Archive for Setembro, 2013

30/09/2013

Um pouco mais de dedicação, revisão e a mágica acontece

ombudsman12-112

     Informação, descrição, criatividade e análise são aspectos essenciais para a formatação de uma boa crítica. Unir esses pontos a um texto coeso e bem estruturado torna a leitura dinâmica e agradável. Nesta semana, o Crítica de Ponta conseguiu, em partes, construir o cenário descrito anteriormente.

     Na editoria Livro Aberto a autora mostra que realmente tinha conhecimento da obra e revela preocupação com a narrativa e a maneira como alguns leitores reagiriam diante do livro. Explicitado no momento em que parafraseia Vinicius de Moraes e diz “os intelectuais que me perdoem, simplicidade é fundamental”.

     Já o texto da editoria Pratos & Drinks mostra-se bem completo, pois não foca apenas nas características superficiais do produto e trabalha os pontos mais específicos, como o modo de preparo e os temperos utilizados.  Além do que, assim como em Um comportamento integrado à estética, as autoras trazem históricos que enriquecem a construção da crítica.
          Ponto negativo para os textos Programação diária, mas nem tanto e Cultura dos pampas é foco no ‘Integração Gaúcha’. O primeiro por não possuir serviço, ter informações soltas e erro de concordância, como no final do segundo parágrafo onde está escrito “pessoas que souberam do evento no dia 18, por exemplo, mesmo interessadas, não podem participar das atividades”. Já na editoria Vitrola, apesar de trazer um começo criativo e interessante, o autor fica apenas na descrição do programa e pouco avança na análise do produto.
          Outro fator que deve ser levado em conta na produção do blog são as fotos, que permitem instigar o leitor, bem como ilustrar a crítica. Porém, dos 10 textos, apenas dois possuíam fotos próprias e não de divulgação.
           Já no que diz respeito à edição, tema que vem sendo pautado frequentemente por outros ombudsman’s, continua-se pecando na padronização e revisão das críticas. É possível perceber isso quando trata de forma distinta a semana literária. Ora grafado “Semana Literária do SESC & 32 anos da Feira do Livro”, ora “Semana Literária Sesc (Serviço Social do Comércio) Ponta Grossa e Feira do Livro 32 anos”. Fica a dúvida. Além disso, passam erros simples de digitação, como “por ser um evento se curta duração”. Vale lembrar que revisar faz parte do processo de aprendizado e nunca é demais.
     No entanto, a expectativa é de que no decorrer das semanas os erros sejam sanados e ocorra uma evolução dos textos, visto que o término do ano letivo está próximo, assim como o ciclo de mais uma safra do Crítica de Ponta.
Edgar Ribas
27/09/2013

Sem erros experimentais no cinema

projetor322

A comédia ‘Os Estagiários’ apresenta uma proposta de humor e sátira em torno da empresa Google

            O filme que chegou ao Brasil com o nome de Os Estagiários é uma comédia norte-americana estrelada pelos atores Owen Wilson e Vince Vaughn. Eles interpretam dois homens de 40 anos que, depois de demitidos de seus empregos, resolvem buscar um trabalho alternativo e conseguem uma vaga na empresa Google.

A representação do Google em Os Estagiários é feita de uma forma bastante satirizada, retomando alguns elementos do filme A Rede Social, como o ambiente de trabalho descontraído e formado pessoas jovens. A relação dos personagens principais com chefes 20 anos mais novos é a fonte dos pontos altos de humor no filme.

Divulgação

Divulgação

Referências à cultura nerd e filmes como X-Men e Harry Potter são recorrentes e servem como instrumentos para gerar situações de humor. A década de 1980 também é lembrada pelos personagens na tentativa de criar um paralelo: antes e depois da internet. Em determinados momentos o filme se torna uma forma de publicidade para a multinacional Google e os produtores parecem na não se preocupar em esconder isso.

A troca de cenários e ambientes é perceptível. O início da história se passa em locais escuros, mas a partir do momento em que eles chegam à empresa de serviços online os cenários tornam-se claros e com a presença de cores vivas, recurso que não deixa o filme cansativo.

