Archive for Junho, 2014

27/06/2014

Claros sinais de loucura e descobrimento

livro-aberto

Voltado para o público juvenil, “Claros Sinais de Loucura” aborda pequenos e grandes acontecimentos da adolescência

   Em seu primeiro livro para jovens, Karen Harrington conta a história da menina de 12 anos que coleciona palavras-problemas e adora ler. Sarah Nelson está indo para a sétima série e tem um grande medo: montar sua árvore genealógica e mostrar aos seus colegas de turma um segredo de seu passado. Com apenas dois anos, a mãe tentou afoga-la em uma pia, assim como o irmão, que diferente dela, não sobreviveu. O pai, professor, tornou-se alcóolatra e a mãe foi internada em uma clínica psiquiátrica no Texas após o incidente.

     A maturidade de Sarah, embora seja nova, é descrita em ações que a personagem tem perante o acontecido. Com apenas uma amiga, Lisa, ela se tornou uma menina quieta, que adora procurar palavras novas no dicionário e está decidida a saber mais sobre a mãe e seu passado. A autora escreveu de uma forma simples conflitos entre os grandes acontecimentos da vida de Sarah, como os problemas familiares, e os pequenos acontecimentos, como o fato de nunca ter dado um beijo de língua.

karens2

Foto: Karin Del Nóbile

     Remetendo ao livro de grande sucesso entre os jovens, As Vantagens de Ser Invisível, assim como Charlie, personagem principal da história, Sarah Nelson também escreve cartas a um desconhecido, o advogado do livro O sol é para todos, graças a um trabalho da escola e conforme o número de cartas vai aumentando ele se torna o seu confidente e conselheiro.

     Com linguagem de fácil entendimento e narrativa descontraída, Claros Sinais de Loucura, vai envolvendo o leitor em seu enredo, apresentando a cada capítulo um novo aprendizado na vida da garota que intercala entre a ternura e a amargura, melancólica e ao mesmo tempo feliz. E no final, assim como o grande sucesso de Stephen Chbosky, traz consigo uma história marcante e emocionante, assim como uma nova visão sobre a vida.

Serviço :

Livro: Claros Sinais de Loucura

Autora: Karen Harrington

Disponível em livrarias a R$ 24,90

Karin Del Nóbile

Anúncios
27/06/2014

Derrete o mais gélido dos corações

vitrola

Grande responsável pelo sucesso do filme, trilha sonora de Frozen lembra os musicais da Broadway

           Lançado pelos estúdios Disney em dezembro de 2013, a animação Frozen conquistou a crítica e o público, tornando-se imediato sucesso mundial. A história, porém, não teria tido a repercussão que alcançou se não fosse acompanhada por uma trilha sonora empolgante, que foi recentemente lançada em CD.

            Contando com trinta e três músicas, o álbum traz a trilha sonora completa do filme, entre os instrumentais que podem ser escutados em sua duração e as músicas cantadas pelos personagens, além de duas versões extras da canção “Let it Go”, totalizando trinta e três músicas.

frozen

Foto: divulgação Disney

            Compostas por Christophe Beck em sua segunda parceria com a Disney Animation Studios, os instrumentais da trilha não chegam a ser muito expressivos, precisando do acompanhamento da imagem para serem aproveitadas de forma completa. É perfeitamente clara a influência da música folclórica nórdica nas melodias, referência ao local onde o filme se ambienta (as geladas paisagens da Noruega)

            As dez músicas cantadas pelo elenco, compostas pelo casal Kristen e Robert Lopez, são bem variadas, transitando entre solos muito melódicos e de grande exigência vocal, parecidos com os encontrados em “Os Miseráveis” e “Miss Saigon”, e canções de coro de melodia alegre encontradas em musicais mais leves, como “A Bela e a Fera” e “Hairspray”. No entanto, é inegável a influência do universo do teatro musical na trilha sonora.

            Essa influência não se restringe à melodia das composições. As vozes do elenco também são, em sua maioria, grandes estrelas da Broadway e da West End, destacando-se principalmente Idina Menzel, dubladora da protagonista Elsa. Conhecida na Broadway por sua grande elasticidade vocal, Idina segura muito bem o seu solo que tornou-se o verdadeiro ícone do filme, ‘Let it Go’, e também forma uma boa dupla com Kristen Bell, outra atriz de teatro que empresta voz à princesa Anna, cujas canções são compostas de duetos, boa parte deles com Idina.

