Archive for Maio, 2013

29/05/2013

Agenda Cultural

agenda

 

31/05/2013
Evento: Show Skank
Local: Centro de Eventos de Ponta Grossa – Rua Margaridas s/n, Santa Terezinha
Horário: 21h
Ingressos: R$ 30,00 (pista)
R$ 70,00 (camarote coletivo)

1/06/2013
Evento: Pearl Jam Cover
Atrações: Banda Base 2 – Londrina/PR
+ Samuka & Black no salão a noite toda
Local: Leeds English Pub
Horário: A casa abre às 19h
Reservas e informações: 42 3301 9939
20/05/2013 a 8/06/2013
Evento: Exposição de obras de Veraliz Cominato
Local: Biblioteca Pública Municipal de Ponta Grossa
Ingressos: Entrada Franca

1/06/2013 a 31/07/2013
Evento: IV Festival de Inverno
Local: Teatro Ópera, Centro de Cultura e outros locais
Realização: Fundação Municipal de Cultura
Endereço: Rua Júlia Wanderley, 936
Telefone: (42) 3901.1604
Fax: (42) 3901.1598
Site: http://www.pontagrossa.pr.gov.br
E-mail: cirillobar@yahoo.com.br

11/06/2013
Evento: Ciclo de debates – Livros e Filmes
Filme: A Língua das Mariposas (1999)
Local: Faculdades Secal
Horário: 19h
Participação gratuita com emissão de certificados

3/06/2013
Evento: 1º encontro do programa Conversa Entre Amigos
Livro: O filho eterno
Local: Grande Auditório da UEPG
(Praça Santos Andrade, n. 1) – Centro – Ponta Grossa.
Horário: 19:30.
Maiores informações com:
Thaline Stelzner: projeto.conversaea@outlook.com
Fone: 42 9902-7279
Ou
Secretaria do Mestrado em Linguagem, Identidade e Subjetividade:
UEPG – Praça Santos Andrade, n.1 – Bloco B / Sala 115.
Fone: 42 3230-3321.

7/06/2013
Evento: Amy Winehouse Tribute
Atrações: Banda Vintage Valentine – Curitiba/PR
+ Samuka & Black no salão a noite toda
Local: Leeds English Pub
Horário: A casa abre às 18h
Reservas e informações: 42 3301 9939

7/06/2013
Evento: Milk n’ Blues
Atração: Joãozinho e Caçha na área externa
Local: Choperia Baviera – Rua Senador Pinheiro Machado
Show a partir das 23h
Entrada: R$15,00 (Homens)
R$7,00 (Mulheres)

8/06/2013
Evento:Festa Junina do CAIC
Local: 13h30
Horário: CAIC Reitor Álvaro Augusto Cunha Rocha

Etiquetas:
29/05/2013

De fio a fio, cachecol para tempo frio

moda-e-estiloVárias cores e modelos de cachecóis aparecem no inverno com a função de esquentar o pescoço

      Basta o frio chegar para desenterrar do guarda-roupa as peças mais quentes, e com elas vem os acessórios, como as luvas e os cachecóis. O cachecol é uma tira comprida de lã, feita para enrolar no pescoço. A peça está no vestuário feminino e masculino, porém é uma peça visível apenas em dias frios pois, diferente do lenço, ele é geralmente feito de lã o que o torna difícil de ser usado em situações que não em época de temperaturas mais baixas, principalmente no inverno.

      As lojas também seguem a época, a diversidade de cores e estilos é perceptível quando o frio chega. Geralmente, a partir do mês de maio, as lojas já têm o acessório disponível. O cachecol é funcional, esquenta o pescoço no frio, é usado para complementar o visual e, além disso, é um recurso estilístico para adicionar cor e vida à roupa.

fotos maria luiza cerri Foto: Maria Luísa Cerri

      O diferencial do cachecol, dentre os outros acessórios, é que ele permite o uso da criatividade. O simples ato de enrolar uma faixa pelo pescoço tem várias formas e modalidades, aperfeiçoadas durante o tempo e acompanhando a moda nos renomados desfiles de roupas pelo mundo (como a São Paulo Fashion Week).