Com um roteiro leve e sem profundidade em relação aos personagens, Os Estagiários consegue divertir com uma premissa atual, que desperta interesse principalmente em jovens e pessoas ligadas à tecnologia da informação.

 

Rodrigo Huk

Serviço:

O filme Os Estagiários ficou em cartaz no Multiplex Palladium, centro de PG, entre os dias 20 e 26 de setembro de 2013. O filme tem duração de 119 minutos.

27/09/2013

Se a Ponta Grossa dança, eu danço!

em-cena

Oficinas e apresentações de variados estilos de dança são ofertadas gratuitamente  à população

                A 11ª edição do Setembro em Dança trouxe para a cidade de Ponta Grossa a oportunidade de prestigiar variados estilos de danças. Entre as apresentações da edição 2013 estão o Ministério de Dança Baluarte (jazz e street dance), o grupo de Capoeira Guerreiros dos Palmares, o Grupo de Dança SEST SENAT, o Grupo de Teatro Coisa Nossa, o Grupo Genko, o Grupo Galpão Estância Serrana e também o grupo curitibano Stoss e Cia. de Dança. Alguns destes mais experientes, outros mais novos.

As apresentações foram feitas em variados lugares da cidade, proporcionando um maior acesso ao público local. Um ponto positivo das apresentações em lugares públicos é que elas alcançam mais pessoas, que não possuem o hábito de frequentar apresentações ou aulas de dança e puderam ver as atividades ao passar pelo calçadão, sem ter que se deslocar até um teatro, por exemplo.

Divulgação

Divulgação

Trazer a dança para o grande público também é importante para despertar o interesse em praticá-la. Este hábito tende a gerar melhor qualidade de vida, e muitas vezes constata-se que setores da população precisam de um apoio e convite para despertar o gosto pela dança e adquirir este hábito cultural. As oficinas ofertadas pelo evento proporcionaram um contato mais direto de centenas de moradores de PG com a dança.

Pelo que se constatou, as apresentações agradaram aos variados segmentos de público, desde os que preferem a dança de rua até as danças mais clássicas, como o tango. Algumas atividades tiveram de ser remarcadas em outros lugares ou mesmo canceladas devido ao mau tempo (de chuva). As informações sobre as alterações eram atualizadas na página virtual do evento.

Marcela Ferreira

Serviço:

O encerramento do 11º Setembro em Dança acontece no Cine Teatro Ópera, Centro de PG, em 30/09/2103, às 20h.

27/09/2013

Agora é o que interessa…

entre-linhas12

 

‘Agora São Paulo’ inova na apresentação das notícias, mas em algumas matérias não foge do sensacionalismo

            O jornal Agora São Paulo, que em meados de 2013 também passou a ser vendido na região de Ponta Grossa, possui o caderno principal com 14 páginas, que trazem notícias do cotidiano, economia, Brasil e mundo. Além disso, o jornal possui o caderno ‘Vencer’ relacionado ao esporte e o caderno ‘Show’, que é voltado ao meio cultural e ‘televisivo’ (de espetáculos) e tem formato tabloide.

O diário explora os recursos gráficos (visuais), com fotos, gráficos e tabelas que facilitam a leitura das matérias, além de publicar fotolegendas (imagem com uma pequena nota em baixo).

Divulgação

Divulgação

Um aspecto negativo que chama a atenção é a página de opinião, que ao contrário da maioria que tem uma página exclusiva. O Agora SP tem um espaço reduzido que se limita em apresentar o editorial e o expediente. O jornal não traz artigos de opinião e também não abre espaço aos leitores.

Outro aspecto relevante do jornal são as reportagens, que são pequenas e breves, embora cumprem com o papel jornalístico de informar e ouvir os vários lados de um mesmo acontecimento ou problema. Outro fator ruim é a tentativa de chamar a atenção do leitor, deixando algumas matérias no risco do sensacionalismo. Um fator positivo no jornal é o pouco apelo comercial, pois são apenas quatro páginas com anúncios publicitários.

