Archive for Setembro 7th, 2013

07/09/2013

Bons temas, só falta criticar

Imagem
        Já no início de setembro, percebe-se que o Crítica de Ponta ainda deixa a desejar em alguns aspectos. Um deles, a falta de criatividade na titulação das críticas, além de (ainda) haver muita descrição.
     Em três parágrafos, seis repetições do nome Percy. Foi o que ocorreu na editoria ‘Projetor’. Em alguns momentos era necessário falar do nome filme, mas em outras poderia ter substituído pela palavra personagem para ficar menos repetitivo. Além de que, apenas um parágrafo pode-se dizer que houve uma tentativa de crítica, e o resto, apenas descrição. Na ultima linha, a autora fala que “as alterações agradaram o público, que esperou mais de dois anos pela continuação”. Baseado em que tipo de apuração se afirma isso?
     A crítica do jornal Bem estar começou com detalhes do impresso, seguida já de apontamentos críticos, porém, como parece se tratar de um jornal popular, a autora poderia ter se baseado em outro produto do mesmo segmento para comparar as características.  Assim como o texto da editoria ‘Vitrola’, que poderia ter comparado a outra banda com o mesmo estilo.
     Afirmações sem base concreta não foi o que aconteceu na crítica ‘Na tela’, sobre o Jornal da Educativa, onde a autora expõe o conteúdo disponibilizado no you tube e acerta em dizer que a falta de atualização e mesmo formato “podem ser um dos motivos” que não há tanta visualização do canal.
     Já na editoria ‘Pratos & drinks’ a autora consegue deixar o leitor com água na boca já no primeiro parágrafo. A descrição do morango, contextualizando com a história de plantio até a venda na feira, foi uma boa escolha para o texto não ficar apenas descrevendo o sabor da fruta.
     A crítica “Radio Web agita XXII Semana de Comunicação” já começa com um título oportuno, se você trabalha no colunismo social. Poderia ter brincando mais com as palavras, ter deixado menos obvio e quadrado. Quando a autora diz que “o nome do entrevistado é repetido com frequência” não deve ser porque se está falando de uma transmissão radiofônica? Fica a dica para voltar aos manuais.
     ‘Em cena’ soube apresentar o enredo da peça abordada sem contar o desfecho da apresentação, comentando ainda sobre o estilo do ato. Isso faz com que o leitor sinta vontade de ir até o teatro. Já no texto “Estilo que vai além do vestir” traz um tema bem atual, que é desconhecido por grande parte daqueles que não são ligados a moda. Apesar de acertar na escolha temática e ser bem informativo, ainda falta crítica.
     A Ombudsman, contudo, ainda procura críticas no texto da editoria ‘Livro aberto’ e ‘Outros giros’. Em quatro parágrafos, pode-se salvar cerca de 4 a 5 linhas de crítica. O restante limita-se a descrição e tende ao texto jornalístico informativo. Poderiam ter resumido menos, e argumentado mais.
Angélica Szeremeta
07/09/2013

Agenda Cultural

Imagem

 

Sexta-feira – 06/09 – a partir das 18h

Show musical com Alisson Camargo & banda e Banda Guaiamum – No salão: Samuka & Black a noite toda

Local: Leeds English Pub

Informações: (42) 3301-9939

 

Sexta-feira – 06/09 – às 23h

Show de rap com Felipe Ret (RJ), Costa Gold (SP) e outros grupos de Ponta Grossa

Local: Emporio Avenida

Ingressos: feminino – R$ 11,00 masculino – R$ 13,00

 

De sábado – 07/09 – às 9h até domingo – 15/09 – às 18h

1º Congresso de Educação de Ponta Grossa articulado com os eventos: V Feira do Livro, VIII Mostra Pedagógica e II Flicampos

Locais: Complexo Cultural Jovanni Pedro Masini, Cine-Teatro Ópera, Centro de Cultura, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) – Campus Central, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Faculdade União, Serviço Social do Comércio (Sesc), Clube Princesa dos Campos, Unimed Ponta Grossa e Núcleo de Formação Paulo Freire.

