Posts tagged ‘entre linhas’

06/11/2014

Aconchegante como uma casa deve ser

https://criticadeponta.files.wordpress.com/2014/06/entre-linhas1.jpg

A página da neta da D. Edite traz simplicidade e familiaridade ao mundo da decoração de interiores

O interesse por decoração é popular entre os brasileiros que sempre tiveram a preocupação de viver e receber bem. O blog “A Casa Que Minha Vó Queria” é direcionado ao público crescente que procura formas baratas, simples e criativas de mudar o ambiente em que vivem para torná-lo mais agradável e funcional.

Online há mais de três anos, a página é escrita por Ana Medeiros e recentemente passou a contar com a colaboração de seu marido, Leonardo Climaco, para posts periódicos. O layout em tons pasteis dão destaque ao slogan do blog e as imagens super coloridas utilizadas pela autora em seus posts que vão de dicas de organização até inspirações para decoração de diversos ambientes.

Seguindo a tendência mundial do “faça você mesmo”, A Casa Que Minha Vó Queria se destaca dentre os demais blogs pela grande quantidade de tutoriais detalhados de decoração completa de ambientes, um exemplo é a série de posts sobre a reforma da casa recém comprada por Ana e sua família, onde ela relata desde escolha de cores das paredes até móveis planejados e construídos pelo marido.

O texto se aproxima da linguagem falada, permitindo o uso de várias expressões distantes da norma culta, o que complementa a aura aconchegante e amigável que todo o blog transmite. O blog teve um crescimento significativo no último ano, e possui, hoje, mais de cem mil leitores e diversas parcerias com empresas relacionadas ao universo da decoração.

Mariana Fraga

Serviço:

http://www.acasaqueaminhavoqueria.com/

//www.acasaqueaminhavoqueria.com/

Etiquetas:
05/09/2014

Um negócio de família

Irmãs curitibanas falam de moda e mostram que ‘Tudo Orna’

            Criado em 2010 pelas irmãs Alcântara, o blog curitibano Tudo Orna trata de assuntos como moda, beleza, e questões do próprio cotidiano das meninas. O propósito dele, segundo suas criadoras, é inspirar pessoas, e ainda, pensar um espaço no qual a moda é vista como ‘estilo próprio’, e “não como uma tendência a ser seguida”. O blog, levado como profissão, é comandado por Bárbara – graduada em Comunicação Institucional (UTFPR) e Design de Produto (PUCPR), Débora–Relações Públicas (PUCPR) – e Júlia formada em Design de Moda pelo Centro Europeu e estudante de Design (UTFPR). Hoje a página no facebook do Tudo Orna possui mais de 34mil ‘likes’.

A linguagem utilizada no Blog é informal, com características intimistas, o que aproxima as irmãs Alcântara do leitor. Tal caráter intimista está presente nas postagens em que o cotidiano das blogueiras é contado. Um exemplo são os posts da Júlia referentes ao intercâmbio que ela está fazendo nos Estados Unidos. As postagens feitas ano passado sobre o casamento da Bárbara também se encontram nesse contexto, assim como as dicas de viagens, a partir de suas experiências pessoais.

Quanto ao conteúdo, ele peca um pouco na quantidade de vídeos postados e no espaço destinado a posts sobre culinária. A parte ‘Gourmet’ poderia ser mais explorada, talvez, por meio de colunas periódicas com dicas de receitas, como foi feito durante um tempo ano passado.

O layout do Tudo Orna é estruturado com características como a simplicidade, delicadeza, o minimalismo, os tons claros – salmão e branco – e elementos femininos. Ao se explorar a página é comum se deparar com a figura de um patinho vestindo uma gravata borboleta, este é Orlando Ornado, o mascote do blog.

A interação das blogueiras com seu público acontece não só pelos posts no blog, mas também pelo facebook, twitter, instagram, youtube, vine, pinterest e lookbook. O contato com o leitor é maior e mais constante por esses meios, e eles ainda auxiliam na própria divulgação do Tudo Orna – que possui um aplicativo para Android e IOS. Neste ano, Bárbara, Débora e Júlia lançaram a marca de roupas e acessórios Orna.

