Archive for Setembro 1st, 2012

01/09/2012

Agenda Cultural

Atividade: Espetáculo de Teatro “ Aconteceu no Brasil enquanto o ônibus não vem”
Com o grupo Arte da Comédia. Projeto conduzido pelo diretor italiano Roberto Innocente.
Promoção: Núcleo de Tecnologia e Educação da UEPG
Local: Cine-Teatro Ópera- Auditório A
Horários: 19h
Ingressos: Público Direcionado
Mais Informações: PROEX – 3220 3494

Grupo Epíteto Peça Teatral
01, 07 e 08 de setembro, RUA Comendador Miró 1401 Centro
Horário: Entre 20h e 22h (o espetáculo começa quando você chegar)
Ingressos: R$10,00 inteira
R$5,00 meia e antecipados
Classificação: 16 anos

Asterisco Cênico Peça Teatral Centro de Cultura

01 e 08/09, Centro de Cultura de Ponta Grossa
Classificação:16 anos
Valor:
R$6,00 (inteira)
R$3,00(meia)
ENTRADA LIMITA

Expo & Flor Parque Ambiental Ponta Grossa

de 31 de agosto a 9 de setembro

01/09/2012

E a novidade, cadê?

Carambeí, como a maioria das cidades, continua com uma propaganda política sem propostas concretas

Desde o dia 20 de Agosto deste ano a propaganda eleitoral gratuita nos meios de comunicação esta no ar. De segunda a sábado às 7h da manhã todas as emissoras de rádio transmitem as propostas às segundas, quartas e sextas dos candidatos a prefeito e às terças, quintas e sábados dos concorrentes ao cargo de vereador.

No discurso dos vereadores, na maioria dos casos, impera o conservadorismo através de figuras religiosas e de cidadãos tradicionais, que afirmam ter uma posição de acordo com a moral e a fé cristã. Em média 15 candidatos usam o tempo com este enfoque.

Os outros concorrentes apresentam seus números e nome de campanha agradecem quem os apoia e expõem as amplas áreas que vão atuar. Mas qual a novidade de afirmar que vai apresentar projetos para saúde, educação, esporte, habitação, segurança, lazer e igualdade social? Na pratica, é isso que se espera de um cidadão que vai assumir um cargo no legislativo, não? Apenas 15 entre os 108 candidatos apresentam novidades com propostas concretas. É isso que o eleitor busca ouvir: o diferencial, o novo.

No aspecto técnico a qualidade do áudio e uso das trilhas sonoras são corretas por gerarem dinamismo e clareza na fala. Para a aproximação com o ouvinte, usou-se até hits atuais, como ‘Assim Você mata o papai’, do grupo Sorriso Maroto, e ‘Ai se eu te pego’, de Michel Teló. As cortinas que separam a fala de um vereador e outro, são dispostas corretamente, evitando o corte na fala dos concorrentes.

O problema maior são as falas de alguns candidatos que são muita rápidas e extensas, responsáveis por deixar o conteúdo confuso. A falta de experiência com o rádio faz o ouvinte perceber que está sendo dito é lido e que o candidato não tem pleno domínio sobre o asunto. Mas esse não é um problema exclusivo de Carambeí, acontece em outras cidades, como Ponta Grossa.

Karina Chichanoski

01/09/2012

Bastidores do desenvolvimento de uma economia campeira

Um livro pequeno com resgate histórico sobre o crescimento geoeconômico de dois estados

O livro A produção da Miséria nas Sociedades Campeiras Gaúcha e Paranaense trás em 166 páginas e oferece um conteúdo histórico sobre o desenvolvimento do Paraná. A obra dá ênfase aos Campos Gerais, abordando influências e fatos geoeconômicos que fazem parte do desenvolvimento do Rio Grande do Sul e a repercussão da ligação do crescimento dos dois estados. Edu Silvestre de Albuquerque trás em seu dialogo clareza nas informações que torna o conteúdo político- geográfico, que é de natureza séria e complexa, mais fácil de ser interpretado, apresentando tabelas para melhor esclarecer o que é abordado.

Foto: Divulgação

O autor resgata principalmente informações de característica econômica e pauta a repercussão dos resultados desses aspectos, enraizados no passado, em tempos de Tropeirismo, que foi o ponta-pé inicial para a formação (social) dos Campos Gerais, e afloram aos tempos atuais. O livro debate, ainda, o tema do uso do poder público no início do século, e que repercute no que se compreende como miséria social.

