Archive for Junho 11th, 2014

11/06/2014

Mais do mesmo

Imagem

Rock Jamp toca músicas que todos os jovens conhecem

 

Com inspiração em músicas predominantemente nacionais de rock, pop e reggae, a banda ‘Rock Jamp’ afirma que gosta de músicas que falam da vida e seu sentido. Criada em 2008, é formada por Pedro Marcello (vocal), Mario Sergio (bateria), Limão (percussão), Luis Dalzoto (guitarra) e Itto Eleutério (baixo) e toca nas noites pontagrossenses, onde já abriu grandes shows como Capital Inicial e O Rappa, ambos em 2013. Apesar de quase não ter composições próprias e pouco explorá-las em palco, o grupo pretende lançar em breve um EP – extended player, uma espécie de cd com menos músicas.

Rock Jamp possui fãs próprios que os acompanham em diversos shows, e por onde passa arrebatam mais alguns. Por tocar canções de grandes nomes popularizados como Charlie Brown Jr., Armandinho, O Rappa, CPM 22 e grandes sucessos dos anos 2000, é difícil não conhecer músicas e relembrar algumas que marcaram a última década durante suas apresentações.

Imagem

Foto: Divulgação

Com um público saindo do chão e soltando a voz, a banda mescla shows mistos e tributos. A partir de influências como de Dinho Ouro Preto – vocalista do Capital Inicial, e Chorão – do Charlie Brown Jr., Pedro Marcello faz algumas referências à política e ao estilo de vida atual da juventude e seus adeptos.

Seu trabalho pode ser visto em diversos barzinhos e festas da cidade. Rock Jamp também possui páginas no Facebook e no Youtube, mas em termos de plataforma online, o conteúdo é bem limitado e poderia ser melhor explorado.

 

Millena Sartori

Serviço: Facebook – https://www.facebook.com/rock.jamp.5

Youtube – https://www.youtube.com/channel/UCnKVwO1IccDcsGqGZO_N1CA

11/06/2014

Navegando no mundo da lua

Imagem

Blog Minilua oferece entretenimento de qualidade para internautas 

 

‘Minilua’ é um blog sobre diversos assuntos que despertam a atenção do público usuário. Ele está no ar desde outubro de 2007, apresentando anteriormente o nome de Megacubo, sendo trocado para Minilua em abril de 2010.
O blog possui um grande acervo de postagens por ser atualizado diariamente com cerca de 5 a 10 publicações. Entre elas, estão envolvidos os seguintes conteúdos: curiosidade, humor, anime, games, filmes, música, assustador, nostalgia, religião e adultos.
Minilua recebe em média 3 mil visitas diárias, sendo que os maiores acessos são nas categorias de humor e curiosidades. Entretanto, o design deixa a desejar, principalmente na página inicial onde não há muitos elementos convidativos a explorar o sítio. Em compensação, os títulos e temas dos posts são atrativos.

Um dos aspectos mais positivos do blog é que não há muita publicidade, podendo ser possível navegar tranquilamente sem que haja incômodo de janelas publicitárias.
O leitor pode ter uma interação aberta com o blog, pois há espaço para comentar as postagens, sala de bate-papo, local para enviar sugestões e ideias. Além de que se o leitor quiser, pode ser assinante do site, recebendo todas as atualizações frequentemente.

A linguagem é coloquial, sendo de fácil entendimento a diversos estilos de leitores. No geral, o que mais chama a atenção nas postagens do blog são as imagens, dependendo do post muitas delas são impactantes e na sua maioria são fotos que chamam a atenção. Além de tudo, o blog é um ótimo instrumento para quem quer aprender coisas novas e desvendar o mundo por trás da internet.

Vinícius Biazotti


11/06/2014

O mundo contido em quatro letras

Imagem

Projeto reúne ilustrações e poemas sobre amor por várias perspectivas

 Em busca de uma maneira mais ampla e menos clichê de olhar para o amor nasceu ‘Desnamorados’, um livro colaborativo de histórias feito por internautas, desconhecidos, poetas e não poetas. Ele reúne diversos materiais relacionados ao tema, como poesias, contos, cartas e crônicas, de pontos de vista diferentes. Porém, o que amarra o livro é o fato de que os personagens, Pilar e Acir, representam todas as histórias contadas no livro.

Como a ideia principal era a coletividade, foi aberto dois canais de colaboração. Você poderia ajudar com dinheiro pelo Catarse, um site de financiamento conjunto, e também enviando seu texto pra eles. Todos os textos enviados estão disponíveis no site.

Imagem

Foto: Divulgação

O projeto foi bem-sucedido e financiado no dia 02 de maio desse ano. A festa de lançamento acontece dia 11 de junho, na Casa Bartira, em São Paulo. O ingresso custa R$20,00, e o ingresso com o livro, R$50,00.

 

Bruna Pedroso

 

Serviço: O livro custa R$ 40,00 e pode ser encontrado pelo contato desnamorados@gmail.com.

 

11/06/2014

Certinho, mas também arrojado, com o Nintendo ligado

Imagem

O estilo dos jovens nerds e ligados em tecnologia se modifica mantendo padrões, e ganha adeptos – não geeks – no mundo todo.

