Posts tagged ‘Caroline Belini’

11/06/2013

Atenção nunca é demais

ombudsman12-11

     O último texto do ombudsman aponta que – e aqui a frase na íntegra – “quase todas as editorias fazem bem o balanço entre descrição, informação e crítica”. Pois bem, nesta semana as críticas, em sua maioria, continuam a cumprir com o esperado, algumas até conseguem instigar no leitor a curiosidade de conhecer (quando não o feito) o objeto da crítica, como é o caso das editorias Entre linhas, Vitrola e Pratos e Drinks. Embora na última fosse interessante informar o preço com maior exatidão – no espaço do serviço mesmo – dizer que o preço varia é quase óbvio, quem lê quer saber quanto tem que desembolsar para provar a ‘pizza frita’.

     Erros de incoerência nas construções frasais continuam aparecendo (uma edição atenta resolveria o problema). Na crítica da editoria Antena, durante todo o texto a autora deixa claro que as músicas tocadas no programa Arquivo T são antigas, mas ao dizer que “o programa tem um público significativo de 11 e 12 anos”, faz com que a interpretação se torne ambígua, os ouvintes escutam o programa há 11 e 12 anos ou tem essa idade?

     O mesmo acontece com a editoria Na tela, onde o título da crítica indica a diversidade do conteúdo no programa criticado, mas durante o texto afirma-se que “a pluralidade de assuntos no programa, basicamente, é dividida em dois assuntos”. Como assim? Como pode ser plural e tratar apenas de dois assuntos? Precisa existir maior atenção do autor e da edição.

     Rápidos apontamentos sobre as demais críticas. Na editoria Em cena, a iluminação e a acústica do local ajudavam na peça? A crítica do Terminal Rodoviário da cidade cumpre sua função, na editoria Outros Giros. O mesmo acontece na editoria Livro Aberto, que atenta para pontos característicos do autor. Na editoria Projetor, a autora consegue, através de uma boa crítica, apontar onde o filme ‘Django livre’ peca. Percebe-se que na editoria Moda e Estilo sempre há muita descrição e histórico, e no texto dessa semana não foi diferente.

     Como dica, lembrem-se que é preciso atentar também aos detalhes, que podem confundir o leitor, mas quando apontados de maneira sensata ajudam no entendimento e enriquecem a crítica.

Caroline Belini

23/11/2012

Excesso de diversão ou de confusão?

Imagem

Programa de entretenimento peca ao apresentar um programa cheio de ruídos que confundem o ouvinte

O programa ‘Bom dia MZ’, da rádio Mz FM, 90.7, apresentado por Micky, vai ao ar diariamente das 10 horas ao meio dia. A proposta de entretenimento, proporcionando ao ouvinte música, informação e descontração, não acontece, visto que o programa é feito de maneira confusa. Todas as características citadas estão misturadas durante a transmissão, o que dificulta o entendimento de quem escuta.

O acúmulo de vinhetas, sonoplastia e fundos musicais conturbam a atração, a exemplo do quadro de notícias da cidade. O apresentador interrompe constantemente sua fala com sonoplastias e aumentando o volume da música, que além de dificultar o entendimento, visto que o rádio é um veículo que exige clareza, deixa perceptível que a proposta de sobrepor música e notícia não funciona nesse caso. Micky, algumas vezes em tom de julgamento, dá sua opinião sobre o fato noticiado.

Imagem

Foto: Divulgação

O quadro ‘Torpedinhos’ abre espaço às opiniões dos ouvintes, lidas no ar pelo apresentador. Ponto positivo para o programa, se não fosse novamente o demasiado uso de fundo musical. Na atração ‘Toca fitas – os sucessos do LP e da fita cassete’ – a proposta é tocar músicas antigas para ‘matar a saudade’, termo usado no programa. Micky ainda lê o horóscopo e o resumo das novelas.

Durante a transmissão do programa, chamadas gravadas por outros locutores da emissora entram no meio da programação, problema que se repete nas propagandas comerciais. As músicas estão presentes durante todo o tempo e os últimos trinta minutos são reservados apenas para que sejam tocadas sem as interrupções constantes durante todo o programa.

Caroline Belini

Serviço:

Diariamente, das 10h às 12h

Rádio MZ, FM 90,7 (Ponta Grossa/PR)

Apresentador: Micky

Etiquetas: ,
15/11/2012

O palco também é lugar de premiação

Imagem

Onze espetáculos, eleitos pela comissão julgadora, foram premiados durante a noite de encerramento do FENATA

 Eram exatamente 20h30 quando o organizador do evento, Cláudio Guimarães iniciou a cerimônia de premiação das peças da 40ª edição do FENATA. Ao todo foram 206 apresentações e uma estimativa de público de 35.350 que puderam assistir às peças apresentadas nas ruas escolas e no Cine Teatro Ópera durante nove dias de evento. O cerimonial foi simples e rápido, se comparado à cerimônia de abertura, que pecou pelo excesso de tempo. Passada exata uma hora do início da premiação, o espetáculo de encerramento Lavadeiras da memória começava a ser apresentado.

Ao todo, 25 troféus foram distribuídos entre as categorias, melhor texto original, maquiagem, sonoplastia, iluminador, cenógrafo, figurinista, atriz e ator coadjuvante, melhor atriz e ator, diretor, melhor espetáculo infantil e melhor espetáculo. O júri popular também opina e elege o melhor espetáculo, uma escolha a parte da decisão da comissão julgadora, onde as três maiores médias são consideradas, um indicativo de que a opinião de quem participa tem vez numa competição nacional.