No livro aparecem também experiências de quem viveu nas épocas em que o autor discute o assunto Albuquerque também se aprofunda nos aspectos econômicos como investimentos industriais, logística, e até mesmo a imigração que teve um importante papel no desenvolvimento do estado. Albuquerque também questiona os resultados e o que tornou-se a sociedade como consequência de tudo isso. A obra tenta monstrar a luta por hegemonia entre grupos sociais regionais mediante a apropriação de renda.

Yago Rocha

Serviço:
Livro: A produção da miséria nas sociedades campeiras gaúcha e paranaense
Autor: Edu Silvestre de Albuquerque
Editora: Editora UEPG
Tiragem: 500 exemplares

01/09/2012

Sabor da Itália próximo a você

Capitão Caverna’ busca, de maneira pioneira, a apreciação do prato italiano em Ponta Grossa


Há menos de dois anos na cidade, a pizzaria seduz o público com originalidade no cardápio e a procura por padrões da verdadeira pizza italiana. Localizada na Rua Conrado Ramos, no Jardim Carvalho, a ‘Capitão Caverna’ traz no menu 25 opções de escolha, que se dividem entre as tradicionais e especiais. Destaque para o nome dado a algumas pizzas, em alusão ao período das cavernas, pode-se encontrar a Homo Sapiens, Homo Ergaster e a Homem de Neanderthal.

Diferente do que é feito em outros estabelecimentos da cidade, a pizzaria segue os padrões da verdadeira pizza italiana – regulamentada pela Associazione Verace Pizza Napoletana -, onde deve ser feita apenas com farinha, fermento natural ou leveduras de cerveja, água, sal e pode somente ser trabalhada com as mãos, sem uso de rolos, por exemplo.

Foto: Divulgação

Com apenas dois tamanhos: 25cm e 35cm, o local não traz tanta variedade e opções de escolha. Os preços são pouco atrativos, variam entre R$ 16 e 35 R$ para as menores, e R$23 reais e 50 R$ para as maiores, e no pedido só é possível escolher mais de um sabor na pizza maior. Dessa maneira, a preocupação com os padrões exclui determinados públicos que buscam diversidade no tamanho, ao mesmo tempo em que atrai pessoas que visam o diferencial.

No salão, inaugurado há quase três meses, não existe a opção rodízio, apenas o serviço a La Carte. Também é possível observar como os produtos são feitos e a massa chega com certa rapidez. Ao contrário do que ocorre quando o pedido é feito através do disk-entrega, que em dias de maior movimento, como finais de semana, pode demorar 1 hora.

Edgar Ribas

Serviço:
Pizzaria Capitão Caverna
Rua Conrado Ramos, 400
Telefone (42) 3027 – 3232
Website: http://www.capitaocavernapizzeria.com.br/

01/09/2012

Três ambientes em um ponto azul

A Praça Barão do Rio Branco, conhecida como Ponto Azul, no Centro de Ponta Grossa, abriga uma pastelaria, um café e um bar no mesmo local


Quer pastel? Tem. Quer salgado? Tem. Quer bebida? Tem. Quer café? Tem também. O Café e Bar Ponto Azul é um ambiente com grande variedade de opções de comida e bebida. Na fachada, além do nome do bar, está escrito “Pastelaria”, um dos serviços oferecidos. O estabelecimento traz um pouco da memória de Ponta Grossa, pois nas paredes internas têm alguns quadros com fotos antigas do centro da cidade. Mas as fotografias acabam se misturando com vários cartazes de propaganda de marcas de bebida colados na parede.

Outro cartaz à mostra é o anúncio de um show, que acontece no bar: “O melhor do sertanejo acústico com Leandro Silva sexta 15:30h”. Às sextas e aos sábados, há música ao vivo para os clientes, o que aumenta bastante o movimento do bar e também reúne as pessoas que estão ao redor ou passando pela Praça Barão do Rio Branco. Mas mesmo quando não tem música ao vivo, ao lado de fora da lanchonete, uma caixa oferece som aos clientes, e as músicas podem ser ouvidas por quem está dentro ou fora.