Programação completa: http://www.youblisher.com/p/701983-D-P-Guia-Oficial-do-1-Congresso-de-Educacao-de-Ponta-Grossa/

 

Sábado – 07/09 – a partir das 19h

Show musical Gripe Forte com Fábio Elias, Giovanni Caruso, Oneide Diedrich, Ivan Rodrigues das bandas Relespública, Faichecleres, Pelebrói e Blindagem – No salão: Marino Dias & Cliceu Spinassi e Joãozinho & Cacha

Local: Leeds English Pub

Informações: (42) 3301-9939

 

Segunda-feira – 09/09 – 16h

Solenidade de Inauguração – “Mural dos Amigos do Museu Época”

Local: Museu Época 

 

Terça-feira – 10/09 – 19h30

Projeto Tela Alternativa – Exibição do filme “Além das Montanhas” – Cristian Mungiu

Local: Cine-Teatro Ópera – Auditório B

Ingressos: entrada franca

 

Quinta-feira – 12/09 – 20h

Sessão solene – “Outorga de Títulos de Cidadania Honorária de Ponta Grossa”

Local: Cine-Teatro Ópera – Auditório A

Ingressos: entrada franca

07/09/2013

Rádios da Cidade não anunciam eventos locais

ImagemEmissoras ponta-grossenses deixam de lado programação cultural de PG

    Apesar do festival literário (Flicampos) ser um evento cultural importante para Ponta Grossa e região, pouco se fala sobre a proposta no meio radiofônico. A Rádio Difusora AM 690 Mhz optou pela leitura, como de costume, no noticiário matinal as manchetes do dia dos jornais Diário dos Campos e Jornal da Manhã. Na leitura, a Flicampos foi citada apenas em uma manchete do DC intitulada “Escritores de renome no Flicampos”. Um evento que traz para a cidade nomes da literatura (como autores regionais e nacionais) deveria ser estar mais presente na agenda midiática.

ImagemFoto: Divulgação

    A rádio Santana 900 AM, no programa da manhã (das 7h às 8h30) “RS Notícias” de 4 de setembro (4ª-feira), priorizou as reportagens policiais e comerciais, e não a cultura local. Em época de Flicampos na cidade, a emissora não usou de um dos principais horários em sua programação para fomentar ao ouvinte a ida ao festival literário que começa no sábado (7/09).

    A rádio Clube AM 1080 khz é filiada à rede da emissora Bandeirantes e privilegia as notícias da cidade de São Paulo. O programa ‘Primeira hora’, transmitido pela emissora, divide-se entre a programação paulista e a narração de Rogério Serman, que dedica meia hora para obituários, previsão do tempo e notícias, exclusivamente policias, de Ponta Grossa. Na Clube, o Festival Literário ficou de fora na programação do dia quatro de setembro. A Flicampos traz escritores renomados à cidade e cabe às rádios informar os ouvintes. A suitagem de informações de SP é dispensável em relação à programação local.

Aline Czezacki, Rafaela Oliveira, Marília Maciel

Serviço:

Radio Santana 900 AM –http://www.radiosantana.com.br/
07/09/2013

Jornais de PG pouco divulgam II° Flicampos

ImagemDiário dos Campos e Jornal da Manhã agendaram o evento em apenas uma edição entre os dias três e cinco de setembro

     O segundo Festival Literário dos Campos Gerais (Flicampos) começa dia 7 e vai até 15 de setembro. Os diários impressos de Ponta Grossa ter agendaram o evento durante a semana, o Jornal da Manhã na terça-feira e o Diário dos Campos na quarta-feira. Nenhum deles divulgou o Flicampos em todas as edições, nem em forma de nota.

     O Diário dos Campos pautou o evento na editoria Variedades, a partir de uma notícia de assessoria de uma livraria comercial, que apoio o festival. A matéria foca o lançamento de livros no Flicampos e apresenta os escritores, indicando outras obras. Apesar de vir da assessoria, diferente do Jornal da Manhã, o DC trouxe uma fala direta do escritor e músico Humberto Gessinger. A notícia tem um box sobre Ana Maria Machado, presidente da Academia Brasileira de Letras, uma nota de agendamento do evento e um intertítulo sobre o lançamento da biografia do ex-deputado (SP) José Dirceu no Flicampos.