     Apesar de qualquer um saber enrolar o cachecol, o nome da modalidade que é enrolado não é conhecido entre a população, mas são no mínimo curiosas estas modalidades. Orelha de coelho, pescoço de tartaruga, infinito e estilo europeu são alguns exemplos. Existem mais de 25 jeitos diferentes para enrolar o cachecol, uns mais simples e outros mais complexos. Até aquela simples jogada para trás tem nome, traduzida do inglês “the toss”, significa lançada.

Maria Luísa Cerri

 

 Serviço: Os cachecóis estão disponíveis nas lojas de roupas e acessórios da cidade

O preço varia entre R$15 e R$60

 

29/05/2013

Soube de uma poesia na calçada

livro abertoPoemas escritos e vendidos por qualquer moeda mostram a vida sob a ótica da tribo urbana dos punks

    Não é preciso ter livros publicados ou muita inspiração para fazer poesias. Basta papel, criatividade e uma motivação maior: a sobrevivência. Em Ponta Grossa, os punks, que ficam no Calçadão da Coronel Cláudio, escrevem sobre os mais variados temas e imprimem o trabalho em folhas de papel branco. Ao caminhar pelo Centro, é muito fácil encontrá-los. Com as roupas pretas características e piercings, eles tentam convencer com um “Olá, posso falar contigo um pouquinho?”.

    Os versos elaborados não pertencem a nenhuma das escolas literárias trabalhadas no Ensino Médio. São livres, às vezes apresentam rimas, outras não. O protesto, porém, está presente no assunto escolhido como o “eu-lírico” poético. O poema “Soube de um mundo”, por exemplo, demonstra a busca por um mundo “sem ódio, sem preconceito, sem rancores e cheio de valores”. A crítica fica presente no final da estrofe, quando o autor escreve que todo o sonho ficou apenas no papel.

Mariana Tozetto - Poema Punk  Keren Foto: Mariana Tozetto

    Os poemas, no entanto, nem sempre são assinados pelos autores. Podem ser escritos pelos grupos que vivem aqui ou em outra cidade, os “brothers” de Curitiba, conforme relatam. Isso, por outro lado, dificulta o reconhecimento do autor que as escreve, pois permanecem no anonimato e o que dizem talvez nunca venha a receber os créditos necessários.

    Juntamente com os poemas, são impressas ilustrações que evidenciam o estilo punk. Desenhos de pessoas com cabelos moicanos sempre aparecem nas bordas das folhas de poesias. Há a tentativa de “ocupar” o papel com a verdadeira ideologia do movimento: autonomia e subversão da cultura.

Keren Bonfim

Serviço: Os poemas podem ser adquiridos no Calçadão de Ponta Grossa por qualquer preço que o transeunte quiser pagar.

29/05/2013

Hello, Goodbye. Ou ‘até logo’

em cenaO musical do Coro da Cidade de Ponta Grossa atraiu mais de 700 pessoas, que se emocionaram no Cine Teatro Ópera

    O Coro Cidade de Ponta Grossa apresentou, na terça-feira, 28 de maio, no Cine Teatro Ópera, o musical, Hello, Goodbye, em referência à banda inglesa, Beatles. O público não se abateu com a fila na compra de ingressos e muito menos com a chuva. Estima-se que 700 pessoas compareceram ao evento.

    O espetáculo teve a participação de aproximadamente 30 artistas, que estavam fantasiados, alguns de hippie, outros de soldado, padre, enfermeira, doente. O coro tocou sucessos da banda de Liverpool, como por exemplo Help, Yesterday, Let it be, Hello Goodbye, Twist and Shout, I Wanna Hold Your Hand, Here Comes the Sun, Hey Jude e All You Need is Love. A interpretação musical que mais se destacou foi a da música Let it be, que emocionou a platéia.

julianFoto: Divulgação

    As coreografias também encantaram o público. A cada intervalo das músicas, longos aplausos e assobios tomavam conta do teatro. No final da música Here Comes the Sun, a interação dos artistas com o público, através de aplausos, fechou a apresentação da noite.

    O Coro da Cidade de Ponta Grossa deixa ‘um gostinho de quero mais’, no primeiro espetáculo oficial do grupo em 2013. As mais recentes apresentações do coro envolveram música celta e cantigas de roda, mas agora o show é composto por rock ‘n’ roll.

