Archive for Maio 11th, 2012

11/05/2012

Agenda Cultural

Exposição Fotográfica Shigueo Murakami

Data: 02/05 a 31/06

Horário: 8h às 21h

Local: Sesc – Rua Theodoro Rosas, 1247

Ingressos: Entrada franca

 

III Feira delícias da vovó

Data: 11/05

Horário: 13:30 às 17:00

Serão comercializados: Pães, bolos, doces, salgados, geleias, cuques e artesanato

Local: Departamento do Idoso – Praça Getúlio Vargas, s/n

Ingressos: Entrada franca

 

Show da Banda Shakedown

Data: 11/05

Horário: 23:00h

Local: Baviera

Ingressos: R$10,00

 

Stand Up Humor em HD

Data: 12/05

Horário: 20h

Local: Cine Teatro Ópera

Ingressos: R$ 15,00 inteira e R$ 7,00 meia. Ingressos antecipados custam meia

 

Show do Michel Teló + Grupo Sambô

Data: 12/05

Horário: 00:00h

Local: Centro de Eventos

Ingressos:

Pista – inteira: R$50,00

Pista – meia: R$25,00

Doadores de quilo de alimento: R$30,00

Backstage: Masculino R$120,00 e Feminino R$100,00

 

Homenagem ao Rei Roberto com Cadillac Dinossauros

Data: 13/05

Horário: 19h

Local: Cine Teatro Ópera

Ingressos: R$10 antecipado

R$15 na hora

 

Tela Alternativa

Filme: O regresso para Bountiful

Duração: 108 min.

Direção: Peter Masterson

Data: 15/05

Horário: 19h30

Local: Auditório B do Cine Teatro Ópera

Ingressos: Entrada franca

 

Diálogos de Ponta

Tema: “Reflexões sobre o cinema documentário”

Palestrante: Eduardo Baggio

Data: 17/05

Horário: 19h

Local: Centro de Cultura

Ingressos: Entrada Franca
Show com a banda Charlie Brown Jr.

Data: 17/05

Horário: 23:00h

Local: Centro de Eventos

Ingressos:

Feminino R$ 20,00 + 1 Kg de alimento

Masculino R$ 25,00 + 1Kg de alimento

11/05/2012

Cascavel não tão distante de Ponta Grossa

Produção técnica questionável e excesso de informalidade enfraquecem a qualidade de programa policial

A transmissão de acidentes, drogas e mortes tornaram-se comuns em programas de cunho policial, mesmo que regionais. Normalmente o apelo informal, que passa a ser popular, é a maneira de chamar a atenção dos telespectadores. Diferente do que já é conhecido, o programa “COP – Canal de Ocorrências Políticas”, da TV Vila Velha, canal 16 do sistema cabo local, faz com que a (questionável) qualidade técnica ultrapasse as barreiras do informal, o que leva a parecer uma produção amadora.

Foto: Divulgação

A apresentação do programa é realizada por “Cascavel”, que permanece o programa inteiro sentado. O apresentador interrompe o programa inúmeras vezes para conversar com o produtor, atrapalhando no desenvolvimento da programação. As matérias veiculadas têm tapes longos, que se baseiam em imagem e música. Em uma das reportagens exibidas na semana, dos 28 minutos utilizados, 22 eram apenas imagem e som, sem intervalos ou intervenções.

Ao voltar de um intervalo, Cascavel faz 15 propagandas seguidas, resultando em mais de 10 minutos. Nas poucas entrevistas realizadas, as pessoas parecem ensaiadas para responder as perguntas feitas. Além disso, os responsáveis pela técnica do programa não acertam enquadramento e som, peças fundamentais para garantir qualidade (editorial) em qualquer produção televisiva.

Como se todos os problemas técnicos já não bastassem, os títulos que acompanham as matérias trazem expressões amplas (como “Desinteligência familiar”), sem sempre condizentes com a linguagem informal a que o programa se propõe. Já as músicas de fundo, normalmente sertanejas, correspondem ao apelo (mais popular), mas enfraquecem a força da notícia policial.