ImagemFoto: Tais Borges

     No Jornal da Manhã, a matéria estava no caderno Mix, e foi menos aprofundada, apresentada como uma agenda em formato jornalístico. A notícia fala sobre os principais participantes do evento, cita os autores e obras, apontando a data e horário das atividades.

     Faltou aos jornais aprofundar mais em um ou outro participante para atrair público ao evento, e também noticiá-lo em mais de uma edição durante a semana, pois nem todos têm acesso diário aos periódicos e podem ficar desinformados sobre o Festival Literário.

Taís Borges

Serviço

Jornal Diário dos Campos e Jornal da Manhã

07/09/2013

O início do ciclo já está disponível

ImagemReviravoltas com guerreiros e bruxos compõem nova obra da literatura juvenil brasileira, da autoria de escritora local

       O que você pensaria se toda a sua vida não passasse de uma mentira? Se sua mãe não fosse quem dizia ser e seu pai, supostamente morto, estivesse vivo? É assim que começa o livro Ciclo do Dragão: O Caminho do Guerreiro, da bacharel em História pela UEPG, Carolina Contini. O dia de Sarah seguia a rotina normal, até que, ao chegar em casa, encontra a mãe correndo perigo. Sarah é uma jovem de 17 anos que se vê perdida numa guerra que surgiu muito antes dela. A garota descobre que é uma Pendragon, ou seja, uma guerreira e feiticeira ao mesmo tempo.

       A autora faz malabarismo com comédia, drama e ação, mexendo com os sentimentos do leitor, passando de risos para a mais pura adrenalina. A linguagem atual e usada por pessoas da faixa etária da personagem principal consegue fazer com que o público sinta-se próximo de Sarah e se identifique com ela. Os dramas presentes no livro envolvem também a questão familiar, como o conflito com os pais e a descoberta de uma família que Sarah não imaginava ter, o que inclui um irmão gêmeo.ImagemFoto: Hellen Gerhards

       A continuação do livro está em andamento, porém sem data definida para publicação. A história criada por Carolina, feita de uma jovem para jovens, é uma combinação de sucesso.

        No dia 7 de setembro começa a programação do II Filicampos, que envolve o 1º Congresso de Educação de Ponta Grossa, V Feira do Livro e VIII Mostra Pedagógica. Carolina é natural de Toledo (PR) e pretende conhecer pela primeira vez a feira no sábado e levanta esperanças de divulgar o livro na edição 2014 do evento literário de PG.

Serviço:

Autora: Carolina Contini

Editora: Buriti.

Nº de páginas: 221

Ano de publicação: 2013

Preço: R$ 25,00

Onde pode ser adquirido: Diretamente com a autora ou no site da editora Buriti.

07/09/2013

Em terra de chapinha quem tem cachos é rainha

ImagemDepois de anos imperando, a chapinha está ficando cada vez mais de lado e abre espaço aos cabelos crespos novamente.

     A famosa “chapinha” foi criada em meados dos anos 1980, pelo engenheiro norte-americano Isaak K. Shero.  Na época era preciso afirmar que o padrão de beleza estabelecido era de que cabelo bom seria cabelo liso. Nessa pegada, em 2004 chegou uma técnica que revolucionou literalmente a cabeça das mulheres no Brasil: a escova japonesa. Na época a jornalista Fátima Bernardes foi uma das pioneiras e, talvez pela influencia, muitas mulheres entraram na onda do cabelo liso.

     Surgiram, assim, vários tipos de escovas, como a marroquina, de açúcar, diamante, chocolate, algodão, inteligente, entre várias outras que chegam ao mesmo resultado. Elas duram em média de seis a sete meses e existe a necessidade de retoque de raiz. Mas a química estraga o cabelo, pois ele não ‘respira’ ou cresce apenas quebra. Por mais que você cuide e use todos os cremes de tratamentos necessários, eles se desgastam mesmo assim.