No decorrer da premiação alguns problemas técnicos, como a falha do som em um dos vídeos apresentados, desnortearam o andamento da premiação, mas foram superados com o tratamento despreocupadamente cômico de quem apresentava que arrancou risos do público. A entrega de troféus também pareceu tumultuada, talvez por conta da duração e pelo fato de ser um evento nacional, alguns grupos não permanecem na cidade até o dia da premiação. Decorrente a isso, seria interessante – e possivelmente necessário – que houvesse um representante fixo para receber o prêmio pelos ausentes, o que evitaria a dúvida e o improviso da organização ao delegar um(a) responsável para receber os troféus.

Ao final da cerimônia o espetáculo infantil mais premiado foi O reino da gataria, do grupo Companhia Atores in Cena, do Rio de Janeiro, que levaram troféus em cinco categorias e uma nomeação pelo Prêmio especial para categoria espetáculo para crianças. Já no espetáculo adulto a peça com mais nomeações foi Portela, patrão. Mário, motorista, do grupo Boa Companhia, de Campinas. Entre os troféus estava o de melhor espetáculo, que não foi individual, já que a comissão julgadora decidiu nomear também Deus e Diabo na terra do sol, da Cia Provisória, do Rio de Janeiro, nessa categoria.

Troféus de agradecimento aos envolvidos no festival também foram distribuídos, assim como um troféu foi sorteado entre as pessoas presentes, como uma homenagem ao público do festival.

Caroline Belini

Etiquetas: ,
07/09/2012

Não é comida de mãe, mas é feita pelas tias

 

Imagem

Alimentação servida na UEPG é uma boa opção para universitários que querem comer bem e pagar pouco

O Restaurante Universitário, conhecido pelos usuários como R.U, oferece um cardápio diferente a cada dia da semana para os estudantes e funcionários da universidade. As refeições são servidas no horário do almoço e do jantar.

O cardápio é variado, contando com macarrão, farofa de cenoura, purê. Em dias de strogonoff, por exemplo, a batata palha, que geralmente acompanha o prato, também é servida. Carne moída, bife de panela, frango, são alguns tipos de carne disponíveis. As saladas são feitas com os legumes e vegetais no Colégio Agrícola (da UEPG).

Crédito: Raphael Gierez

Quem almoça com frequência no local, já percebeu que algumas combinações já estão formadas. Em dia de bisteca à milanesa, sabe-se que também será servida farofa e beterraba. O que não sai do cardápio é o arroz e o feijão preto, que algumas raras vezes é substituído pelo claro (carioca). Recentemente, em abril deste ano, o pedido de muitos vegetarianos foi atendido e a carne de soja entrou para o cardápio.

A comida servida no almoço está sempre quentinha e, muitas vezes, ainda é preparada durante o horário de funcionamento, como é o caso do frango frito. Mas o usuário deve estar preparado, em horários de pico, como ao meio dia, provavelmente enfrentará fila.

No horário da janta, nem sempre isso acontece. Muitas vezes, a comida servida é a mesma do almoço, mas entende-se que, para não haver desperdício, o ‘reaproveitamento’ é totalmente aceitável. À noite também é servido sopa.

Em datas comemorativas, como o Dia do Estudante, a refeição é feita especialmente, e alguns pratos que não circulam nos cardápios da semana são servidos.

Caroline Belini

Serviços:

Preço: R$1,90

Horário de funcionamento: Das 11h ao 12h3 e das

Cardápio disponível no site: uepg.br

10/08/2012

“Bom dia, bom dia, muito bom dia”

Imagem

Programa de notícias matinal deixa de lado os padrões formais e mistura informação com opinião

O Central de Notícias, transmitido pela rádio Mundi FM (99,3), é apresentado pelo deputado federal Sandro Alex (PPS), Eliza Lima e Nilson de Oliveira. O programa se propõe a passar aos ouvintes os acontecimentos do dia em Ponta Grossa, nos Campos Gerais ou no país e, para isso, usa jornais como fonte, dizendo no ar de qual impresso as notícias são retiradas.

            Durante uma hora de programa (das 7h30 às 8h30), repórteres fazem um apanhado dos acontecimentos policiais e esportivos da cidade. César Santos, durante a transmissão do noticiário policial usa gírias escrachadas, se refere aos presos como ‘guardados’ e a falta de imparcialidade é perceptível, pois em vários momentos o repórter deixa clara a sua opinião sobre o assunto.

Foto: Divulgação

            O entretenimento também tem vez no Central de Notícias, quando Eliza conta aos ouvintes quem são os aniversariantes e os santos do dia, a estação do ano, a fase da lua e signos. Notas de falecimento também são transmitidas e, em seguida, uma propaganda de um cemitério local é feita com bom humor, o que causa certa estranheza.

            Ao transmitir as notícias, Sandro faz pausas longas que cansam os ouvintes e dão a impressão de que não houve leitura prévia do apresentador sobre o que será transmitido. Jingles e jargões como “Bom dia, bom dia” são usados durante a transmissão.

            No programa do dia 9 de agosto, o diretor geral dos correios foi entrevistado por Sandro Alex, a respeito da contratação de novos funcionários, mas a entrevista pareceu uma chance para se promover, provinda de ambas as partes e a ‘rasgação de seda’ estava presente em todas as perguntas.

Caroline Belini

Serviço:

Programa Central de Notícias
Horário: De segunda a sexta, 7h30 às 8h30

Rádio Mundi FM 99.3

O programa também é transmitido pela Rádio Central AM, de Ponta Grossa/PR

Etiquetas: ,