Foto: Nicoly França

As mesas e cadeiras são dispostas em frente, ao redor do balcão e ao lado de fora, onde pode ser vista uma grande pintura em cerâmica do cenário do Ponto Azul em 1950, feita em 2004. Outra visão para quem desfruta de um lanche no local é de um chafariz à frente, trabalhado com cerâmica também e tons de azul. A presença das pombas ao redor também compõe o cenário. O bar existe há cerca de sete anos. Ao lado, existem mais três estabelecimentos: Ponto das Flores, Art Ponta e Associação Arte Lilás.


Nicoly França

Serviço:
Estabelecimento: Café e Bar Ponto Azul
Endereço: Praça Barão do Rio Branco 50
Horário: 8h às 20h, de segunda à sábado

01/09/2012

Pelas paredes e corredores

Murais espalhados pelo Campus Central refletem cultura universitária e ajudam no dia a dia dos estudantes da UEPG

Um dos mais democráticos espaços para divulgação e publicação já criados pelo homem é o mural. Neles, você pode fazer anúncios, divulgar uma informação ou mostrar seu trabalho. E, para isso, basta utilizar da criatividade. Com baixo custo de produção, de fácil utilização (é necessário somente papel e tarraxas ou fitas adesivas para que o material esteja fixado no mural) e que, quando bem posicionada, atinge grande número de pessoas, os murais são muito utilizados no Campus Central da UEPG.

Posicionados pelos corredores de todos os blocos da universidade, com pelo menos um por andar, os mais de 20 murais são utilizados por alunos, professores, visitantes e empresas, visando abrir espaço (democrático e gratuito) aos usuários. Os anúncios são muito variados, pois se encontram ofertas de dormitórios e venda de moveis, serviços como revisão de trabalhos, limpeza e aulas de língua estrangeira, propagandas de festas, eventos e shows. Um ponto interessante a se notar é que, quanto mais próximo aos departamentos os espaços são ocupados, em sua maioria, por cartazes de eventos científicos, congressos e comunicados oficiais do curso, ao lado de quadros com horários de aula.

Mesmo sendo um espaço aberto para agenda, negócios e cultura, algumas manifestações ainda são muito raras, principalmente as referentes ao meio cultural. São poucos as manifestações artísticas, que se limitam a pequenos textos e desenhos que, tímidos, às vezes aparecem pregados ao lado de grandes cartazes e dezenas ou centenas de anúncios e logo desaparecem dando espaço a outras propagandas.

Lucas Matos

Serviço:

Os murais encontram-se nos blocos da Universidade Estadual de Ponta Grossa e são de uso público.

Endereço: Praça Santos Andrade

01/09/2012

Passeio pelos diferentes ângulos da vida

Filme do diretor brasileiro Fernando Meirelles traz elenco estrangeiro e pluralidade cultural

Elenco multiétnico, ângulos alternativos e trilha sonora francesa compõem a nova produção do diretor brasileiro, Fernando Meirelles. O filme 360, baseado na peça “La Ronde”, de Arthur Schnitzler, retrata histórias de vida nos quatro cantos do mundo, que de alguma maneira estão interligadas. Mirka (Lucia Siposová) é uma tcheca que, contra a vontade da irmã Anna (Gabriela Marcinkova), vira prostituta para conseguir dinheiro. Seu primeiro cliente é o estrangeiro Michael (Jude Law), casado com Rose (Rachel Weisz). Durante uma viagem de negócios – e diversões – Michael não imagina que a esposa possui um amante brasileiro (Juliano Cazarré), que foi para Londres tentar a sorte com a namorada, Laura (Maria Flor). Após descobrir a traição, Laura decide voltar ao Brasil e, durante a viagem conhece duas figuras: um senhor (Anthony Hopkins) e o jovem Tyler (Ben Foster).

Foto: Divulgação

Ao lidar com tantos personagens ao mesmo tempo, o roteirista Peter Morgan consegue organizar a história de maneira leve e passeia pelos cenários de Paris, Viena e Bratislava sem criar confusão. Ao mesmo tempo, Fernando Meirelles traz consigo técnicas modernas, como conciliar a fala da cena seguinte, com a imagem da cena passada.

O elenco escolhido atua em neutralidade, o necessário para que não note os deslizes. Destaque para o veterano Anthony Hopkins, que faz de seu personagem um verdadeiro gentleman. O filme 360 traz uma história circular, não há início, não há desfecho. O filme objetiva retratar o cotidiano de vidas aleatórias. Opção certa para aqueles interessados no drama.