     Com tantas decepções e frustrações, muitas mulheres voltaram às suas origens e estão assumindo o cabelo crespo e o enrolado. Ele foi muito vangloriado na década de 1970, com famoso estilo “Black Power”, e agora vem ganhando a cabeça das mulheres e até dos homens que estão assumindo sua cor e raça, quebrando o preconceito que tem de si mesmos. Até a mídia está recolocando o estilo novamente em pauta.

     Quem tem cabelos cacheados sabe bem o quanto é trabalhoso mantê-los. Podem ser lindos, charmosos ou versáteis, mas os cuidados precisam ser redobrados e constantes. E, cada vez mais, surgem salões de beleza especializados na área.

Kauana Mendes

 

Serviço:

Valores dos produtos especializados variam ente R$ 10,00 a 150,00

Local: Lojas de Cosméticos

07/09/2013

Setembro entre rosas e literatura

ImagemMídia televisiva local esquece pré-agendamento e divulgação de Congresso educacional

      No ritmo do aniversário de Ponta Grossa, acontece entre 7 e 15 de setembro o primeiro congresso de educação da Cidade. Como o evento pretende homenagear os 100 anos do poeta Vinicius de Moraes e os 50 da revolução Freiriana, literatura e pedagogia entram em sintonia.

     O evento integra com a feira do livro (Flicampos), mostra pedagógica, encontro de quadrinhos e RPG, feira de literacia e linguagens inclusivas, encontro de comunicação e educação, projeto cinema e temas, com um encontro organizado para as atendentes de bibliotecas públicas e também o primeiro encontro “Jovem mídia e educação de Ponta Grossa”.

ImagemFoto: Divulgação

     A Flicampos é um marco literário e educacional que acontece em PG, pelo segundo ano consecutivo, porém a mídia televisiva local ainda não pautou o evento. Para as pessoas que moram em lugares mais afastados e têm pouco acesso às atrações culturais da cidade, a TV e o rádio são as principais fontes de informação. O evento é importante tanto para cidade quanto região, pois através de palestras, oficinas e até mesmo teatros surgem possibilidades de formação e contato de novos leitores.

     A Fundação Municipal de Cultura publicou no site youtube um pequeno teaser de 37 minutos divulgando o Flicampos. O vídeo resume o que acontecerá na feira, focando os lançamentos de livros e os workshops, ao mesmo tempo em que anuncia a presença de escritores estrangeiros, como Gonçalo Manuel Tavares, Carlos Moore e Juan Pablo Villalobos. Mas a TV…

Mariana Tozetto

Serviço:

O teaser pode ser encontrado no canal da fundação de cultura: http://www.youtube.com/user/culturapg1?feature=watch

07/09/2013

Espera-se uma melhora estrutural

ImagemTendas do Flicampos, montadas na Biblioteca Municipal Bruno Enei, garantem espaço maior que edição anterior do evento

            A II edição do Festival Literário Internacional dos Campos Gerais (Flicampos) começa nesta semana. No quesito espaço físico a edição anterior (2012) não teve muitos acertos. A escolha pelo Parque Ambiental favorece pela localização, mais próximo ao centro e ao maior terminal de ônibus. Porém, a grama recém colocada em cima do espelho d’água teve problemas com a chuva e causou o alagamento da área, ao lado de onde aconteceu o Festival.

            O espaço interno das tendas brancas montadas para o evento em 2012 ficou pequeno para o número de visitantes nos dias de mais acesso, como no fim de semana, fazendo com que as pessoas tivessem que se apertar para transitar e que as atrações teatrais e musicais ficassem com pouco espaço hábil para as apresentações.

            Em 2013 o Flicampos mudou de lugar e será realizado em frente à nova biblioteca. Com mais espaço e terreno mais apropriado aos estandes, o festival começa a ganhar forma com a estrutura. No estacionamento da Biblioteca Bruno Enei, aproximadamente 20 tendas brancas já estão montadas. A lona usada na estrutura é a mesma do ano passado, que também aparece em eventos como a Expo&Flor e a Feira da Uva, por exemplo. No entanto, a quantidade de tendas no Flicampos praticamente dobrou de 2012 para 2013.

