Archive for Setembro 7th, 2012

07/09/2012

Agenda Cultural

Imagem

Peça “Mente sua mente”

Data: 07/09

Local: Cine-Teatro Pax.

Ingressos: R$ 6,00 no local

 

XXXV – Efapi – Exposição Feira Agropecuária, Indústria e Comercial de Ponta Grossa

Data: 11 a 16/09

Local: Centro de Eventos Cidade de Ponta Grossa

 

1º Festival de Música Sertaneja

Data: 09/09

Local: Salão de Festas da Capela Santa Isabel

Inscrições: R$ 60 dupla e R$ 30 solo.

Almoço com costela de chão, farofa e salada – convites a R$ 15.

 

2° Edição Expo e Flor – Exposição de Flores de Holambra

Data: 01 a 09/09

Local: Parque Ambiental

Horário: 9hs às 21hs

Entrada Franca

3028.2288

www.rotaryalagados.org

 

Exposição “Relíquias do Mundo”

Data: 01/09 a 20/11

Local: Shopping Palladium

Horário: Segunda a Sábado – 10hs às 22hs

Domingo e feriados – 14hs às 20hs

Ingresso: R$20,00

Informações: www.reliquiasdomundo.com

 

Semana Literária & Feira do livro Sesc – 31ª edição

Data: 10 a 13/09

Autor homenageado: Dalton Trevisan

Programação abaixo

 

Mostras literárias 10/09

9 às 10h – 13h30 às 15h30

Local: Centro de Cultura

Público: Livre

 

Espetáculo de Contação de Histórias 10/09

10h às 11h – 13h30 às 14h30 – 15h30 às 16h30

Companhia das Histórias

Centro de Cultura

 

Oficina de Contação de histórias para avós 10/09

13h30 às 17h30

Centro de Cultura

 

Oficina de Contação de histórias para avós 11/09

8h às 11h

Centro de Cultura

 

Mostras literárias 11/09

9h às 10h – 13h30 às 15h30

Centro de Cultura

 

Espetáculo de contação de histórias 11/09

10h às 11h – 13h30 às 14h30 – 15h30 às 16h30

Companhia das Histórias

Centro de Cultura

 

Oficina de Literatura Independente 11/09

13h30 às 17h30

Centro de Cultura

 

Mesa-Redonda 11/09

19h30 às 21h30

Tema: Eu sou o Personagem

Autor: Miguel Sanches Neto

Mediador: Jair Marques

Local: Centro de Cultura

 

Mostras Literárias 12/09

9 às 10h – 13h30 às 15h30

Centro de Cultura

 

Espetáculo de Contação de Histórias 12/09

10 às 11h – 13h30 às 14h30 – 15h30 às 16h30

Companhia das Histórias

Centro de Cultura

 

Oficina de Quadrinhos 12/09

13h30 às 17h30

Centro de Cultura

 

Mesa-Redonda 12/09

19h30 às 21h30

Tema: Poesia em eterno movimento

Autores: Alberto Martins e Fabrício Corsaletti

Mediador: Rafael Schoenherr

Centro de Cultura

 

Mostras Literárias 13/09

9h às 10h – 13h30 Às 15h30

Centro de Cultura

 

Espetáculo de Contação de Histórias 13/09

10h às 11h – 13h30 às 14h30 – 15h30 às 16h30

Companhia das Histórias

Centro de Cultura

 

Oficina de Roteiro Cinematográfico 13/09

13h30 às 17h30

Centro de Cultura

 

Mesa-Redonda 13/09

19h30 às 21h30

Tema: O futuro além do papel

Autores: Profº Caetano Waldrigues Galindo

Mediador: Bruno Scuissiatto

Centro de Cultura

07/09/2012

O quarteto prevalece no Rock dos anos 1980

Imagem

Banda Hyntra consegue atender demanda dos consumidores, mas ainda precisa recordar sua presença historicamente

Composto por quatro integrantes – baterista Rafael Pinheiro, vocalista Marcos Paulo, guitarrista William Santos e baixista André Felipe – a banda Hyntra busca atender a demanda dos fãs, viver da música e chegar aos extremos do país. Mas aí vem o questionamento: qual o público alvo?