    O musical teve duração de uma hora (20h às 21h) e impressionou o público, que apelava para mais apresentações, mas os presentes terão que esperar até o próximo musical do grupo, que já tem data marcada, e acontece no dia 6 de junho, no mesmo local e horário.

Julian Vieira

Serviço: Local: Cine Teatro Ópera – Centro e PG

Horário: 20h às 21h. Ingressos: R$ 6 (inteira), R$ 3 (meia)

Etiquetas: ,
29/05/2013

Não quer ler? Assista a um guia turístico

na-telaPrograma ‘Girando o Mundo’, da TVM, funciona como publicidade para quem quer viajar

    O programa Girando o Mundo, apresentado por Walter Ruppel na TVM, é como um guia turístico para os telespectadores. Durante uma hora, e em quatro blocos, são exibidos vídeos que fazem propaganda de localidades do Brasil e do mundo, fornecidos por consulados e secretarias de turismo. Cada local é introduzido pelo apresentador, que, na ausência de um teleprompter, lê as informações em uma folha que carrega nas mãos, ao mesmo tempo buscando olhar para a câmera.

   O cenário do programa é simples e pequeno, com apenas uma mesa e cadeira onde fica Ruppel. Cada vídeo apresentado tem uma duração aproximada entre cinco e 15 minutos, sem intervalos, o que torna os mais longos cansativos. Alguns deles são feitos com imagens e som de fundo, enquanto outros são narrados, como um documentário-propaganda.

taisFoto: Divulgação

   A interatividade do programa está principalmente na realização de sorteios mensais de uma jaqueta personalizada com o logo do Girando o Mundo entre os telespectadores que mandaram e-mail. O apresentador divulga o contato já no início do programa, sugerindo que se envie a opinião sobre a produção.  Ruppel também aproveita um dos quadros para divulgar uma excursão turística organizada pelo programa a partir de uma agência.

   Girando o Mundo é como um guia turístico televisivo, que apresenta locais possíveis de serem visitados em uma viagem. O programa não tem nenhum tipo de reportagem informativa de teor jornalístico e, portanto, é basicamente publicitário, apesar de esclarecer alguns pontos sobre a cultura do local apresentado e curiosidades.

Taís Borges

 Serviço:

O Programa Girando O Mundo é transmitido pela TVM, canal 14 da TV a cabo, todos os sábados às 22h. O canal também pode ser assistido pela internet em http://redetvm.com.br/aovivo/

29/05/2013

“Só na rádio Leeds você escuta…”

487913_474440032604010_505364212_n2Emissora opta pelo pop rock nacional e provoca interação com os ouvintes pelas redes sociais

     A Leeds é uma rádio web vinculada à casa noturna Leeds. A emissora tem uma programação essencialmente musical. Além da versão na web, pode ser ouvida em iPhone, iPad, iPod e plataforma Android. A opção é pelo pop rock nacional, apesar de ouvintes pedirem algumas bandas internacionais na página do bar no Facebook. Em uma hora de programação apenas uma música internacional tocou.

     A sequência das músicas é de responsabilidade da rádio T (rádio FM de Ponta Grossa). O player de execução é limpo e possui apenas as funções básicas de play, pause e volume, sob a logo do pub. Comentários de ouvintes na página do bar também pedem pela indicação das músicas. O ouvinte que se interessa em buscar a banda que ouve na rádio Leeds não possui nenhuma referência do título da canção. Informar próximo ao player a música que está tocando na rádio resolveria o problema.

jonssonFoto: Divulgação

    É comum escutar faixas de discos ao vivo. Em alguns casos, a música acaba e o ouvinte escuta o cantor chamando a próxima canção do álbum, mas a lista de reprodução adiciona uma música aleatória. Ajustes em músicas ao vivo são essenciais, assim não se corre o risco de criar expectativa falsa no ouvinte. As canções são intercaladas pela vinheta da rádio e o horário.

    Apesar de produzir anúncios de shows relacionados ao bar e promoções de pratos da casa, a rádio Leeds não revela interesse comercializar o serviço. É apenas uma rádio web que toca músicas que se adequam ao estilo do pub. A produção utiliza canções de um mesmo álbum repetidas vezes, o que pode espantar ouvintes que não gostam de um determinado grupo musical.