            O espaço também parece mais apropriado, pois também motiva as pessoas ao uso e conhecimento da biblioteca pública, apesar da distância do centro e dos terminais de ônibus, que dificulta o acesso ao evento.

Maria Luísa Cerri

Serviço:

A Biblioteca Municipal Bruno Enei, onde o evento acontecerá, está localizada no Complexo Cultural Jovani Pedro Masini, na Rua dos Operários, s/n°,  bairro de Olarias, Ponta Grossa/PR

07/09/2013

Cinema e literatura na 2ª edição do Flicampos

ImagemDiscussões e análise de filmes fazem parte da programação do festival

      A 2ª edição do Festival Literário dos Campos Gerais (Flicampos) contará com a participação do projeto de extensão do curso de Letras da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), ‘Cinemas e Temas’, em sua programação. Serão debates e palestras sobre cinema e literatura, introdução ao cinema de horror, introdução à linguagem cinematográfica e análise de filmes baseado em livros.

            A iniciativa da parceria é pertinente, pois cinema e literatura sempre andaram juntos. Inúmeros são os livros que se tornaram filmes e também filmes que se tornaram livros. Alguns dos filmes que serão apresentados na Flicampos pelo ‘Cinemas e Temas’ são adaptações de obras literárias. Como, por exemplo, As meninas, de Lygia Fagundes Telles, adaptada ao cinema e dirigida por Emiliano Ribeiro.

ImagemFoto: Divulgação

            Um dos filmes comentados é o longa Alice no País das Maravilhas (EUA/2010), de Tim Burton, baseado na obra de Lewis Carroll. É o filme mais recente a ser apresentado. A história gira em torno de Alice, uma jovem que passa a seguir um coelho branco apressado, que sempre olha no relógio. Ela entra em um buraco que a leva ao País das Maravilhas, um local onde esteve há 10 anos, apesar de nada se lembrar dele. Lá ela é recepcionada pelo Chapeleiro Maluco e passa a lidar com seres fantásticos e mágicos, além da ira da poderosa Rainha de Copas.

            A mostra de filmes agendada é dedicada às produções de horror, onde serão exibidos clássicos do gênero. A origem do estilo cinematográfico inicia-se juntamente com o surgimento do cinema, em que uma característica da criação é a ligação com o ilusionismo.

Nábila Fernanda

 

Programação do projeto no Flicampos:

07/09 (Sábado)

Palestra “A importância de Qorpo Santo para a literatura e o teatro no Brasil”.

Ministrante: Luan Kugler (Acadêmica de Letras pela UEPG e bolsista PIBIC).

Horário: 16:00

Local: Auditório da Biblioteca

Palestra “Pode a poesia renascer pelo cinema – Manuel de Barros”

Ministrante: Bruno Scuissiatto

Horário: 17:00

Local: Auditório da Biblioteca

08/09 (Domingo)

Mostra de filmes: “Uma introdução ao cinema de horror”

“Nosferatu”, de F. W. Murnau (Alemanha/1922).

Horário: 9:00

Local: Auditório da Biblioteca

Mostra de filmes: “Uma introdução ao cinema de horror”

“A noite dos mortos vivos”, de George Romero (EUA/1968).

Horário: 14:00

Local: Auditório da Biblioteca

09/09 (Segunda)

Mostra de filmes: “Uma introdução ao cinema de horror”

“Desafio do além”/”A casa maldita”, de Robert Wise (EUA/Inglaterra/1963).

Horário: 9:00

Local: Auditório da Biblioteca

Mostra de filmes: “Uma introdução ao cinema de horror”

“O estranho mundo de Zé do Caixão”, de José Mojica Marins (Brasil/1968).

Horário: 14:00

Local: Auditório da Biblioteca

Palestra “Uma introdução ao cinema de horror”.

Ministrantes: Fábio Augusto Steyer e acadêmica Andressa Fernanda Saldanha.

Horário: 19:00

Local: Auditório da Biblioteca

10/09 (Terça)

Palestra “Uma introdução à linguagem cinematográfica”

Ministrante: Fábio Augusto Steyer (UEPG).