Além da versão impressa, Agora São Paulo também está disponível em versão online. Na internet, o jornal possui maior número de informações. Porém, durante o dia, as atualizações são demoradas. Em geral, o jornal se mostra interessante para aquelas pessoas que gostam de uma leitura rápida e de informação de qualidade.

Julian Vieira

Serviço:

O jornal Agora São Paulo também é vendido na Região de Ponta Grossa, no valor de R$ 1,50.

27/09/2013

O que seria de uma cidade sem a própria cultura?

livro-aberto

Edital da Fundação Municipal de Cultura patrocina narrativa sobre a vida de ícones da cultura de Ponta Grossa

            Lançado oficialmente na 5ª-feira, 12 de setembro, no II Festival Literário dos Campos Gerais, o livro Biografias 2012 é uma produção que contempla três autoras locais. A obra, dividida em três capítulos, aborda em cada um a vida e contribuição cultural de personalidades ponta-grossenses, escolhidas pelos próprios autores: Lucélia de Cássia Clarindo, João Pilarski e Osvaldo Pilotto. A iniciativa estimula as produções culturais locais e também valoriza a cultura local (princesina).

As narrativas explicam a trajetória das personagens escolhidas pelas autoras (Aída Mansani Lavalle, Nicoly França e Isolde Maria Waldmann) até chegar nos projetos e ações que os destacaram. A linguagem se mostra acessível às várias faixas etárias e a leitura flui. A sensação que se tem é de estar numa conversa informal com um amigo.

Foto: Crys Kuhl

Foto: Crys Kuhl

A sequência das histórias, em cada um dos capítulos, instiga o leitor a entender a razão de narrar a vida dos personagens e, assim, desperta a curiosidade do leitor não somente pelas ações, mas como elas foram alcançadas.

A diagramação interna do livro é direta, pois a fonte, disposição dos parágrafos e espaçamento entre linhas, apesar de variar de um capítulo para outro, contribuem para uma leitura que não exige esforço. As fotos que ilustram passagens dos textos estimulam a imaginação de quem lê, possibilitando visualizar o que está escrito. Na capa, por outro lado, além de não constar o nome das autoras, a escolha da imagem é um problema, pois não chama a atenção ao livro e aparenta que foi escolhido um desenho qualquer.

Crys Kühl

Serviço

O livro pode ser encontrado com as autoras, Nicoly França, Aída Mansani Lavalle e Isolde Maria Waldmann ou na Biblioteca Municipal Bruno Eney. Por ser financiado pela Secretaria de Cultura de Ponta Grossa, sua distribuição é gratuita.

27/09/2013

O teatro é para todos, mas nem todos querem teatro

outros-giros21

Entre comédias e dramas, o ’Ópera’ é a casa de apresentações culturais mais conhecida de Ponta Grossa

O Cine Teatro Ópera é o local onde ocorrem os principais espetáculos de Ponta Grossa. Lá são apresentados teatros, filmes, palestras, danças, festivais de música entre outros. Localizado no centro da cidade, na popular Rua XV, é de fácil acesso pela população. O espaço é antigo, mas foi restaurado em 2004 e encontra-se em bom estado. Tem três auditórios, sendo o maior (A) deles com capacidade para 694 pessoas e o menor (B), para 98 pessoas.

Grande parte dos eventos do Cine Teatro Ópera ocorre no auditório B, tendo em vista que o auditório principal é amplo e fica reservado para apresentações maiores e festivais. O auditório C é pouco conhecido e quase inutilizado devido à sua capacidade reduzida. O auditório A é o único que possui camarotes, mas eles não são utilizados e têm estrutura precária.

Divulgação - Auditório A

Divulgação – Auditório A

Apesar da existência de elevadores para deficientes, o espaço no interior dos auditórios não colabora no acesso. Os cadeirantes, por exemplo, têm dificuldade na movimentação e não podem se sentar no local de sua preferência, pois existem degraus entre as fileiras. Alguns degraus não podem ser vistos no escuro, especialmente os da parte superior do auditório A, o que pode causar acidentes.