Segundo André, que começou na banda em 2011, eles não têm um público alvo, pois tocam para todos. É bom ressaltar que o gênero da Hyntra é o rock e pop rock dos anos 1980. A banda começou há três anos e até o momento já passou por três formações. Marcos Paulo é o único membro que restou da primeira formação. “As outras [formações] deixaram de tocar devido o falta de dedicação e tempo para acompanhar o ritmo e demanda do publico”, diz André.

Infelizmente, o grupo tem apenas quatro músicas próprias. “Uma vida só” e  “Nossas promessas” já foram lançadas, enquanto as outras ainda não foram divulgadas ao público.  O grupo já fez shows na região de Curitiba, Castro, Cascavel e Guarapuava. O nome Hyntra não tem nenhum sentido simbólico e surgiu de uma conversa entre amigos.

Outro ponto que deve ser considerado pelo grupo é a falta de um site próprio, pois facilita o acesso dos fãs às músicas, eventos e até a história da banda. Afinal, todo fã procura conhecer seu ídolo. Vale ressaltar que os integrantes estão sempre presentes para atender aos ouvintes. O show mais recente do grupo aconteceu no Bola 13 (Centro de Ponta Grossa), no dia 6 de setembro.

Temitope J.Aransiola

Serviço:

Banda- Hyntra

Gênero: Rock n Roll e Pop Rock

Show (recente): realizado em 06/09, no Bola 13

Facebook: Hyntra

07/09/2012

Em meio à telona, havia um caminho

Imagem

Diretor de Dois Filhos de Francisco, Breno Silveira, conquista pelo enredo, imagens e trilha sonora

Com um passado conturbado, e implorando pelo esquecimento, um caminhoneiro encontra coragem para a solução dos problemas com ajuda da inocência de um órfão. Este é o tema principal do nacional À Beira do Caminho. Interpretado por João Miguel, o rústico caminhoneiro João percorre as estradas do Brasil há anos, tentando fugir do passado e dos sentimentos que as lembranças diariamente trazem a tona. Em uma situação cotidiana da rotina viajante das estradas, João encontra Duda, interpretado por Vinícius Nascimento, um menino que perdeu a mãe e está em busca do pai que nunca conheceu, e sabe apenas que mora na cidade de São Paulo.

Crédito: divulgação

Imagens do interior do Brasil acompanham durante todo o filme, em um legítimo road movie. A trilha sonora é embalada pela voz de Roberto Carlos, uma vez que o filme foi inspirado em uma das canções do Rei: “Sentado à beira do caminho”.  O drama é contado em cenas do presente que se fundem com memórias do protagonista, João, explicando e contextualizando a história do personagem. Esse flashback prende a atenção do público e provoca reações emotivas durante todo o filme.

Direção e produção valeram-se dos aspectos culturais regionais do povo do interior do Brasil – como modo de falar, roupas, expressões tradicionais e trejeitos de determinadas regiões – para compor os personagens secundários. O ponto questionável é horário em que o filme é rodado na cidade, às 17h, pois há cenas de nudez e insinuação de sexo, impróprias para o horário, já que a classificação indicativa é 12 anos.

Angélica Szeremeta

 

Serviço:

Multiplex Palladium

Elenco Principal: João Miguel, Vinícius Nascimento, Ângelo Antônio e Dira Paes.

Classificação: 12 anos

Programação 31/08 a 06/09

Meia entrada:  R$6,50. Inteira: R$ 13,00

07/09/2012

Não é comida de mãe, mas é feita pelas tias

 

Imagem

Alimentação servida na UEPG é uma boa opção para universitários que querem comer bem e pagar pouco

O Restaurante Universitário, conhecido pelos usuários como R.U, oferece um cardápio diferente a cada dia da semana para os estudantes e funcionários da universidade. As refeições são servidas no horário do almoço e do jantar.

O cardápio é variado, contando com macarrão, farofa de cenoura, purê. Em dias de strogonoff, por exemplo, a batata palha, que geralmente acompanha o prato, também é servida. Carne moída, bife de panela, frango, são alguns tipos de carne disponíveis. As saladas são feitas com os legumes e vegetais no Colégio Agrícola (da UEPG).

Crédito: Raphael Gierez

Quem almoça com frequência no local, já percebeu que algumas combinações já estão formadas. Em dia de bisteca à milanesa, sabe-se que também será servida farofa e beterraba. O que não sai do cardápio é o arroz e o feijão preto, que algumas raras vezes é substituído pelo claro (carioca). Recentemente, em abril deste ano, o pedido de muitos vegetarianos foi atendido e a carne de soja entrou para o cardápio.