Além do Blog das irmãs Alcântara, outros dois blogs integram a plataforma Tudo Orna Internet Group. Um deles é o Tudo Make-comandado por Ariadne Cretella-que também aborda questões de beleza, mas focadas na parte de maquiagem, e o CineOrna dirigida por Kelvyn Kaestner, que trata de assuntos relacionados ao cinema  e entretenimento .

Fernanda Penteado

serviço

site: www.tudoorna.com.br

Facebook: http://www.facebook.com/tudoorna

Twitter: @TudoOrna

Instagram: @tudoorna

Etiquetas:
20/06/2014

A força do trabalho (gratuíto) em equipe

entre-linhas

Portal mantido por colaboradores fala de música com descontração e comprometimento

O Tracklist é um portal de notícias voltado ao cenário musical, afiliado à MTV brasileira. Fundado em 2012, é mantido por cerca de 25 colaboradores. Além de notícias, o site produz colunas, resenhas e análises sobre temas variados.

A coluna “Musicalmente falando” apresenta artistas novos e/ou desconhecidos para o público, e utiliza de linguagem coloquial para se aproximar do leitor. Já “O que tem pra hoje?” se aprofunda em lançamentos recentes, contando o processo de produção dos mesmos. As colunas são ‘insights’ de seus autores no meio musical, buscando fugir da uniformidade das notícias. Percebe-se, no entanto, grau variável de conhecimento musical e jornalístico por parte dos criadores de conteúdo. Entre as colunas mencionadas acima, “O que tem pra hoje?” demonstra especialização muito maior que “Musicalmente falando”, a qual aborda os temas de forma bastante despreparada – quase em improviso. O Tracklist também realiza resenhas (‘reviews’) dos lançamentos mais antecipados, conferindo-os uma nota de 0 a 10.  Aqui, a qualidade da resenha também varia de acordo com o resenhista.

tr

Por contar com colaboradores de todos os cantos do país e até do exterior, o Tracklist consegue realizar coberturas de diversos shows e festivais como recentemente o Rock in Rio Lisboa. Por meio da parceria com a MTV, os integrantes recebem credenciais para ter acesso aos bastidores destes eventos, ponto para o portal. A interface do site é prática, e dá destaque aos gêneros Rock, Pop, R&B e MPB no header. No mais, o Tracklist não oferece nada de muito especial ou diferente. No entanto, a cobertura de eventos e a qualidade de boa parte das notícias, colunas e resenhas se assemelha aos trabalhos de grandes portais musicais. Feito impressionante para um portal composto por uma equipe reduzida de colaboradores não-remunerados e, em sua maioria de idade universitária.

SERVIÇO:

O portal Tracklist pode ser acessado através do endereço: http://www.tracklist.com.br.

Felipe Deliberaes

22/11/2013

Dê um destaque ao seu empreendimento

entre-linhas12

Jornal local possibilita anunciar o comércio dos bairros da Nova Rússia, Uvaranas, Santa Paula e centro

    O jornal Destaque do Comércio é distribuído quinzenalmente e tem como proposta divulgar e promover o comércio de Ponta Grossa. O veículo possui seis editorias (Destaque, Construção e Decoração, Acontece, Informativo, Variedades e Promoções), que são distribuídas em oito páginas coloridas.

        Todas as páginas possuem diagramação simples e veiculam propagandas. As editorias são apenas formas de distribuir a publicidade por aspectos semelhantes, o que facilita a procura do leitor. A primeira editoria, “Destaque”, abre oportunidade para qualquer tipo de anúncio. “Construção e decoração” contêm propagandas de construtoras e lojas de móveis planejados. “Acontece” e “Informativo” são as únicas páginas com conteúdo de caráter noticioso, “Acontece” tem teor cultural e a outra traz informações sobre assuntos gerais e publicidade de eventos.

1459199_215496051962886_989930216_n

Foto: divulgação

      Na página de ‘Variedades’ o leitor encontra horóscopo, jogos (caça palavras) e notícias sobre a cidade. Um aspecto negativo no jornal é o fato de você encontrar um anúncio do veículo entre suas páginas. Isso dá a impressão de que há uma falta de conteúdo para preencher a publicação. Outro fato incomum é que nenhuma matéria do jornal é assinada, e não há expediente (para indicação autoral).