Horário: 9:00

Local: Auditório da Biblioteca

Palestra “Às margens da literatura e da história: Luiz Antonio de Assis Brasil”

Ministrante: Rosenéia Hauer (Graduada em Letras pela UEPG e professora da rede Municipal de ensino de Ponta Grossa)

Horário: 13:00

Local: Auditório da Biblioteca

Minicurso “As meninas”: Análise da obra de Lygia Fagundes Telles e da adaptação para o cinema dirigida por Emiliano Ribeiro (Brasil/1995)

Ministrante: Jeanine Javarez (acadêmica de Letras da UEPG e bolsista de iniciação científica).

Horário: 14:00 às 17:30

Local: Auditório da Biblioteca

Apresentação e discussão do filme “Carne Trêmula” (Espanha/1997), de Pedro Almodóvar. Baseado na obra de Ruth Rendell.

Comentários: Caroline Wilt Araújo (Mestranda em Letras pela UEPG).

Horário: 19:00

Local: Auditório da Biblioteca

11/09 (Quarta)

Palestra “A identidade dos índios brasileiros nas narrativas de Gabriel Soares de Sousa, Frei Vicente de Salvador e Anthony Knivet”.

Ministrante: José Luis Schamne (Acadêmico de Letras pela UEPG e bolsista PIBIC).

Horário: 19:00

Local: Auditório da Biblioteca

13/09 (Sexta)

Apresentação e discussão do filme “Morangos Silvestres” (Suécia/1957), de Ingmar Bergman..

Comentários: Maíra Carzino Leite (Acadêmica de Letras pela UEPG).

Horário: 19:00

Local: Auditório da Biblioteca

14/09 (Sábado)

Apresentação e discussão do filme “Alice no País das Maravilhas” (EUA/2010), de Tim Burton. Baseado na obra de Lewis Carroll.

Comentários: Ana Carla Bellon (Mestre em Letras pela UFPR).

Horário: 14:00

Local: Auditório da Biblioteca Pública Municipal (PG)

07/09/2013

Imaginação presente no II Flicampos

ImagemContação de histórias busca estimular criatividade entre os ouvintes, principalmente nas crianças

     O II Festival Literário dos Campos Gerais (Flicampos), em 2013, acontece juntamente com a V Feira do Livro e a VIII Mostra Pedagógica no 1º Congresso de Educação de Ponta Grossa. Além de oficinas culturais, lançamentos de livros, palestras, apresentações musicais e teatros, haverá também espaço para a contação de histórias no Festival. A Feira e a Biblioteca Pública Municipal receberão crianças e adultos para ouvirem as histórias e a interpretação dos contadores.

    Durante o evento, aproximadamente sete momentos ao longo do dia estão reservados para as apresentações de contos. As equipes que irão se apresentar na Feira para a contação são variadas: Bando da Leitura (Lucélia Clarindo), Phellip Gruber, Heloísa Pereira, Alfredo Mourão, Cléo Busatto, Grupo Caipira Viola (Clemente Vieira Santos), Isadora Pauluk, Cassiano Caron, Amigos da Leitura (Jacqueline Medeiros), Nana Toledo, Cleber Silva, além do Grupo da Hora do Conto e da Biblioteca Municipal.

ImagemFoto: Arquivo Cultura Plural

    Em 2012, após 10 anos de hiato na cidade, o Festival voltou no cenário ponta-grossense. O momento de contação de histórias também esteve presente no evento. Algumas escolas municipais levaram os alunos para participar. A maioria deles menores de 10 anos e, alguns estavam nas pré-escolas, ainda não sabiam ler.

  O momento de exposição oral proporcionou que crianças pudessem entrar no universo da ficção mesmo sem estar muito bem habituados ao mundo das letras. Além de ser algo comercial e de divulgação da cultura literária da cidade, a iniciativa também proporciona interação entre os participantes.

Jéssica Natal

 

Serviço:

A II Flicampos estará dos dias 7 a 15 de setembro na Rua dos Operários- Centro

Para ver a programação completa e os horários da contação de histórias, acesse: http://www.youblisher.com/p/701983-D-P-Guia-Oficial-do-1-Congresso-de-Educacao-de-Ponta-Grossa/