A comida servida no almoço está sempre quentinha e, muitas vezes, ainda é preparada durante o horário de funcionamento, como é o caso do frango frito. Mas o usuário deve estar preparado, em horários de pico, como ao meio dia, provavelmente enfrentará fila.

No horário da janta, nem sempre isso acontece. Muitas vezes, a comida servida é a mesma do almoço, mas entende-se que, para não haver desperdício, o ‘reaproveitamento’ é totalmente aceitável. À noite também é servido sopa.

Em datas comemorativas, como o Dia do Estudante, a refeição é feita especialmente, e alguns pratos que não circulam nos cardápios da semana são servidos.

Caroline Belini

Serviços:

Preço: R$1,90

Horário de funcionamento: Das 11h ao 12h3 e das

Cardápio disponível no site: uepg.br

07/09/2012

Entre cores, excessos, expressões e subjetividade

Imagem

O livro “Azul da Prússia” reúne contos com temáticas variadas que exploram situações limites dos personagens

Na quarta-feira, dia 5 de setembro, a escritora Thaty Marcondes lançou o livro “Azul da Prússia”, na Livrarias Curitiba, em Ponta Grossa. São 30 contos que ocupam quase 160 páginas do livro. O prefácio é escrito pelo escritor e crítico literário Miguel Sanches Neto, que compara a linguagem da autora com grandes nomes da literatura paranaense – Dalton Trevisan e e brasileira – Nelson Rodrigues.

Crédito: Aline Czezacki

Ao longo do livro nota-se que a autora desenvolve as narrativas em torno de situações limites. Os contos se passam tanto em localidades do estado, como o Rio Paraná, quanto em países asiáticos, como o Tibet. Os protagonistas morrem, matam, mentem e traem. Em meio a amores, facas e sangue, Thaty escreve objetivamente sobre coisas subjetivas. O conto “Azul da Prússia”, que dá nome ao livro, conta a história de Amália, moça que passa duas das três páginas à espera de respostas. No conto, a autora destaca a cor azul tanto no vestido da moça, quanto na roupa de cama e no céu.

 Os títulos são curtos, dificilmente passando de três palavras. Apesar de quatro contos com nomes que parecem ser de cunho religioso, nenhum deles tem como temática a religião. Como na maioria das outras narrativas, o título é apenas um fator entre todos que envolvem a conto. As narrativas, que têm cerca de três páginas, dão ao leitor uma sensação de “problema resolvido”. Thaty consegue transformar os contos em retratos dos personagens. Muito mais que contar uma história, o livro Azul da Prússia consegue reunir expressões pessoais que tornam o conto um retrato do personagem.

Thainá Kedzierski

 

Serviço:

Livro Azul da Prússia

Autora: Thaty Marcondes

Editora Estúdio Texto, 2012.  Ponta Grossa/PR

161 páginas – Valor: R$ 25,00

07/09/2012

Nova afiliada, mesmas abordagens

Imagem

Jornal SBT Paraná mostra Ponta Grossa de forma generalizada sem fugir do padrão de outras emissoras

Passado um mês da inauguração da TV Guará, a expectativa de ver a propaganda dos programas locais na nova afiliada do SBT em Ponta Grossa difere da realidade. Exibido à noite, no mesmo horário de seu concorrente da outra emissora, o Jornal SBT Paraná apresenta matérias que abordam problemas de Ponta Grossa, sem deixar de lado as outras cidades. As matérias de variados temas abrangem o local, mas também mostram outros municípios que partilham do mesmo problema. O tempo contribui para as “matérias compartilhadas”. Na teoria, são destinados 35 minutos para a programação local, sem contar o tempo dedicado à publicidade nem os eventuais atrasos no início.

Apresentado por Fernanda Rocha e Denian Couto, o jornal SBT Paraná também possuía edição matinal, mais dinâmica por contar com movimentação dos apresentadores entre o estúdio e presença de convidados. Na edição vespertina predomina um tom mais sério e os apresentadores passam mais tempo na bancada. Grande parte das matérias não é totalmente direcionada a um lugar específico, o que é uma estratégia de identificação e economia de tempo. Porém, ao optar por esse formato, o jornal não se aprofunda no tema e pode parecer superficial ao telespectador.