Luiza Stemmler

Serviço:

Filme: 360

Local: Cine Araújo (Shopping Palladium, Rua Ermelino Leão, 703 – Olarias)

Horário: Diariamente às 20 horas.

Classificação: 16 anos. Duração: 115 minutos.

01/09/2012

Debutantes do pagode contemporâneo


Ponta Grossa recebe o grupo Sorriso Maroto em turnê que comemora recente sucesso midiático

                             O grupo Sorriso Maroto comemora 15 anos de carreira com um grande tour pelo Brasil, mostrando os sucessos “Assim você mata o papai”, que ficou entre as 10 músicas mais tocadas nas rádios em função do sucesso da novela global Avenida Brasil, e “Clichê”.
O CD “Sorriso 15 anos – Ao vivo” contém 14 faixas. A banda consegue diversificar os estilos. Com o uso dos intrumentos que fogem do comum dentro das apresentações de pagode, como guitarra e bateria, torna o grupo mais dinâmico. Além disso, participações especiais como Gusttavo Lima e Trio Ternura atraem um público mais diverso.
Em 1998 a música “Fricote” e “Pimpolho”, ambas do grupo Art Popular, animavam os amantes do gênero. Agora, em 2012, o Sorriso Maroto resgata os sucessos e incluem no set das apresentações. No mês de setembro, Ponta Grossa, no dia 02, e Curitiba no dia 21, marcam a passagem dos cariocas pelo estado do Paraná.

                        Anteriomente, o Sorriso Maroto era mais conhecido por músicas românticas, como “Futuro prometido”. Após o grande sucesso de “Assim você mata o papai”, a banda entrou nos embalos dos sucessos comerciais.
Os ponta-grossenses que pretendem ir ao show no Centro de eventos, tem duas opções. A pista custa R$ 25,00 tanto para as mulheres como para os homens, juntamente a entrega de 1 quilo de alimento. A áreia VIP dispõe de bebidas liberadas, além de uma visão privilegiada do palco e a proximidade dos cantores, o setor sai por R$ 55,00 para as mulheres e R$ 70, 00 para o público masculino. Dependendo da demanda, o preço pode aumentar.

Amauri Barbosa

Serviço:
CD: Sorisso 15 anos – Ao vivo
Gravadora: Som Live
14 faixas
Show: Centro de eventos – 2 de setembro, domingo – 22h
Site: www.gruposorrisomaroto.com.br

Etiquetas: , ,
01/09/2012

Mudam as caras, mas o conteúdo é o mesmo

Entra eleição e sai eleição, a propaganda eleitoral ponta-grossense continua com a cara de sempre

Está no ar desde o dia 21 de agosto até o dia 4 de outubro o Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral (HGPE). Os programas de terça, quinta e sábado são dedicados às coligações e partidos concorrentes ao legislativo local (Câmara Municipal de Vereadores), enquanto as segundas, quartas e sextas são reservadas aos concorrentes ao cargo de prefeito municipal. Durante o programa, que dura meia hora (dividida entre as coligações), os “jingles chicletes” têm espaço reservado em vários momentos.

Foto: Reprodução

O que diferencia os candidatos e as coligações, com certeza, não é a propaganda política, pois essa segue praticamente o mesmo modelo independentemente de partido. Belas imagens dos pontos turísticos e da cidade de Ponta Grossa têm presença garantida na programação. Gravações fora do estúdio são também bastantes comuns. Alguns candidatos, que perambulam pelas vilas, abraçando crianças pretendem dar impressão de proximidade com a população, mas isso acaba indicando um apelo artificial. Com o objetivo de despertar confiança e, é claro, aumentar a votação, os candidatos contam com a participação de figuras conhecidas da política brasileira, como Gleisi Hoffmann e Beto Richa, por exemplo.
Além dos próprios prefeituráveis, a propaganda eleitoral também conta com algumas apresentadoras, que durante a performance mostram-se bastante “forçadas” frente as câmeras. Em contrapartida, os candidatos surpreendem no desempenho, o que indica a existência de treinamentos. A qualidade técnica do horário eleitoral é um ponto de destaque e que supera pontos do conteúdo apresentado durante a campanha na TV.

Cássia Miranda

Serviço:

Emissoras de TV aberta de Ponta Grossa (RPC, SBT e TVE)

De segunda a sábado em todas as emissoras das 13h às 13h30, e das 20h às 20h30