         O periódico, que é carregado de publicidade e carece de informação, possui três pontos fixos de distribuição gratuita: a lotérica Coradassi, localizada na Av. Dom Pedro II – Nova Rússia, a lotérica Princesa dos Campos II, localizada na Praça Barão de Guaraúna – Centro, e no Supermercado OBA, localizado na Av. General Carlos Cavalcante – no bairro de Uvaranas.

Rafaella Feola

Serviço: Jornal Destaque do Comércio

Distribuição gratuita. Periodicidade: quinzenal

Tiragem: 50 mil exemplares

Telefone: (42) 3086 5115. Email: destaquedocomerciopg@gmail.com

Página no facebook: https://www.facebook.com/JornalDestaqueDoComercio

03/11/2013

Conteúdo ‘monotemático’, se não fosse uma receitinha

entre-linhas12

Jornal Show da Fé, da Igreja Internacional da Graça de Deus, distribui conteúdo cristão para todo País

O jornal Show da Fé é composto por depoimentos e palavras de conforto para os que acreditam na mensagem que transmite. Com 22 páginas coloridas de formato tablóide, o impresso tem a praticidade de ser pequeno e facilmente manipulável. O jornal faz um uso acentuado de pautas frias, que passam a ideia de algo antigo. Mas é compreensível a opção temática adotada, por tratar-se de um veículo mensal.

Imagem

Foto: Divulgação

Em geral, as notícias transmitidas pelo jornal são perfis de pessoas que obtiveram bênçãos divinas e compartilharam a experiência. Dentre os indivíduos beneficiados pode ou não existir membros da Igreja Internacional da Graça de Deus, responsável pela edição do periódico. As reportagens plurais também não compõem as páginas do veículo, que trabalha com poucas fontes de informação.

Por possuir aproximadamente 99% de conteúdo religioso, o Jornal Show da Fé, possui um grupo de leitores mais segmentado que outros jornais religiosos, a exemplo da Folha Universal, que é multitemática. Porém, acaba ganhando uma característica de impresso monotemático, incomum em uma época em que os meios de comunicação então cada vez mais variados. Essa característica não deixa de ser um ponto a favor do produto que ganha ou busca atingir leitores fiéis.

Não existe uma página de opinião no impresso. Mas há colunas disponíveis para receber carta de leitores, como o Espaço do Leitor e Abrindo o Coração. Dessa maneira, o veículo mantém uma interação com os leitores. Na seção Abrindo o Coração, o leitor ou leitora pode enviar questões para o líder da Igreja, Missionário R.R. Soares, e ter as perguntas respondidas e publicadas.

Rafaelly do Nascimento

 

Serviço:

Jornal Show da Fé

Produção: Igreja Internacional da Graça de Deus

Circulação: Nacional. Tiragem: 1.100.000 exemplares. Periodicidade: Mensal.

Valor: R$ 1,00, mas também é distribuído gratuitamente por membros da Igreja durante atividades de evangelização.

25/10/2013

Nem toda informação é jornalismo

entre-linhas12

Informativo ‘Bala na Agulha’ cumpre com o propósito de dar voz ao povo, mas falha com regras do jornalismo

           O informativo Bala na Agulha é uma produção da Associação Ponta-Grossense de Lideranças Comunitárias e Entidades Filantrópicas (Aplicef), que busca dar voz às comunidades e debater problemas sociais. A iniciativa é necessária e sua primeira edição, em setembro de 2013, cumpre com a proposta de abordar temáticas de cunho social, além de apresentar as pretensões do veículo.

            Os textos que compõem o Bala na Agulha não são assinados, exceto pelo editorial produzido pela diretoria da Aplicef, o que representa uma falha, visto que o editorial é a opinião do jornal, logo não se faz necessária a assinatura. Apesar da parceria com Departamento de Jornalismo da UEPG, que elaborou o projeto gráfico do periódico, no expediente não constam nomes de jornalistas responsáveis.

Divulção

Foto: Divulgação

            As matérias são objetivas, referenciam um assunto e logo o abordam. Neste sentido cumpre com determinações básicas do jornalismo. Por outro lado, a pluralidade fica ofuscada pelo propósito de dar voz ao povo. Ganha-se pelo fato de dar espaço na mídia às minorias, mas no que se refere à produção jornalística, todos têm direito à voz, igualmente. Ponto negativo é que, das oito fotos da primeira edição, quatro são posadas e, portanto, não jornalísticas.