Apesar desse tom mais geral das reportagens, o veículo mostra boa condução e poucos erros técnicos. As matérias são bem produzidas, o que passa credibilidade. O SBT Paraná faz uma cobertura leve dos acontecimentos, apesar de não aprofundar, não difere muito de seus concorrentes, que, mesmo com conteúdo direcionado, possuem pouco tempo para mostrá-lo.

                                                                                                          Thaís Belluzzo

Serviço:
Jornal SBT Paraná

Emissora: SBT, Tv Guará
Exibição: Segunda à sexta, às 18:45

07/09/2012

Sucesso apenas na nomenclatura

Imagem

O uso comercial da Rádio Web Sucesso tem música em demasia e quase não traz informações sobre a cidade

A rádio web surgiu como uma possibilidade de unir a internet e a comunicação em um só local. Algumas estações radiofônicas tradicionais utilizam a mesma programação na transmissão analógica por ondas e na internet. No entanto, as rádios na web têm a possibilidade de publicar fotos, anúncios e vídeos nas páginas do site, o que proporciona uma renda maior aos profissionais responsáveis. Mudando um pouco da teoria para a prática, o que realmente é transmitido nas rádios web?

Crédito: divulgação

As ondas radiofônicas foram utilizadas, primeiramente, como um meio de transmitir o aprendizado, a educação e a difusão da cultura de um povo. Já a rádio web surgiu sem um pretexto, apenas como mais um meio de comunicação. Em Ponta Grossa existem poucas e as que existem não são usadas para servir à população. Um exemplo disso é a Rádio Web Sucesso, que tem em sua programação alguns programas como o ‘Sintonia Apaixonada’, o ‘Arena Sertaneja’ e o ‘Você em Foco’. Pode parecer uma grande variedade de assuntos, porém todos mostram um únicopropósito: a transmissão de músicas populares.

A sinopse do ‘Você em Foco’ mostra um programa de humor, fofocas, comentários e sátiras. Contudo, o que roda são canções e um bloco denominado de ‘Sala de Visita’, onde ‘famosos’ são entrevistados. Parece que a Rádio Web Sucesso é utilizada como plataforma publicitária para outros veículos de comunicação. Com muitas promoções, a rádio serve mais para entreter a população e não informá-la, mesmo que um dos tópicos do site seja relacionado às notícias, o que termina em apenas autopromoção.

Marina Demartini

Serviço:

Rádio Web Sucesso

Site: http://www.radiosucessoweb.com

Programação: divulgada no site

07/09/2012

A internet também é um palco

Imagem

Humorista de Ponta Grossa já se destaca na região e usa a internet pra alcançar outros públicos

Versátil. Assim pode ser definido o humorista castrense, radicado em Ponta Grossa, Diego Castro. O ex-aluno da UEPG foca seu trabalho na comédia em pé (stand up), mas, além disso, Diego também produz conteúdo voltado à internet, com pequenas esquetes de cotidiano do ponta-grossense, sejam elas de “cara limpa” ou interpretando algum personagem.

O canal do Youtube em que o ator expõe os vídeos é o SuperficialmenteDC. Os vídeos das apresentações de comédia stand up sempre revelam um público razoavelmente grande, tendo em vista o tamanho da cidade. E divertido, pois as risadas surgem a todo momento. O ritmo de piadas rápidas, aliado a particularidades da região, são os pontos fortes do texto de Castro. Entretanto, os vídeos são curtos, fato que deixa no espectador um “gostinho de quero mais”.

Apesar de o texto demonstrar qualidade semelhante aos de nomes mais conhecidos no estilo, outros pontos requerem melhoras. A excitação de ver a plateia animada, por vezes, parece fazer o artista atropelar o texto e tirar a chamada “pausa para respirar” do público. Outra falha observada nos vídeos é produção dos mesmos. Som e imagem poderiam ser aperfeiçoados, o que possivelmente renderia mais visualizações no youtube, o que já alavancou a carreira de muitos dos atuais humoristas famosos, como Rafinha Bastos e Danilo Gentili.

A maior particularidade de Diego Castro fica por conta do sotaque, muito característico da região princesina. Com isso, o público dos Campos Gerais se sente identificado com o humorista. Resta saber se nacionalmente isso será um ponto positivo ou negativo.