Thainá Kedzierski

Serviço:

TV Vila Velha – Canal 16

COP – Canal de Ocorrências Policiais

De segunda a sexta das 18h às 19h30

11/05/2012

Uma união que tem tudo para dar certo

O jornal ‘Gazeta União’ mistura, em seis páginas, religião e informações sobre diversos temas

Com distribuição mensal e gratuita, o jornal evangélico ‘Gazeta União’ se propõe alcançar as cidades de Ponta Grossa, Carambeí e Castro. A Gazeta faz uma mescla de temas diversos como dicas e notas, na sua maioria ligados a alguma questão religiosa. Todas as informações presentes no jornal dividem espaço com publicidade.

Foto: Gustavo Dornelles

Na edição de abril 2012 a capa possui seis chamadas, sendo que duas são “dicas”. Na primeira dobra o tema ‘Dia das mães’ é o destaque, contanto a história de como a data foi criada e, logo abaixo, entra um texto relacionando à criação da mulher com Deus. A capa fica pouco explorada, pois a publicidade do “Programa União Gospel” e uma nota da Secretaria de Estado do Meio Ambiente ocupam a segunda dobra (inferior). A parte das dicas também disputa espaço com a publicidade do ‘MercadoMóveis’, porém com conteúdo completo. O “Especial Mês das Mães” traz 6 dicas para mãe de primeira viagem com o tom mais emocional, como nos tópicos “Acredite no Instinto Materno” e “Aceite ajuda, para o bem de todos”.

As outras editorias presentes são Direito, Gastronomia Saudável e Imóveis. Direito se resume em uma explicação de uma lei por um advogado, enquanto Gastronomia traz a soja como ingrediente principal, indicando os benefícios do produto e algumas receitas para usar o cereal. Imóveis retoma o formato dicas, orientando o leitor para uma compra segura. O conteúdo da Gazeta União é diverso, porém se os espaços de publicidade e a diagramação fossem mais organizados poderia atrair um maior número de leitores.

Gustavo Dornelles

Serviço:

Distribuição: Gratuita

Impressão: Grafnorte

Tiragem: 7.500

Periodicidade: mensal

Expediente: Grupo União Gospel Comunicações

11/05/2012

Sexo, muitas drogas e techno music

Paraísos Artificiais leva espectadores a um mergulho no mundo das festas rave e das drogas

Repleto de música eletrônica, consumo de drogas ilícitas e sexo, o filme Paraísos Artificiais, de Marcos Prado, tenta reproduzir a realidade das festas raves e de seus frequentadores. O filme conta a história da DJ Érika e do artista Nando, que se conhecem em um destes festivais e seus outros encontros gerados pela cena eletrônica.

O uso recorrente de Flashbacks, que se alternam entre um festival de musica eletrônica no nordeste brasileiro, uma viagem a Amsterdam e o presente no Rio de Janeiro, somado à interação e o convívio dos personagens principais com outros coadjuvantes, mostra um retrato da realidade de muitas famílias da classe média brasileira.

Foto: Divulgação

Um ponto a se destacar no filme é a trilha sonora, somada à câmera e montagem das cenas, principalmente durante as festas, viagens psicotrópicas e as longas cenas de sexo. Em certos momentos, a música e as imagens casam tão bem que é possível se sentir dentro da rave: o jogo de luzes, as alterações de velocidade e tonalidade da musica, que tentam reproduzir o efeito das drogas durante as festas, é impecável e a utilização de luz e sombra em sintonia com a música eletrônica tornam as cenas de sexo mais intensas e interessantes.

Outro ponto observado é a maneira como as drogas são tratadas no filme, pois em nenhum momento são tratadas como um mal à sociedade e sim como qualquer outra droga licita, como álcool e nicotina. Ainda assim, o filme traz os efeitos do consumo exagerado de drogas e os problemas que o envolvimento com as mesmas pode acarretar.

Lucas Matos

Serviço:

Em exibição:

Cine Araujo Shopping Palladium: Diariamente as 21:30

Cine Lumière Shopping Total: Diariamente as 19:30 e 21:30

11/05/2012

Com Michel na balada… De novo

Cantor que virou mania na Europa se reapresenta em Ponta Grossa e público promete lotar Centro de Eventos da cidade

 

O estilo musical Sertanejo Universitário já não pode ser chamado de “sensação do momento”. O ritmo superou a fase da euforia e se estabeleceu como uma marca da música brasileira nos últimos cinco anos. Em todas as regiões do país, cantores do estilo levam multidões aos shows e vendem discos e DVDs aos milhões.