               O Bala na Agulha é composto por quatro páginas: capa, opinião, geral e associativismo. Esteticamente, a diagramação funciona bem, pois os textos não se misturam um com o outro e o leitor pode facilmente detectar uma sequência de leitura e segui-la, o que contribui para o entendimento. Como informativo de uma determinada classe, o Bala na Agulha é eficaz, mas como jornal, os métodos precisam ser repensados.

Crys Kühl

Serviço:

O Bala na Agulha tem tiragem de 1000 exemplares, com circulação mensal. Sua distribuição é gratuita e pode ser encontrado na Rua Sete de Setembro, 1955 – sala 13, Centro.

Contatos: (42) 3224-5068 / (42) 9932-8850 / (42) 8406-5838.

http://www.facebook.com.br/aplicef

aplicef.aplicef@yahoo.com.br

12/10/2013

Voz e bombardeio de reivindicações no ‘Canhão Informativo’

Jornal mensal produzido pelos servidores públicos de PG mostra a falta de estrutura no cotidiano de funcionários municipais

 entre-linhas12

Se a vida do servidor municipal de Ponta Grossa não vai bem, o Canhão Informativo denuncia. O jornal, de distribuição mensal, com tiragem de 6.000 exemplares, aborda problemas que os funcionários enfrentam nas mais diversas áreas de trabalho. Na edição de setembro de 2013, o Canhão traz como manchete o atraso no pagamento dos professores da rede municipal e diversas reivindicações referentes ao cotidiano de trabalho dos servidores.

Impresso no formato tabloide, o tom de denúncia ecoa pelas oito páginas. Por isso, o jornal se torna um dos principais meios de comunicação entre sindicato, servidores públicos municipais e governo local. No espaço denominado “Na mira do Canhão”, existem textos e fotos que mostram um exemplo real de obstáculo à vida dos servidores. O alvo do Canhão, na última tiragem, foi o banheiro feminino do 4º andar do Paço Municipal, que estava interditado.

IMG_0480

Foto: Keren Bonfim

Não há um jornalista responsável para as matérias publicadas. No expediente, é possível encontrar apenas os nomes dos responsáveis pela Secretaria de Imprensa e Divulgação, mas o leitor não possui certeza sobre a autoria dos textos. A falta de autoria se repete também em relação ao conteúdo fotográfico. Se por um lado isso representa um ponto negativo, por outro, demonstra um outro formato jornalístico: o sindicalismo dos jornais.

O jornal dos servidores pretende, com breves palavras, noticiar as condições de trabalho dos funcionários. Contudo, matérias mais aprofundadas a respeito do dia a dia do trabalho municipal seriam mais um estampido sonoro nos 24 anos do Canhão Informativo.

                                                                                                            Keren Bonfim

Serviço:
Tiragem: 6000 exemplares
Distribuição gratuita no SindservPG.

Rua Santos Dumont 1234, Centro – Ponta Grossa/PR

04/10/2013

Ciência fácil de entender

entre-linhas12

Revista que trata sobre ciência, produzida por estudantes de Jornalismo, tem linguagem e assuntos atraentes

     A revista trimestral Ciência Nuntiare é produzida pela turma do quarto ano do curso de Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). A segunda edição da revista em 2013 saiu em julho e traz como matéria principal a discussão atual das redes sociais para a mobilização do país nas manifestações nas ruas.

     A revista é dividida em editorias, que são todas sobre os avanços da ciência, variando entre tecnologia, saúde, exatas, agrárias, humanas e sociais aplicadas. Por mais que a revista seja apenas científica, ela consegue variar os assuntos e não se tornar repetitiva. A linguagem é simples e direta, e quando encontra termos técnicos explica-os de maneira acessível, facilitando a compreensão dos temas pelo leitor.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

     O design da capa da revista é limpo e não contém muitas chamadas, apenas uma foto grande e uma margem colorida, o que não atrai tanto o público pouco habituado com a circulação do periódico. A diagramação interna é padronizada e contém muitas ilustrações, o que chama a atenção do leitor e não torna a leitura muito cansativa, além de veicular gráficos explicativos que ajudam na compreensão dos temas.

    Os textos não são longos, mas ainda assim conseguem aprofundar os assuntos, mas sem esgotá-los e oferecer informações que não interessam o leitor que não é ligado à ciência. O conteúdo da revista como um todo consegue ser interessante mesmo que seja voltado apenas para a área das ciências E, assim, a revista busca prender a atenção de todo o tipo de público.