            Os pontos baixos do CD são as canções ‘Fixer Upper’, cantada por um coro muito inexpressivo e com uma melodia repetitiva e pobre, e a versão de ‘Let it Go’ cantada por Demi Lovato, que, além de transformar o doce instrumental de piano em um remix agressivo, não possui nem de longe a voz necessária para sequer tentar alcançar as notas originadas pela poderosa Idina.

 Serviço: o CD com a trilha sonora original e também o álbum em português podem ser encontrados nas livrarias da cidade e nas lojas Americanas, além de diversas livrarias acessíveis na internet. O preço fica entre R$25,00 e R$30,00.

Gabriela Gambassi

Etiquetas: , ,
27/06/2014

Doce na medida certa

pratos

A torta trufada da Companhia da Torta agrada por não ser enjoativa

Com duas camadas de recheio e três camadas de massa, a torta trufada da Companhia da Torta conta com uma cobertura de chocolate com detalhes em creme branco. O sabor está entre as 25 opções que a companhia oferece, sendo uma das mais tradicionais servida pelo estabelecimento.

Dentre as várias tortas com ingredientes semelhantes, a trufada se destaca pelo sabor equilibrado. Embora seja inteira feita de chocolate, a torta trufada não é extremamente doce, o que é um ponto positivo pois o prato não se torna enjoativo. O recheio tem um toque amargo, que neutraliza um pouco a doçura do chocolate, deixando o sabor na medida certa.

Embora seja parte do prato, tortas tradicionais, como a da confeitaria Frederica’s coffie huis de Carambeí, costumam trazer o mínimo de massa, prezando pelo recheio cremoso como principal parte do doce. Já a massa da torta da Companhia aparece um pouco mais grossa e ressacada que o normal, e podendo se sobresair sobre o recheio, que é bastante cremoso.

Mesmo com um sabor medido, um pedaço da torta é o suficiente para satisfazer o cliente. O doce é ideal para uma sobremesa, ou café da tarde. O cliente da Companhia da Torta pode consumi-la no estabelecimento ou levá-la pra casa. Se optar por levá-la, há a opção de levar os pedaços individuais ou a torta inteira. Cada pedaço custa R$5,00. Além disso, o estabelecimento oferece rodízio de tortas, com todos os sabores do cardápio.

 Serviço: A Cia da Torta fica na rua Balduíno Taques, 1875. Cada pedaço de torta custa R$5,00.

Adriane Hess

27/06/2014

Alguns infinitos são maiores que outros

 projetor

Com personalidades completamente diferentes uma amizade surge e seguem uma jornada juntos

O filme: A Culpa é das Estrelas estreou no dia 4 de junho deste mês. Inspirado no best-seller de John Green, o filme tem emocionado pessoas no mundo inteiro. Hazel Grace (interpretada por ShaileneWoodley), a personagem principal, é diagnosticada com câncer terminal, os médicos podem aumentar o seu tempo de vida controlando o crescimento dos tumores, e o que a mantêm viva é um aparelho respiratório que carrega para todo lugar como se fosse uma mala. Numa rotina de remédios, livros e quimioterapia, obrigada pela mãe Hazel ia a um grupo de apoio cristão para fazer amizades e conhecer pessoas que também tinham a doença, mas ela não imaginava como isso mudaria a sua vida.

jaq

 Foto: divulgação

Em um dos encontros normais do grupo, Hazel conhece Augustus Waters (interpretado por AnselElgot), que também tivera câncer, e perdeu uma das pernas devido a isso. Cada um possui uma visão da doença, Hazel tem medo de fazer amizades ou de se apaixonar, porque não quer causar dor em ninguém, enquanto Augustus deseja deixar sua marca no mundo, ser reconhecido por algo que tenha feito.

     Do dia para a noite Gus muda a rotina e a vida monótona de Hazel, mesmo com personalidades completamente diferentes, eles ficam amigos rapidamente, e entram numa jornada juntos de apoio um ao outro. Vivem as emoções do primeiro amor, e a cumplicidade que só alguém que já teve a doença poderiam viver.