O projeto de reforma do Cine Teatro Ópera visava abrigar mais de mil pessoas, mas a capacidade foi reduzida em cerca de 700 pessoas no auditório principal. Mesmo assim, o espaço se mostra suficiente na maioria dos casos, exceto quando o evento tem mais apelo comercial ou se trata de algum festival renomado, o que demonstra, de certa forma, a realidade de ocupação dos espaços culturais pelos ponta-grossenses.

Taís Borges

Serviço:

O Cine Teatro Ópera localiza-se na Rua XV de Novembro, 468, Centro de Ponta Grossa/PR.

27/09/2013

Simples, sem abrir mão do estilo e criatividade

vitrola21

Banda ponta-grossense Diorama lança single, acompanhada de videoclipe romântico

 “Simples” é o último lançamento musical da banda Diorama. O grupo tem como vocalista o ponta-grossense Rogério Wack. A canção faz parte de um CD que ainda será lançado. A música segue um estilo pop, porém romântico, que fala sobre o prazer de desfrutar boas companhias e também a simplicidade da vida a dois. Além do lançamento da música, a banda também gravou um clip para apresentar a canção.

        A letra é simples, como o título da música diz. O refrão é repetido várias vezes durante a canção e não há muitas variações no ritmo. É preciso destacar a participação especial da cantora Marcela Fogaça que, junto com o cantor, garante um clima mais romântico e deixa um ar sentimentalismo na cena da música.

 

Além da canção ser novidade, a banda gravou um clip nas areias do litoral fluminense, onde o grupo vive atualmente. As imagens foram gravadas durante a noite, propositalmente, e a iluminação é feita com velas e lâmpadas amarelas. No clipe, o líder da banda apenas canta, enquanto os outros dois integrantes do grupo tocam violão. O clipe foi lançado há pouco mais de um mês e já tem mais de 1400 visualizações no Youtube, no canal oficial da banda.

A Diorama iniciou suas atividades em 2007 e deixou Ponta Grossa em 2011, para cumprir um contrato com uma gravadora no Rio de Janeiro. A banda teve uma de suas canções, “Once Again”, na trilha sonora de uma novela da TV Globo (Malhação).

Embora residindo atualmente na cidade do Rio de Janeiro, o grupo faz apresentações freqüentes em Ponta Grossa.

Sidnei Sassaki

 

Serviço:

O clipe está disponível no canal oficial da banda no youtube: http://www.youtube.com/user/BandaDioramaOficial?feature=watch

27/09/2013

Proposta simples e direta marca presença

na-tela

Apresentação do programa Espírita busca ideal de clareza e acessibilidade, mas carece de variedades

 Veiculado na TVM, o programa Presença Espírita, objetiva levar ao público a visão espírita em relação à vida e seus valores. Apresentado por Sílvia Sgarbi e Luis Mauricio Martins Resende, uma das edições avaliadas pelo Crítica discute riqueza, dinheiro e trabalho.

No primeiro bloco, os apresentadores falam sobre o assunto a ser discutido e acertam ao criar diálogos com o telespectador. Na maior parte do tempo, Sílvia e Resende demonstram uma capacidade de expressão corporal e linguística, auxiliando na fala limpa, sem atropelos e erros de fala. Mas, por se tratar de uma conversa, sem entretenimento, o programa parece tão simples que faltam diferentes atividades na composição, deixando-o repetitivo e cansativo.

Divulgação

Divulgação

Durante a programação é possível notar a falta de imparcialidade nos “ensinamentos da vida”, o que dificulta a amplitude da proposta. Já no momento da entrevista com Iara Garbuio de Freitas Souza, o assunto principal se mantém em foco e a produção acerta ao apresentar um perfil do entrevistado, facilitando a identificação pelo público. A abertura para a participação do telespectador, que pode fazer perguntas ou participar do sorteio de um livro, via rede social (facebook) ou telefone, no caso do programa ao vivo, é também pertinente, pois oferece mais chances de interessar ao público.

Outro ponto observado é a falta de iluminação e ângulos de filmagem mais diversificados, o que pode cansar o telespectador. Em geral, o programa se destaca por uma linguagem clara, simples e direta. E, por ter um público alvo específico, atinge seu principal objetivo, que é a divulgação da doutrina espírita.

