cotidianas da cidade. Em nenhuma edição o fato recebeu o destaque que uma ação de tamanha proporção merecia. O enfoques dado às matérias, assim como no JM, se alterava conforme as reivindicações mais expressivas de cada uma das marchas. No pouco espaço disponível na página de Cidade, o DC trouxe informações completas sobre as manifestações.

            Em geral, os veículos mostraram pluralidade de opiniões. Em quase todas as edições do período os diários colocaram não somente a opinião de políticos sobre o tema, mas também deram espaço para artigos e opiniões de leitores. Através das agências noticiosas, trouxeram também uma visão geral sobre as manifestações não apenas em Ponta Grossa, mas no Brasil todo.

entrelinhas

         Foto: Crys Kühl

          Os editoriais de ambos os jornais posicionaram-se favoravelmente às reivindicações, porém com ressalvas quanto aos métodos empregados por grupos de manifestantes frente aos diferentes objetivos verificados. É perceptível, também, que a repercussão da questão do transporte público, com a greve dos funcionários da Viação dos Campos Gerais (VCG), ganhou mais espaço e destaque nos veículos. Nas edições da última semana de junho, o tema foi abordado com textos informativos e notas em colunas.

          O caso Ana Maria, assunto do momento, também foi um destaque edições dos veículos na segunda quinzena do mês. Os jornais trazem informações sobre como ocorreu e sua repercussão entre a população, expondo o fato sem manifestar opinião editorial sobre o assunto.

Bianca Machado, Crys Kühl e Leandro Oliveira

Serviço:

Foram analisadas as edições dos jornais Diário dos Campos e Jornal da Manhã, publicadas entre os dias 16 a 27 de junho.

07/06/2013

Jornal que não visa informar, mas entreter

entre-linhas12

A volta de um fanzine na geração da internet abre espaço para apresentar conteúdo independente

     O jornal Tripa é um suplemento elaborado por alunos de Jornalismo da UEPG, para circular juntamente com o Foca Livre (periódico mensal de produção laboratorial do Curso). O impresso apresenta um conteúdo que foge do entorno da instituição acadêmica, trazendo indicações musicais, poesias e histórias em quadrinhos, seja em forma de desenhos ou através de sequências fotográficas.

     O Tripa (como ficou conhecido) é direcionado ao público jovem-adulto, e traz uma proposta descomplicada de informar seu leitor, com uma boa dose de humor. É dividido em sete editorias: Tripa Sex e Pelas Barbas do Profeta, nas quais têm a participação de pessoas que pretendem divulgar seus próprios trabalhos.

Foto: Dilvulgação

Foto: Dilvulgação

     Fala Que Eu Te Escuto apresenta entrevistas com personalidades públicas, Garimpo traz dicas que envolvem a região, Bronha Literária possui um poema e Mamma Big Hits tem indicações musicais “para ouvir no Dia das Mães”. Já na editoria Lapada na Rachada o leitor pode responder a uma enquete no blog do jornal, sobre qual dos textos apresentados realmente é verdadeiro.

     Com um slogan de “Pequenininho, mas cavocador”, o Tripa objetiva provocar o leitor a fazer críticas, sugestões e elogios. Como dizem os próprios autores, “queremos tudo/pouco. Sem objetividade, sem fatos”. A tiragem foi circulou na comunidade universitária dos dois campi. Devido à falta de verbas para igualar à tiragem do Foca Livre, a primeira edição circulou com cerca de 250 exemplares. Um meio para quem não conhecia ou não conferiu o fanzine, é acessar o blog, onde está disponível todo o material.

André Bida

Serviço: Jornal Tripa

Edição: 001. Circulação mensal.

Tiragem: 255 exemplares, distribuição: Campus Central e Uvaranas da UEPG.

Versão online: www.jornaltripa.wordpress.com

Etiquetas:
29/05/2013

O que se ganha ou o que se tem

entre-linhas12Jornal da UTFPR exagera ao falar de projetos e verbas conseguidas pela própria instituição

     A edição de número 35 do jornal UTFPR Notícias foi a primeira do ano de 2013.  Disponível em versão online, nas bibliotecas e departamentos das unidades da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, a publicação trimestral peca ao levar pouca informação do que acontece nos campus e muito do que é planejado para o futuro.

     O UTFPR Notícias é feito pela gestão de comunicação da UTFPR. O resultado é um veículo que descreve apenas o que de bom acontece na instituição. Com circulação em todos os campus, seria relevante também expor problemas e soluções encontrados nas unidades, já que poderiam contribuir uma maior comunicação entre cada uma delas, ao invés de endossar apenas o que é construído ou quanto de dinheiro chega. Alunos deveriam ter maior espaço na publicação, pois uma universidade é constituída também de pessoas.