Isabela Almeida

Serviço:

Próxima edição: previsão para final de outubro

Tiragem: 500 exemplares

Circulação: Campus Central e Uvaranas da UEPG

Versão Online: http://www.youblisher.com/p/709903-Nuntiare-Ciencia-2/

20/09/2013

Informação e religião para quem tem fé

entre-linhas12De tiragem mensal, em formato e diagramação previsíveis, o jornal ‘A Boa Nova’ traz informações da Diocese de PG

O Jornal A Boa Nova circula nos municípios da Diocese de Ponta Grossa, como Carambeí, Castro, Ventania, entre outras cidades. Formado por dois cadernos e seis folhas, o jornal noticia os acontecimentos religiosos para os integrantes da igreja católica. O número de imagens no jornal chama atenção, algumas matérias chegam a ter três fotografias ilustrando a notícia.

A diagramação, principalmente da capa, deixa espaços não preenchidos que incomodam a leitura. Em todas as edições há no canto da capa uma tripa do começo ao fim da folha, com pequenas manchetes, poucas têm fotografia. A cor da capa também é constante: os títulos em vermelho, o da manchete em azul e box em bege queimado.

Os textos se diferenciam pelo gênero jornalismo literário, onde a notícia é repassada usando o recurso da ficção com o objetivo de contextualizar a realidade. Porém, o chamado ‘lide’ não é abandonado. A técnica do ‘lide’ consiste em colocar as principais informações no primeiro parágrafo do texto. Observa-se, ainda, no jornal um tom catequético na escrita. O recurso de colocar a matéria em um box está presente tanto na capa, como no interior d’ A Boa Nova, deixando algumas páginas carregadas em conteúdo.

A impressão não prejudica a leitura das fotografias. Em algumas matérias a fotografia não é do jornal, mas de arquivo pessoal de um entrevistado. Apenas nestes casos a foto tem crédito, o que gera uma desarmonia porque algumas fotos têm crédito e outras não. A edição mais recente (setembro/2013) usou na capa e em uma página interna o recurso de colocar o texto do título por cima da fotografia, uma técnica ainda não usada anteriormente.

Luana Caroline Nascimento

Serviço:

O jornal é distribuído em igrejas da diocese da igreja católica e tem tiragem mensal

aboanova@diocesepontagrossa.com.br

Etiquetas:
13/09/2013

Criatividade e inovação versus parcialidade

selo flicampos

Revista da Prefeitura informa, entretanto propõe foco fechado nas realizações da atual gestão

         Com quatro artigos, dicas literárias, crônica, perfil e outras editorias, a revista pedagógica “Ponta Grossa – Construção de uma escola de qualidade voltada para infância” objetiva trazer os principais feitos da atual administração municipal da Cidade na educação, nos últimos meses e futuros ideais para melhoria do setor. Com 47 páginas, a leitura fica pesada e não apenas cumpre o papel de informar o pronta-grossensse, mas apresentar uma propaganda do atual mandato.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

       Cada informação dada não deixa de ter um interesse público, já que informa em geral o que vem avançando e acontece nas principais escolas municipais como projetos educacionais da cidade. Mas, não cumpre totalmente esse papel quando a informação parece um “portal de transparência” de modo mais literário, repetitivo e prolongado. Dessa forma, em todas as páginas é possível notar a grande quantidade de texto corrido e alguns deslizes da diagramação. Ao mesmo tempo em que o impresso acerta na aposta em cores chamativas e desenhos criativos, erra quando padroniza o corpo do texto alinhado à margem esquerda em todos os casos e confunde a visão do leitor com a cor semelhante ao fundo da página, o que acaba poluindo a página.

        Entretanto, vale ressaltar que a revista é um avanço significativo da atual gestão da Prefeitura de PG, que também preocupa em tratar temas importantes como a formação de professores e dicas de literatura. Destaque também aos artigos que oferecem ao leitor dados e informação de especialistas sobre a área de educação.

Mariana Okita

 Serviço

Número de páginas: 47 páginas

Lançamento: 11 de setembro de 2013.

Preço: Distribuição Gratuita

Realização: Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, juntamente com a Secretaria Municipal de Educação.

Periodicidade: Não foi informado