 

     O filme é extremamente parecido com o livro, e diferente da maioria dos romances adolescentes, encantou e emocionou a todos que assistiram. Em alguns momentos do filme o cinema inteiro se encontrava em silêncio e só a respiração das pessoas podia ser ouvida, todas completamente envolvidas com a história.

     Impossível não se emocionar com a história e seu enredo, a lição que os adolescentes ensinam durante o filme. Esqueça os romances adolescentes água com açúcar porque A Culpa é das Estrelas, vai te encantar de um jeito que você não imagina.

Serviço: Em exibição nos cinemas da cidade

Jaqueline Guerreiro

20/06/2014

Jazz, sanfona e uma volta ao mundo

em cena

Lançando novo seu CD, Marcelo Cigano e Quarteto trazem influências e composições de diversos lugares do mundo

            Última cidade da turnê feita pelo Estado do Paraná, Ponta Grossa sediou na última sexta-feira (13) a apresentação de Marcelo Cigano e Quarteto. A apresentação aconteceu no Centro de Cultura da cidade e trouxe influências de compositores do mundo todo nas 12 músicas tocadas na noite.

            Os músicos de Curitiba só falaram com o público, que ia de crianças a idosos, entre a segunda e a terceira música, mas isso não interferiu na boa apresentação. O que chamou mais atenção entre as apresentações foi o jogo de sons feito pelo baterista Graciliano Zambonin e as participações especiais.

            Na quinta música, Marcelo Cigano, que estava sentado no meio e no centro do palco, chamou o gaiteiro pontagrossensse Leonardo Santos para uma participação especial. Leonardo fez alguns destaques com a gaita e mostrou segurança, o que deixou as músicas em que participou com bastante harmonia com os demais instrumentos (baixo elétrico, guitarra, teclado e sanfona).

karin

            Foto: André Jonsson/Lente Quente

O destaque da noite, porém, foi o filho de Marcelo, Winícius Luiz de 11 anos. Winícius entrou na sétima música para uma participação especial, tocando sanfona ao lado do pai e desde o momento em que apareceu conseguiu a máxima concentração do público. Em momentos da música o garoto tocou apenas com o som da sanfona de Marcelo e do teclado de Alfredo Luiz, avô do garoto e parte do Quarteto.

            A apresentação durou um pouco mais de uma hora e incialmente teria apenas 11 músicas. No final, os músicos se reuniram para o agradecimento e foram aplaudidos em pé e com direito a um coro de “mais um!”.

Serviço:

CD: Marcelo Cigano e Quarteto à venda pela internet e lojas de disco

Show: Marcelo Cigano e Quarteto – informações: facebook.com/marcelosanfoneirocigano

karin Del Nóbile

20/06/2014

Discussão sem estereótipos

outros-giros

Os filmes exibidos pelo projeto “Mácula” propõem debates desprovidos de preconceitos

Quem não quer assistir um filme num sábado a tarde, de graça, e ter uma conversa sobre o filme? Este projeto proporciona isso. Com o tema “Protagonista mulher” em 2014, os filmes exibidos pelo projeto Mácula – ciência e cinema, que é uma iniciativa do Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), propõe uma reflexão sobre o papel das mulheres nos filmes, mas, felizmente, as discussões não pendem para nenhum extremismo de gênero, feminismo ou machismo, o que não limita a “visão” do público, possibilita maior troca de ideias, e mantêm uma discussão racional sobre o assunto. As reuniões no “ópera” tem certo caráter informal, mesmo com um professor da UEPG mediando o debate, e esse caráter contribui mais ainda para as pessoas se sentirem confortáveis para expressar suas opiniões, e, como a participação não se limita ao público acadêmico, há uma pluralidade de ideias sobre o assunto, o que só agrega o debate. Neste ano já foram exibidos cinco filmes, e a previsão é de exibir mais seis filmes até o fim do ano.

macula

Imagem: divulgação

Apesar dessa situação, as cadeiras do auditório B não “colaboram”. No final do filme ou durante o debate é visível que a maioria das pessoas não conseguem “arrumar” uma posição confortável, e quem chega atrasado, ou precisa sair do auditório durante a exibição, não consegue enxergar os degraus, pois não tem nada que os indique, e cria situações desagradáveis como tropeços, ou luzes de celulares ao longo do filme.