Foto: Divulgação

Em Ponta Grossa, no sábado, 12 de Maio, uma das atrações de maior sucesso na atualidade se apresenta no Centro de Eventos. Michel Teló, intérprete das famosas canções “Ai se eu te pego”, “Fugidinha” e “Humilde Residência” volta à cidade menos de seis meses depois de sua apresentação na München Fest 2011.

O repertório do cantor se encaixa no que se tem chamado de 4ª era sertaneja (assim como Luan Santana, Gusttavo Lima, Jorge e Mateus, Fernando e Sorocaba, entre outros), traz composições que exploram a guitarra, o baixo e a bateria enquanto mesclam sanfona e a viola (típica do ritmo sertanejo) em músicas mais aceleradas. Ex-integrante do Grupo Tradição, Michel Teló possivelmente trará ao público ponta-grossense canções da antiga banda e músicas de seu DVD – Michel na Balada, o mesmo apresentado em sua última passagem pela cidade.

Salvo algumas novidades lançadas em 2012, o cantor não tem muito mais a mostrar, embora seja esperado que as pessoas lotem o Centro de Eventos. De todo modo, o retorno de Michel Teló em tão pouco tempo sublinha a popularidade do sertanejo universitário em Ponta Grossa, mas também ressalta a pouca pluralidade dos eventos e atrações oferecidos à população.

Hellen Bizerra

 

Serviço:

Ingressos

Pista – Inteira: R$ 50,00

Pista – Meia-entrada: R$ 25,00

Doadores de Quilo de Alimento: R$ 30,00

Backstage: Masculino R$120,00 e Feminino R$100,00

Pontos de Venda
PLAY Conveniências; Óticas Diniz – calçadão, Nova Russia, Avenida e ShoppingPalladium
Shopping Antartica (primeiro piso)

11/05/2012

A Era de Ouro pretende voltar!

Rádio Novela Corina Portugal relembra o auge do rádio, mas primeiros capítulos apresentam falha na produção

Baseada no livro de Josué Corrêa Fernandes, a rádio novela Corina Portugal – História de Sangue e Luz é uma adaptação de Américo Nunnes e Lucélia Clarindo transmitida pela Rádio Difusora AM 690, de segunda a sexta-feira às 12h, com reprises no sábado às 18h e domingo às 13h. O primeiro capítulo foi apresentado dia 7 de maio, segunda-feira.

Num resumo dos três primeiros capítulos apresentados, a novela remonta a história da santa popular de Ponta Grossa. Nascida em 1869, filha de um renomado médico do Rio de Janeiro, perde a mãe muito cedo e é criada pela avó materna, que morre quando Corina é criança. A menina passa a viver com a tia e o clímax do terceiro capítulo é quando Corina, com 15 anos, e Alfredo, de 26, apaixonam-se e passam a se encontrar frequentemente.

Foto: Divulgação

O que se observa nos capítulos iniciais é uma falta de padronização na apresentação da novela ao ouvinte. No primeiro episódio, um homem faz a chamada para o programa, já no segundo e no terceiro é uma mulher que apresenta. O número de atores que participam da gravação também varia na apresentação. No primeiro e terceiro capítulos aparece somente a equipe de adaptação de texto, no segundo programa aparece a lista das equipes de elenco, sonoplastia, gravação, narração, tema musical e direção geral.

A sonorização foi bem elaborada, apesar da música ao fundo do narrador apresentar um suspense que não existe no texto. As músicas de época permitem ao ouvinte viajar pelo século XIX. Apesar das pequenas falhas, é válida a tentativa de resgate de novelas no rádio, que agradaram tanto durante os anos 1940 e 1960.