             O termo ‘Geek’, uma gíria britânica que designa o jovem nerd, viciado em jogos e tecnologias digitais, ferramentas intrínsecas à internet e gadgets cada vez mais modernos e peculiares, designa também o estilo desses indivíduos pouco sociáveis e nem tão vaidosos. Mas e o estilo? Seria ele desleixado intencionalmente? Seria apenas uma falta de cuidado?

Grandes empresários como Bill Gates e Steve Jobs já foram adeptos da moda Geek em suas épocas de juventude. Estes jovens produtores de modernas máquinas de processar, sempre utilizavam além da camisa de botão fechadinha, o cabelo quase sempre penteado para o lado, “tal como a mamãe arrumou”.

ImagemFoto: Getty Images

            O vestuário Geek é plural, mistura tendências quase antiquadas das décadas de 50 e 60 com um tipo de moda que remonta ao futuro: elementos formais como gravatas, pull overs e suspensórios, além do clássico óculos de grau.

Hoje em dia, a moda Geek não é vista com os maus olhos dos anos 80 e 90, onde o “descolado” certamente não tinha nada a ver com ser nerd, conseguindo, dependendo da montagem do look, ter algum apelo sensual.

Na atualidade, não apenas Geeks se vestem desta forma, mas várias pessoas também se espelham nesse tipo de visual para montar seus guarda-roupas, mesmo sem nem gostar de jogos eletrônicos ou de ficção científica. Personagens como Sheldon Cooper, da série ‘The Big Bang Theory’ ilustra bem o visual Geek. Camisetas com referências a séries e jogos, como por exemplo a Tri-Force, do jogo The Legend of Zelda, ou a frase Bazinga!, do próprio Sheldon estão cada vez mais persentes dentre os simpatizantes do estilo jovem viciado em tecnologia.

 

Matheus Dias

11/06/2014

A morte conta uma história, e a gente para para escutar

Imagem

Produção é rica em detalhes, mas fica devendo na fidelidade ao livro

O filme “A Menina que Roubava Livros” é dirigido por Brian Percival, fazendo uma adaptação da obra de Markus Zusak. A história do filme é narrada pela morte, o que cria uma característica própria, ressaltando a relação dos personagens presentes no filme. A história é de uma menina, chamada Liesel,  levada com seu irmão para a Alemanha para ser adotada por um casal, pois sua mãe biológica era comunista e sofria perseguição do nazismo. A mania de roubar livros começa quando seu irmão morre durante o caminho e o coveiro deixa cair um exemplar sobre o tumulo do menino.

O período histórico da Segunda Guerra Mundial é bem retratado no filme, já que durante toda a sua duração, a presença de cenas de guerras é constante. É visível ainda a forte influência do nazismo, com as bandeiras presentes nos prédios, nas casas e, principalmente, nas escolas.

Imagem

Liesel tem uma relação mais forte com seu pai, Hans, que a incentiva a ler. Sua mãe, Rosa é mais mal humorada e séria. A menina é incentivada ainda pela mulher do prefeito, Isa. Ela convida Liesel para conhecer e desfrutar de sua biblioteca, todas as vezes que leva as roupas lavadas e passadas por sua mãe. A menina, diante de tantos livros, fica encantada e começa a levá-los para sua casa. Na escola, Rudy se torna seu melhor amigo e companheiro, que busca e traz Liesel da escola, reforçando a imagem de uma amizade verdadeira. Essa relação permanece até o fim da estória.

O filme deixa um pouco a desejar nos detalhes, pois quem leu o livro assiste com a vontade de ver todos os pontos, o que não acontece. Porém, as imagens fotográficas que aparecem são de ótima qualidade, podendo-se perceber a preocupação em aproximar o máximo possível o cenário do filme com a história. Dessa forma, é um filme longo, mas que prende a atenção e provoca os sentimentos dos telespectadores.

11/06/2014

Nutrisabor, que de nutrição não tem nada

Imagem

O Restaurante da cidade de Ponta Grossa que não tem estrutura, mas tem falta de higiene e um péssimo cardápio.

Na cidade de Ponta Grossa existem aproximadamente vinte restaurantes em funcionamento, mas nem todos eles são uma boa opção; esse é o caso do Restaurante Nutri-sabor que fica no centro da cidade. O buffet  fica em um prédio na Rua Coronel Cláudio (calçadão), e é frequentado por muitas pessoas, que podem ser consideradas corajosas de ir em um local de baixíssima qualidade, que pode ser evidenciada em várias características do restaurante, como por exemplo, a comida mal feita e a falta de estrutura.

Restaurante Nutrisabor

O sistema do local é o Buffet livre, que tem como opção:  arroz, feijão,  macarrão, farofa, mingau de milho, lasanha e batata palha. A carne (bife ou frango) é regulada, sendo um por pessoa, e também  alguns tipos de saladas e sobremesa. Pode ser um cardápio vasto, mas mal feito, a lasanha é muito salgada, a carne é gordurenta, é feita na hora, porém as pessoas que cozinhavam estavam em um pequeno espaço e transpiravam em cima do alimento.

Nilson de Paula Junior