Serviço:

A entrada é gratuita, os filmes são exibidos no Cine-teatro Ópera, auditório B, às 15h no dia 09 de agosto, com o filme “Cidade do silêncio”; dia 30 de agosto com o filme “Alexandria”; dia 06 de setembro, o filme exibido será “A fonte das mulheres; dia 27 de setembro é o filme “Tomboy”; dia 11 de outubro, o filme “Flor da neve e o leque secreto”, e o último filme de 2014 será exibido dia 25 de outubro – “E agora, aonde vamos?”. No final do ano serão emitidos certificados pela PROEX com a carga horária da frequência dos participantes.

Bruna Fernandes

Etiquetas: , ,
20/06/2014

Cidade verde, amarelo, branco, azul-anil

moda-e-estilo

Durante a Copa do Mundo 2014, Ponta Grossa abraça a seleção e se veste com as suas cores

De 4 em 4 anos, a Copa do Mundo agita e empolga os brasileiros apaixonados por futebol, que exploram as cores da bandeira para mostrar ao mundo seu amor pela seleção. Roupas e acessórios da seleção não são usados apenas durante os jogos, no dia-a-dia das pessoas as cores são utilizadas e há também diversas lojas que mudaram os uniformes de seus funcionários com temas da Copa.

As lojas estão apostando nas cores e montando suas vitrines com muito verde e amarelo para chamar a atenção dos consumidores. E não são apenas as lojas de roupas que utilizam da ideia. Farmácias, restaurantes, lotéricas… Todas as vitrines agora mudaram seu estilo e investiram no patriotismo para cativar os clientes. As cores estão por toda parte, até mesmo na decoração das casas, que agora trocaram as cortinas por bandeiras do Brasil. Os carros também entraram na dança e durante o período de jogos é difícil encontrar algum veículo sem uma bandeirinha pra fora ou a estampa da bandeira brasileira no capô e retrovisores.

copa

Foto:  Kamila Vintureli

É fato que para essa moda e estilo não é preciso muita regra. Enfeitar, pintar e se vestir com as cores da seleção brasileira em ano de Copa do Mundo no país é tradição e contagia a população. Todo mundo quer mostrar um pouco do seu patriotismo seja com uma camisa da seleção ou bandeirinha na janela do carro.

 

Serviço:

Acessórios da Copa podem ser encontrados em qualquer loja do comércio da cidade

 Kamila Vintureli Felicio  

20/06/2014

Oportunidade para conhecer uma mulher revolucionária

projetor

Frida’, de 2002, é uma porta de entrada para feitos da pintora mexicana                

            Curitiba será a única cidade brasileira a receber, no dia 17 de julho, a exposição ‘Frida Kahlo – suas fotografias’, no Museu Oscar Niemeyer. Apesar da exposição não trazer ao Brasil pinturas de Frida, o filme é uma chance de aproximação à obra e vida de uma das mais notáveis mulheres da história da América Latina.

            Salma Hayek, atriz mexicana que interpretou Kahlo na segunda cinebiografia da artista – a primeira é ‘Frida, Natureza Viva’, de 1986 – conseguiu, com sua atuação, demonstrar todo o drama e excentricidade da vida da pintora. Aos 18 anos de idade, Frida sofreu um acidente que influenciou sua obra. O filme mostra essa passagem com clareza, mas peca por não detalhar a data do começo da carreira da artista.

fridaImagem : divulgação

            O maior “pecado” do longa, contudo, diz respeito à língua. O filme retrata a vida de uma pintora mexicana com uma atriz mexicana, mas é falado em inglês, estranho, para dizer o mínimo. Apesar disso, Salma foi indicada ao Oscar em 2002. O filme ainda concorreu nas categorias melhor figurino e maquiagem naquele ano, um indicativo de que ‘Frida’ é um atrativo aos olhos, em todos os sentidos.

            O elenco de apoio dá consistência ao filme com atuações convincentes, que reforçam que Frida Kahlo esteve longe de ter uma vida comum. Apaixonada, de temperamento forte, e inspirado, a artista teve romances com personagens igualmente históricos como Diego Rivera e Leon Trotsky, bastante explorados no filme. Focando a vida conturbada de Kahlo, o longa acerta e deixa o espectador curioso para conhecer ainda mais sua obra.