 

André Jonsson

Serviço: A rádio Leeds pode ser ouvida em http://www.leedspub.com.br

 

 

Etiquetas: , ,
29/05/2013

Nem só na feira se vende pastel gostoso

pratos“Pastel dos chineses” torna-se estável e encontra adesão no gosto popular de PG

     Original da Península Ibérica, o pastel ganha cada vez mais espaço em feiras do Brasil. É uma derivação do tradicional rolinho primavera da culinária chinesa, mas mesmo assim virou “comida típica” do país por meio dos imigrantes chineses, após a Segunda Guerra Mundial.

      Em Ponta Grossa, os pastéis podem ser encontrados na Pastelaria do Chang I, localizada na rua Coronel Dulcídio, esquina com Saldanha Marinho, Centro da Cidade. O recinto existe há 15 anos e oferece três opções de sabores: carne moída, queijo e palmito, o que é um ponto negativo já que muitos lugares possuem mais variedade. O de carne é o mais tradicional da casa. O produto tem aspecto suculento pelo recheio ser misturado com um molho que o deixa pastoso e diferente de outros pastéis da cidade. O tempero agrada por não estar muito salgado ou sem sal. A massa é sequinha (pouco óleo), crocante e por ser dourada têm um aspecto agradável. Os pastéis são fritos na hora e ficam à mostra na estufa em cima do balcão, junto da decoração oriental, até mesmo com calendário chinês.

marieleFoto: Divulgação

    Os pastéis são vendidos por atendentes que parecem desanimadas, mas o dono, que é chinês, compensa. Está sempre sorridente e mesmo com a difícil tarefa de se comunicar com os brasileiros, conquista a clientela. Quando conversa com a família, o proprietário fala somente na língua chinesa. É uma maneira diferente de se sentir na China, mesmo não comendo comidas mais requintadas como yakisoba, tofu frito com vegetais, guioza ou bifum.

     Os estabelecimentos Chang I e II não são dos mesmos proprietários, mas ambos são conhecidos pela instalação de chineses no comércio da cidade.

Mariele Morski

Serviço:

A Pastelaria do Chang I está localizada na Rua Saldanha Marinho, 780.

Horário de funcionamento: Segunda a sexta-feira: das 8h às 19h30

Sábados: 8h às 18h. O pastel custa R$ 2

29/05/2013

Maquiagens, suor e Rock’n’Roll all night!

vitrola21Show da banda Burnin’ Mavericks traz repertório variado ao público pontagrossense

     O tributo ao KISS, da banda Burnin’ Mavericks, aconteceu no Bola 13, centro de Ponta Grossa, dia 17 de maio. A previsão era começar às 22:00, mas a banda subiu no palco apenas depois da 00:30. O atraso, porém, não afetou a animação do público, entretido com o bar e com os vídeos de shows e clipes da banda, que a casa passava no telão enquanto a apresentação não iniciou

     No meio do show, um problema com uma das caixas de som criou uma espera enfadonha pela continuação do tributo. Ignorando as duas esperas pelas músicas, a banda conseguiu entrar no clima quente da banda Kiss. O que prova isso são as maquiagens borradas pelo suor dos integrantes da banda, que conseguiu animar o público. Quem assistia acompanhou a maioria das músicas cantando durante o show.

marcelaFoto: Divulgação

      Para os fãs de Kiss, os agudos na voz da vocalista fizeram falta. O que é compreensível, pois cada pessoa tem sua maneira de cantar. Apesar de não lembrar muito os vocais da banda, a vocalista cantou de maneira agradável. A seleção de músicas agradou ao público, intercalando as mais clássicas com baladinhas famosas, como Forever. Registrou-se, porém, ao final do show falta de mais músicas do Kiss, por ser um tributo. A parte final da apresentação trouxe músicas de outras bandas, como AC/DC e Guns’n’Roses.

      Merece destaque o desempenho do baixista da banda que, em certos momentos, lembrou muito o baixista do Kiss, Gene Simmons. A interação da vocalista com o público também chamou atenção. Para quem é fã de Kiss, o show foi uma oportunidade de escutar canções do grupo tocadas por uma banda de qualidade.