Ana Paula Schreider

Serviço:

Rádio Novela Corina Portugal: segunda à sexta 12h / Sábado 18h / Domingo 13h

Rádio Difusora AM 690

Fone: (42) 3027-7090

Os programas já apresentados podem ser ouvidos em: www.difusora690.com

11/05/2012

O teatro volta a viajar nas ondas do rádio

A Rádio Difusora AM 690 reaviva a rádio novela, para contar a história da santa popular Corina Portugal

A crítica “em cena” da semana não é exatamente em cena. Deixe-se de lado as 4 paredes do Palco Italiano, o palco cercado por público por três lados do Teatro, e todo e qualquer tipo de palco físico, material. Trata-se de um teatro diferente. A série de apresentações analisada por este texto vai ao público diretamente em sua casa, no seu carro, no seu trabalho ou em qualquer outro lugar onde as ondas de rádio possam alcançar o (a) ouvinte.

Foto: Divulgação

A Rádio Difusora AM 690, com apoio da Secretaria de Cultura de Ponta Grossa, retoma um antigo modelo de programa radiofônico, estreando na segunda-feira, 7 de maio, a Rádio Novela ”Corina Portugal. História de Sangue & Luz”, produzida a partir do livro homônimo de Josué Corrêa Fernandes, que se baseia na história real de Corina Portugal, considerada santa pela crença popular dos Campos Gerais.

A Rádio nos episódios iniciais, conta os primeiros passos da protagonista, Corina Portugal. A voz e o jeito de falar do narrador, aliados a singularidade da vida de Corina e às demais falas, entre as quais distinguem-se algumas vozes conhecidas, conseguem manter o ouvinte preso à novela. A trilha sonora, bem colocada, dinamiza o conto e facilita a compreensão de ouvintes.

A falta de recursos visuais, sempre presentes no teatro, alimenta a imaginação, mas enfraquece o impacto da produção sobre o público. A produção também se afasta do teatro por utilizar-se de uma linguagem politicamente correta, sem ”imagens” fortes, mais difícil de perturbar o público, como uma peça de teatro deve fazer.

Rubens Anater

Serviço:

Rádio Novela Corina Portugal: segunda à sexta 12h / Sábado 18h / Domingo 13h

Rádio Difusora AM 690

Fone: (42) 3027-7090

Os programas já apresentados podem ser ouvidos em: www.difusora690.com

11/05/2012

Quando a loucura cede espaço à lucidez

Autora ponta-grossense discute, em seu primeiro livro, assuntos controversos da vida cotidiana

O surpreendente na existência humana é que, mesmo em situações inusitadas, se aprende algo”. Nenhuma outra frase poderia resumir melhor o que o primeiro livro da autora ponta-grossense Lucia Helena Barros do Valle quer transmitir: “O Mercador de Ideias”. O lançamento foi no dia 03/05/12, durante a I Feira Literária dos Campos Gerais.

Foto: Christopher Eudes

Foto: Christopher Eudes

A obra, enquadrada tanto no gênero de ficção quanto no de autoajuda, foi publicada neste ano pela editora Estúdio Texto e traz uma reflexão filosófica em torno de diversos assuntos, destacando-se a educação. Para tanto, a autora baseou-se principalmente nos anos em que lecionou filosofia para estudantes do ensino médio no Colégio Estadual Polivalente.

O romance gira em torno de Hipnos, um pacato vendedor de livros, que viu sua vida se transformar ao descobrir que possuía o dom de ouvir as ideias que os professores tinham e não colocavam em prática por diferentes obstáculos. A partir disso, tomou para si um conflito em busca do conhecimento a fim de difundir as aspirações não postas em prática pelos mestres.

A leitura é dinâmica e encanta o leitor com seu enredo bem estruturado, apoiado em descrições enxutas, porém suficientes das cenas cotidianas do personagem. A linguagem é um pouco rebuscada, mas as histórias, que aparecem no decorrer da leitura, fazem com que qualquer faixa etária se interesse pela obra.

Lucia do Valle trata de diversos assuntos comuns entre os humanos, como a morte, de forma singela, porém baseada em grandes pensadores que asseguram uma leitura construtora de conhecimento.

Karina Chichanoski

Serviço:

O mercador de Ideias” – Lucia Helena Barros do Valle

Editora: Estúdio Texto (Ponta Grossa, 2012)

Paginas: 166

Preço: R$24,70 ( nas Livrarias Curitiba)