KelvinFoto: Divulgação

     As 16 páginas do jornal possuem formato de tabloide e impressão colorida, o que é pouco aproveitado, com diagramação simplista e fotos pouco nítidas. Das 25 matérias publicadas na edição de abril, 15 tratam sobre aumento de verbas, projetos e novos cursos conquistados pela instituição. As palavras “ganha”, “recebe”, e “remuneração” são repetidas nos títulos. “Campus” repete-se em nove títulos e chega a aparecer 30 vezes em uma mesma página.

     As informações provenientes de entrevistas e matérias mais extensas e detalhadas surgem apenas na décima página do jornal. As fotos com maior qualidade técnica estão nas últimas páginas, resta saber quantos leitores tiveram fôlego para chegar até elas.

Kelvin Vieira

Serviço:

Jornal UTFPR Notícias

Ano 7, edição nº 35 – 24 de abril de 2013. Circulação: trimestral. Tiragem: 4.500 exemplares. Distribuição: bibliotecas e departamentos dos câmpus da UTFPR

Versão online: www.utfpr.edu.br/estrutura-universitaria/diretorias-de-gestao/dircom/noticias/materiais-institucionais-da-comunicacao/utfpr-noticias

24/05/2013

Informação turística, histórica ou catálogo?

entre-linhas12Site turístico da cidade cumpre o papel de informar, mas revela ausência de serviço

     O site www.visitepontagrossa.com.br é um dos principais espaços virtuais turísticos de Ponta Grossa. Formado e mantido por associados, empresas e pessoas que têm por objetivo atender o turismo ponta-grossensse como atividade econômica propõe um modo mais prático e acessível de manter o turista atualizado sobre o meio cultural e turístico da cidade.

     Entre os sete ícones disponíveis no site estão atrações, entretenimento, hotéis/gastronomia, localização, sugestão de roteiros e contato. Cada ícone cumpre um papel informativo de responder a uma pergunta: o que há na cidade? Entretanto, a informação apresentada não cumpre o papel de dizer como, onde e quanto. A informação é predominantemente histórica, assim como acontece no ícone ‘atrações’, em que cada ponto turístico citado, como Vila Velha, é descrito historicamente. O mesmo se repete no ícone ‘entretenimento’.

okitaDivulgação

     Outro ponto negativo do site é a falta de informações dos próximos eventos atrativos de Ponta Grossa. Quando se clica no ícone ‘eventos’ aparece a sugestão de acessar outro site da associação para ver o calendário, mas quando se visita esse site, o calendário de eventos encontra-se desatualizado e com apenas dois registros disponíveis para 2013, que acontecem somente em setembro e outubro.

     Contudo, o site é um atrativo visual e cumpre o papel em outros ícones, como o de ‘hotéis/gastronomia’, trazendo o nome de quatro hotéis, duas pousadas, um pensionato, cinco restaurantes, dois bares e uma panificadora. Todos estabelecimentos com endereço, número e em alguns o site e email para contato já ‘linkados’ para o visitante clicar e acessar diretamente.

Marina Okita

Serviço

www.visitepontagrossa.com.br

 

17/05/2013

Falta informação na página virtual da Rádio CBN PG

entre-linhas12Emissora ponta-grossense toca notícia, mas não tem conteúdo noticioso online

     A Rádio CBN Ponta Grossa surgiu em janeiro de 2001 e, desde então, mantém uma programação que alterna produção local com transmissão de programas e notícias produzidas pela central CBN e distribuídas para as 732 rádios do grupo espalhadas por todas as regiões do Brasil.

     O site da central CBN é completo, traz informações em tempo real e descrição de toda programação, além de atrativos como podcast e blogs de comentaristas. Entretanto, o site da CBN Ponta Grossa AM 1300 carece de informações e conteúdo.

   O website tem um layout simples e se limita em disponibilizar um canal em streaming, onde o ouvinte pode acompanhar a programação online. De interatividade o site mantém o Chat CBN, pouco visitado. Outros canais de contato com o ouvinte são o telefone e e-mail. Segundo informações da própria emissora, não há funcionário responsável pelo conteúdo na web, por isso a falta de atualizações na plataforma virtual.

CBN - marcelo mara

Foto: divulgação

     Na lateral direita o site oferece serviço de previsão do tempo para Ponta Grossa e região, além do número de visitantes online e link para o Chat CBN. No menu do site há dois itens: home (editorias locais como Esportes, Jornal, Agricultura e Saúde, embora apenas os dois primeiros têm textos explicativos sobre locutores e horários) e programação (leva ao quadro de horários com programação local e nacional da CBN).