Marcela Ferreira

Serviço:

O próximo show da banda Burnin’ Mavericks ainda não foi divulgado.
Outras informações na página da banda no Facebook. Imagem: Divulgação.

29/05/2013

Preço acessível, produto perecível

outros-giros21Mercados populares nem sempre são a melhor opção e preço não supre vida útil de eletroeletrônicos

     Os ponta-grossenses encontram no Centro de Comércio Popular ‘’paraguaizinho’’, produtos variados e marcas alternativas de preço acessível. O local recebe este apelido popular pelo fato de possuir algumas réplicas de produtos de marcas. Com um ótimo atendimento, os vendedores têm êxito em suas vendas, mas nem sempre o consumidor fica satisfeito por muito tempo, pois a durabilidade dos produtos é seriamente questionável.

     Um dos aspectos marcante do shopping popular e também o dilema do consumidor, é ‘o preço barato versus a qualidade’. O consumidor encontra todos os tipos de carregadores e capas de celular, sombrinhas, bijuterias, CDs, DVDs, brinquedos, vestuário, acessórios e eletroeletrônicos. Por serem marcas baratas e réplicas, a qualidade não é o ponto forte de alguns produtos disponíveis.

     Os aparelhos eletrônicos são os que mais sofrem com problemas em relação à assistência, em algumas lojas não é fornecido ao comprador nenhum tipo de nota fiscal ou garantia de funcionamento do objeto comprado.  Porém em algumas lojas os vendedores asseguram mediante um cartão e notas fiscais de que o produto possui garantia, dando plena segurança ao consumidor.

     O local já é referência para os moradores de Ponta Grossa, por oferecer alternativas rápidas quando se precisa de um produto similar. As lojas são distribuídas em corredores, e seguem uma ordem não muito definida de temas, onde se encontram produtos gerais na frente, roupas e acessórios no centro e eletrônicos ao fundo.

Marília Maciel

Serviço: O Shopping Popular fica próximo da Estação Saudade, Região Central de Ponta Grossa/PR.

29/05/2013

‘Reino Escondido’, clichê encontrado

projetor322Filme utiliza recursos tecnológicos, mas complica na originalidade da história

      Lançado em maio de 2013 e dirigido por Chris Wedge, a animação O Reino Escondido traz novamente para as telonas uma história comum, desta vez  protagonizada por Maria Catarina, garota cheia de problemas que é, por meio de forças sobre-humanas, forçada a imergir no mundo secreto de criaturas da floresta para salvá-lo da destruição.  E, é claro, neste intervalo de tempo, ela se apaixona pelo ‘homem-folha’, Nod.

     Na produção americana, os personagens ganham vida através de vozes como Amanda Seyfried e Beyonce. A dublagem brasileira não prejudica o filme, que é voltado ao público infantil. O efeito 3D acrescenta em nada para a produção, poucas são as cenas onde se nota, de fato, o bom uso do recurso. A maior parte do filme é assistida como uma animação em 2D.

CrysFoto: Divulgação

    Destaque para a humanização da obra em relação ao mundo real. Os recursos gráficos são impecáveis, personagens possuem curvas que remetem à realidade, as cores são intensas e o arranjo dos cenários é bem distribuído. A sonoplastia não é cansativa, pois casa com as cenas, sem ser alta ou baixa demais. Quanto à produção, com exceção do 3D, o filme não peca por excessos ou faltas.

     A reflexão provocada pelo filme remete às apostas de crença, independente do que os outros pensam. A imaginação do receptor é estimulada de maneira sutil, com a linguagem utilizada. O público, composto por adultos acompanhando crianças, reagiu bem à temática e a forma como foi abordada. No final da apresentação, comentários como “foi lindo” e “podemos assistir novamente” ecoaram na sala de cinema.

Crys Kühl

Serviço:

Reino Escondido

Classificação: livre Duração: 1h42. Direção: Chris Wedge. Gênero: Aventura

Em cartaz no Multiplex Palladium entre os dias 24/05 ao 30/05, diariamente às 14h30.

Etiquetas: ,