Mariana Okita

Serviço:

Presença Espírita é veiculado pela TVM Canal 14 (cabo local), ao vivo às 21 horas nas quintas-feiras, com reprise durante a semana. O programa tem duração de uma hora (60 min), é dividido em 4 blocos de aproximadamente 15 minutos.

27/09/2013

Não tem música, e tampouco notícia regional

antena

Rádio Joven Pan de Ponta Grossa transmite programas locais, mas não dá destaque para a cidade

A emissora afiliada ponta-grossense da rede Jovem Pan tem a maior parte de sua programação vinda de São Paulo e retransmitida para as rádios filiadas de todo o país. Somente durante as manhãs e as noites os programas são realizados em Ponta Grossa, com locutores locais. O foco da emissora é o entretenimento e a música (popular) internacional, com pouco espaço para programas noticiosos. Os principais programas da Jovem Pan são de música ou humor.

Para quem ouve rádio enquanto vai para algum lugar ou enquanto dirige e gosta das músicas que estão nas principais paradas de sucesso, a Jovem Pan se torna uma boa opção. Porém, não parece ser a melhor pedida para quem busca bons programas jornalísticos ou noticiosos. Em toda a grade da emissora, apenas dois programas são de notícias.

Divulgação

Divulgação

Outro fator deixado de lado é o foco na realidade local. Os poucos programas de notícias da Pan têm conteúdo nacional, sem destaque especial para os acontecimentos de Ponta Grossa. Os únicos acontecimentos da cidade salientados pela rádio são as apresentações musicais, de forma publicitária, algumas vezes sorteando ingressos.

Todavia, o conteúdo humorístico também se torna um atrativo para o público da emissora. Os programas ‘Pânico’ e ‘Missão Impossível’ são os maiores programas em audiência da Jovem Pan, com participações ao vivo por telefonemas durante os programas. Além das participações dentro da programação, os ouvintes podem interagir escolhendo as músicas que serão tocadas durante o dia, sendo que somente as mais pedidas vão ao ar.

Lorraine Almeida

 

Serviço:

Em Ponta Grossa, a rádio Jovem Pan é transmitida na FM 103,50 Mz.

Etiquetas: ,
27/09/2013

Etnias dentro das estampas do momento

 

moda-e-estilo1Inspirações de diferentes culturas geram múltiplas estampas, que conquistam o gosto feminino

O pretinho básico já não é mais o preferido faz tempo. O que ronda o inconsciente feminino, e ecoa nas unhas, capas de celulares e sapatos, é a moda étnica. Desde a estação passada, isso pode ser observado principalmente nas roupas. A moda étnica não é tão inusitada quanto parece. Assim, como o nome sugere, a característica principal da estampa é a forte inspiração e fusão entre variadas culturas.

Nos anos 1960 e 70 foi uma espécie de uniforme entre a cultura hippie. Naquela época a Índia era colonizada pelos ingleses e, então, os hippies aderiram ao estilo indiano, como uma espécie de protesto. Cada estampa é inspirada em determinada cultura, podendo ser africana, indígena ou oriental.

Divulgação

Divulgação

As peças costumam ser compostas por desenhos tribais, com bastante geometricidade. Por isso, deve haver bom senso ao fazer combinações no vestuário. A multiplicidade dos desenhos oferece a possibilidade combinações, seja em ocasiões mais formais, com tons frios, junto com acessórios como pulseiras e colares indianos, ou até mesmo no dia a dia, usados com cores quentes ou pasteis, não esquecendo que também há a opção do bom e velho jeans.

A origem da moda étnica está presente na raiz de determinadas culturas. Esta é uma indicação de que a moda reflete no comportamento social. A identidade visual criada a partir do étnico é o espelho do desenvolvimento, mostra a globalização das culturas que perpetuam o mundo. Apesar de haver este aspecto curioso envolvido nas estampas, muitas vezes, as pessoas são motivadas por um motivo quase óbvio, e simples: “está na moda”.

Mariana Tozetto

Serviço:

Os produtos podem ser encontrados em diversas lojas da cidade. O preço varia conforme o produto e a própria referência (localização, por exemplo) do estabelecimento comercial.