     A programação de segunda a sábado tem oito horas e 30 minutos diários de conteúdo local, dividida entre madrugada, das 00h às 06h, e manhã das 09h30 às 12h. No domingo o quadro muda, pois há cobertura esportiva no horário da tarde, somando 12 horas de programação dominical exclusiva.

Marcelo Mara

Serviço:
Rádio CBN Ponta Grossa AM 1300
Pode ser ouvida também pelo site www.cbnpg.com.br
Site da Rádio CBN: www.cbn.globoradio.globo.com
Telefone da CBN PG: (42) 3028 1330
E-mail da CBN PG: jornalismo@cbnpontagrossa.com.br

 

10/05/2013

Jornal? Não, informe publicitário

entre-linhas12

Dinheiro público paga a impressão de informe publicitário do Governo

   O informe publicitário “Cultura”, do Governo do Estado do Paraná, é impresso no formato de jornal tabloide, com oito páginas. A capa chama atenção pela foto, que ocupa mais de meia página. Pago com o dinheiro do contribuinte, o informe não publica nada além de propaganda das iniciativas, projetos e ações culturais do Governo. As notas têm caráter de agência, mas não há identificações que comprovem a suspeita.

    No interior do jornal, é possível perceber que o design gráfico permanece o mesmo para a maioria das páginas. Foi utilizado apenas um modelo de página diagramada, porém a única diferença entre elas é a o tamanho de uma foto na página 6. Com exceção das páginas centrais, todas as demais possuem três notinhas e uma imagem no cabeçalho, seguido por uma grande foto. Na parte inferior da página, estão dois destaques. Os títulos fogem da ordem direta – sujeito, verbo e predicado – e são escritos de forma criativa. No entanto, eles não são informativos, o que torna necessário a leitura do texto para compreender o sentido dos títulos.

DSC_0006

Foto: Rafaela Oiliveira

      A leitura dos textos traz a impressão de serem escritos por uma única pessoa, pois muitos termos e vícios de linguagem se repetem, como ‘fomenta’, ‘leva/levando a’, ‘conta/contaram com’. O informe não apresenta o expediente. Dados como a tiragem do jornal, os pontos onde são distribuídos e a data de publicação não estão presentes no informe publicitário. Assim, o dinheiro público paga por um jornal que informa apenas mudanças e ampliações em programas e ações culturais do Governo do Estado.

Rafaela Oliveira

 

Serviço:

Em Ponta Grossa, o jornal está disponível no hall de entrada no Cine-Teatro Ópera (Centro).

19/04/2013

Periódico pauta literatura paranaense

Imagem

O Jornal Cândido traz, uma vez por mês, novidades da cena literária paranaense

 O Cândido é o jornal da Biblioteca Pública do Paraná (BPP), que funciona como um espaço destinado à literatura, principalmente paranaense. O jornal tem uma tiragem mensal de 5 mil exemplares que são distribuídos gratuitamente na BPP e em outras regiões de Curitiba. Além da versão impressa, é possível ler a versão digital do mensal, que é de fácil acesso para pessoas de outros lugares além de Curitiba.

O Cândido surgiu em agosto de 2011 e acerta no ponto aquilo que o impresso se propõe a fazer: apresentar informações sobre a literatura de maneira dinâmica, a partir de entrevistas e outros recursos. Logo no editorial do jornal, diversas informações sobre Literatura são mostradas ao leitor. Ao lado há um espaço reservado para as tirinhas

Imagem

Divulgação

Apesar de o Cândido ser direcionado a temas literários, como perfis de escritores e lançamentos de obras, o mensal apresenta uma linguagem acessível, fácil de entender, mesmo para leigos. Uma das características do jornal é a diagramação, com recursos gráficos são utilizados, de uma maneira que chama a atenção do público, com ilustrações que ocupam páginas inteiras do jornal.

Além de atrair olhares de leitores, as ilustrações deixam o jornal com um design diferenciado do que é visto na mídia impressa convencional, pois o Cândido possui vários diferenciais de diagramação quando comparado com um impresso jornalístico tradicional, tanto nos elementos verbais quanto nos elementos não-verbais do Jornal. Em algumas matérias, o autor opta por utilizar uma linguagem literária para iniciar o texto.

João Henrique Santos Souza

Serviço:

imprensa@bpp.pr.gov.br — (41) 3221-4974

www.candido.bpp.pr.gov.br / www.bpp.pr.gov.br

Biblioteca Pública do Paraná: segunda a sexta: 8h30 às 20h / Sábado: 8h30 às 13h Contato: (41) 3221-4900

Rua Cândido Lopes, 133 | CEP: 80020-901| Curitiba – PR