Serviço:

Filme: Frida

Ano de lançamento: 2002

Direção: Julie Taylor

Disponível em locadoras e na internet.

 Enrique Bayer

Etiquetas: , ,
20/06/2014

Entre sapos e vaga-lumes pintou um clima

livro-aberto

Uma historinha cheia de encanto amor e delicadeza

 “Ta pintando um clima no brejo” é o novo livro voltado à literatura infantil do contador de histórias, Alfredo Mourão de Andrade. O livro teve seu pré-lançamento no dia 28 de maio de 2014. Em uma linguagem de fácil entendimento e dócil, acompanhada de desenhos bem coloridos que atraem a atenção da criançada.

As suas 16 páginas contam a história do Sapo de Papo Amarelo menino e Vaga-lume menina que ao desenrolar do conto se apaixonam um pelo outro da maneira mais pura possível, sem ligar para a aparência física (assim o narrador comenta no meio da história: “Como pode? Papo Amarelo tão grandão, Vaga-lume tão franzina, uma titica de nada! (…) Ah! Pro amor não tem tamanho: só emoção!”.

sapo

Imagem:divulgação

Brincando com um pouco do regional já no início da historinha, “nas cavas de olaria” remetendo-se ao bairro ponta-grossense Olarias e com os personagens folclóricos e literários que norteiam o imaginário infantil como é o caso dos duendes, sacis, sapo-cururu e a Bruxa do Brejo, vai se tornando uma historinha cheia de encanto e amor com a delicadeza de pequenos insetos adentrando na história como grilos, mariposas e morcegos. Se a intenção de Alfredo era essa, ele acertou!

 

Serviço:

Título: Tá pintando um clima no brejo

Autor: Alfredo Mourão

Editora: Estúdio Texto

Ano: 2014

O livro está à venda nas livrarias da cidade por 15,00 reais

Cássia Aguiar

20/06/2014

O metalcore restaura forças e tem espaço suficiente para crescer

vitrola

Of Mice & Men lança seu terceiro álbum cheio de refrãos melódicos e ossos expostos.

O nome do terceiro álbum da banda Of Mice & Men não poderia ser mais apropriado e isso pode ser percebido em sua tour pela America Latina, que contemplou Curitiba como uma das anfitriãs de um show de alta qualidade. Restoring Foces elevou o grupo a um nível superior, proporcionando seu firmamento no cenário metalcore internacional e o abandono da muleta Warped Tour. O álbum é simultaneamente mais pesado e mais melódico do que as outras produções da banda, que certamente não é a primeira a utilizar efeitos de sintetizadores em suas músicas, mas soube colocar o recurso a seu favor.

“Public Service Announcement” abre o álbum de maneira marcante relembrando a capacidade da banda de criar músicas claramente pesadas, enquanto “Feels Like Forever” e “Bones Exposed” com seus refrãos melódicos e cativantes provavelmente logo tocarão nas rádios americanas voltadas para rock alternativo.

of_mice_and_men_restoring_force

Imagem: divulgação

Outro fator crucial para o sucesso de Restoring Forces é a troca de vocal limpo, agora assumido por Aaron Pauley, dono de uma voz mais suave em relação ao antigo vocalista Shayley Bourget. A mudança proporcionou faixas como “Space Enought To Grow” e “Would You Still Be There”, quase completamente levadas por Aaron, além de ter casado perfeitamente com os screams de Austin Carlile, frontman.

Enquanto diversas bandas do mesmo gênero estão preocupadas em encontrar formas de produzirem músicas mais pesadas e mais técnicas, os californianos parecem ter encontrado a essência do que os tornam diferentes do resto do cenário no qual se encontram através de experimentações, ao mesmo tempo em que se mantém fieis a sua proposta original. O álbum certamente é um novo e promissor capitulo para Of Mice & Men, além de um ótimo lançamento de 2014.

 

Serviço:

O álbum pode ser ouvido na integra no Youtube:

https://www.youtube.com/playlist?list=PLyL7Towtwvlzq5AtlYakjX-QsGUy4TFaR

Além de estar a venda na internet pelo iTunes ao preço de U$ 1.29 a faixa

Mariana Fraga