Raphael Gierez

Serviço:

Canal do Youtube – http://www.youtube.com/user/SuperficialmenteDC

Contato: http://diegocastrodc.com.br/

07/09/2012

Você não está em casa, mas bem-vindo à nossa

Restaurante Bonifácio Grill cria ambiente único e consegue conquistar clientela fiel em menos de três meses

Parece haver uma tradição de que restaurantes precisam, não apenas servir aos clientes boa comida, mas também deixar à sua disposição uma televisão ligada em algum telejornal de emissoras comerciais. Deve ser uma das estratégias daqueles que defendem que o cliente precisa sentir-se em casa. A estratégia pode ser válida e, levando em conta o número de restaurantes que faz isso, pode-se afirmar que é tendência. Só que, quando um carro entra na contramão de uma via de sentido único, ele se destaca, causa estranhamento. Em analogia simplória: restaurante com som ambiente, sem repórter ou comerciais, também se destaca. O Bonifácio Grill, na Avenida München, vai na contramão dos restaurantes da região.

Crédito: divulgação da empresa em redes sociais

As caixas de som instaladas no restaurante, inaugurado em junho desse ano, levam ao ouvinte músicas incomuns. Suaves, com instrumentais melódicos, nada de sucessos do momento, como acontece no Restaurante Luana, nem notícias em volume alto, como no vizinho Homus e no Restaurante Osni. As duas televisões no Bonifácio Grill ficam em closed caption. A impressão que fica: não querem que você sinta-se em casa, mas que você sinta-se bem na casa deles. E funciona. O ambiente muito bem arejado e iluminado (principalmente nas primeiras mesas da entrada do restaurante, posicionadas ao lado de janelas de vidro) não fica sufocado com o sol do meio-dia, problema presente em alguns restaurantes (a combinação comida-calor nunca é agradável). O ambiente entra em consonância com a simpatia no atendimento do local e, seja pela comida, pelo atendimento, ou pelo ambiente, o cliente certamente voltará.

Matheus Lara

 

Serviço:

Restaurante Bonifácio Grill

Endereço: Av. Bonifácio Vilela, 575

Funcionamento: Buffet por quilo de segunda a sábado das 11h às 14h; petiscaria de segunda a sábado a partir das 19h

Preço: R$ 19,90 o quilo

Contato: 3028-4687 e http://facebook.com/bonifaciogrill

07/09/2012

Revista socialite disfarçada de cultura

Imagem

Recém-lançada publicação de variedades agrada no visual, mas timidez do conteúdo não destaca cultura local

A revista DUO, lançada na segunda quinzena de agosto, tem a proposta de tratar de assuntos cotidianos, como saúde, beleza e cultura, entre outros, selecionados para agradar um público regional. O periódico chega a Ponta Grossa com visual gráfico leve e elegante, conteúdo amistoso, linguagem jovem e feminina. A revista conta com 23 profissionais e direção geral de Samuel Antoszcyszen. Com conteúdo ameno, não inova. É uma publicação de variedades, informativa e com publicidade embutida nas reportagens.

Crédito: Daian Lana

 A primeira edição da região princesina abre com artigo de Daniel Petroski, que relata traços da cultura oral de Ponta Grossa.  Leandro Schmitz  faz homenagem ao dia dos pais. O bom humor de Iêda Camargo marca presença no “Diário de uma solteira”. Já os cãezinhos agradecem pela ênfase de Leila Vieira em “Abrigo Animal”. A coluna DUO Social aborda um lado mais humano do que profissional do jornalista Leo Passeti, cidadão honorário de duas cidades da região. A edição traz ainda dois ensaios fotográficos de moda; um usa como pano de fundo a cidade de Ponta Grossa e o outro é sobre noivas.

 O editorial chama para leitura mensal da revista bimestral. O aspecto cultural é proposta da revista, entretanto a particularidade local fica de lado na maior parte do periódico, como se vê nas seções de saúde e gastronomia e na entrevista com Aline Barros, que não compreende nenhuma relação com os Campos Gerais. A revista tem apelo publicitário e a qualidade de impressão e de imagens sobrepõe o conteúdo.

Daian Lana

Serviço:

Produto: Revista DUO

Edição: 01. Ano 01

Publicação Bimestral: Agosto/Setembro 2012

Tiragem: 2 mil

Distribuição: Dirigida

Contatos: http://www.revistaduo.com.br, telefone: 42 9933.8066