Archive for Abril, 2012

20/04/2012

AGENDA CULTURAL

Oficina de biografia com Bruno Scuissiatto

Local: Centro de Cultura de Ponta Grossa.

Data: 21 de abril

Horário: das 9h às 12h e das 13h30 às 17h

Inscrições: gratuitas e devem ser realizadas até o dia 20 de abril, no Centro de Cultura

 

Peça memórias do subterrâneo

Local: Centro de Cultura – Ponta Grossa

Classificação etária: 14 anos

Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00 (antecipados, estudantes, idosos professores)

 

Sexta as seis com a banda Farol de Milha

Data: 20/04

Local: Parque ambiental

Horário: 18 às 19 hrs

Entrada: franca

 

Concerto de  Musica de Câmara da Orquestra Sinfônica Cidade de Ponta Grossa

Série Vila Hilda- Violão: Marcelo Ijaile

Data: 20/04

Local: Cine-Teatro Ópera – Auditório B

Horário: 20h

Ingressos: R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia-entrada)
Espetáculo de Teatro   “Encenação da Paixão  de Cristo”

Data: 22/04

Local: Cine-Teatro Ópera- Auditório A

Horário:  19h30

Ingressos: Entrada franca

 

“Concerto de Piano” – Com Estela Machado e Priscila Malanski em homenagem ao compositor Gabriel de Paula Machado

Local: Centro de Cultura Cidade de Ponta Grossa

Ingressos: Entrada Franca

Horário: 20h

 Data: 25/04

 

Carmem Monarcha acompanhada  pela Orquestra Sinfônica Cidade de Ponta Grossa  

Data: 21/04  Auditório A

Horário: 20h

Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada)

Ponto de venda: Conservatório Artístico Musical Maestro Paulino Martins Alves

 

Stand Up  Comedy “ Humor em HD”

Local: Cine-Teatro Ópera- Auditório B

Data: 27/04

Horário: 20h

Ingressos: R$ 15,00 ( inteira)   R$7,00 ( meia-entrada)

Classificação Indicativa: 14 anos

20/04/2012

Quem espera, sempre alcança

Sessão única de “Titanic” em 3D gera filas, congestiona praça de alimentação

do shopping e deixa público impaciente

   Quarta-feira é dia de lotação no principal cinema de Ponta Grossa. Como se nos outros dias a frequência do público já não fosse suficientemente grande, na quarta-feira a quantidade de pessoas nas sessões é maior. Ainda mais quando está em cartaz uma das mais caras e famosas produções do cinema moderno: Titanic, agora em 3D.

   A euforia do público, porém, tem de enfrentar uma fila de espera, quanto o fato de o Cine Araújo (empresa de cinema do shopping Palladium) oferecer apenas uma sessão do filme por dia. A produção, em cartaz desde sexta-feira, 13 de abril, está disponível somente às 20h.

   A demora em comprar ingressos para a sessão única passa de 20 minutos e é preciso chegar com razoável antecedência para garantir um dos 368 lugares da sala. As pessoas na espera do início da sessão ocupam desde a entrada do cinema até parte da praça de alimentação.

Foto: Hellen Bezerra

   E sequer é possível alegar que o descontentamento do público pela longa espera é inédito. Em agosto de 2011, a reapresentação do clássico Disney, O Rei Leão em 3D, atraiu muitos ponta-grossenses ao cinema e revelou cenário semelhante, com grandes filas e impaciência. Ao que parece, a situação tende a continuar a mesma, com a diferença, apenas, de que se mude o nome da próxima exibição a causar transtornos por falta de operacionalidade da empresa.

  Estima-se que já assistiram à sessão do Titanic 3D, no shopping Palladium, cerca de 2000 pessoas e não há data definida para encerrar as apresentações. De todo modo, não foram definidas, até o momento, mudanças na programação ou disponibilização de mais sessões diariamente.

Hellen Bizerra

Serviço:

Sala 4: dia 13/04  à 19/04

Legendado 3D : Diariamente 20:00

Segunda: R$20,00 Inteira; Meia R$10,00 (Segunda feira meia entrada para todos)

Terça/Quinta matinê e noite: Inteira R$16,00 meia 8,00

Quarta – matinê e noite: inteira R$20,00 meia R$10,00 (Promoção Quarta todos

pagam meia)

Sex/Sab/Dom/Feriados: Matinê: inteira R$18,00 meia 9,00 – Noite: Inteira

R$20,00 meia 10,00

20/04/2012

Mais uma informação

Entre tantos programas, o “Central de noticias” é apenas mais um para informar o publico pontagrossense

    Habitualmente, de segunda a sexta das 7:30 às 8:30 horas, na Rádio Mundial FM (99.3) e na Rádio Central AM (1080), vai ao ar o programa Central de Notícias. O programa transmite noticias de Ponta Grossa e região e conta com a apresentação dos locutores Marcelo Rangel e Eliza Lima.

   O programa possui caráter essencialmente informativo, pois como o nome já diz é mais um dos produtos do gênero que se pode encontrar nas estações pontagrossenses no horário da manhã. Além de informações sobre a sociedade pontagrossense, são também apresentadas notícias referentes à política bem como eventos esportivos, além do obituário.

Foto: Divulgação

      Por ser de viés informativo, o programa transmite certa seriedade aos ouvintes, mesmo com a locutora tentando amenizar isso com seu tom de voz mais simpático. Tal tentativa de demonstrar simpatia é valida, pois traz ao ouvinte a sensação de que está sendo levado em conta, mas ainda sim é possível sentir-se entediado em meio às notícias, talvez pela seriedade que o mesmo apresenta.

   O notíciario, portanto, não se apresenta imparcial frente ao que é informado. Nota-se que as informações são agendadas de acordo com o que o apresentador e também deputado (estadual) tem por interesse. Em vários momentos, ele chega a apresentar o jornal em primeira pessoa, o que acaba por perder a credibilidade frente ao público, tendo em vista sua parcialidade.

   Não se nota nada de novo ou diferente no programa, pois segue conforme o padrão dos programas do gênero, sendo mais um entre outros no horário. A emissora, portanto, deve manter a audiência no horário pela fidelidade de seu público, uma vez que pouco interessa qual programa ouvir para receber tais notícias.

Francis Newton Boccia

Serviço:

Rádio Mundial FM (99.3) e Rádio Central AM (1080)

Horário: de segunda à sexta, das 07:30 às 08:30h

20/04/2012

Revista turística destaca cultura de outras regiões

Entre expectativas de superar cada edição com conteúdo diferenciado e originalidade, PG turismo consegue aperfeiçoar a multiplicidade cultural

Fotos: Divulgação

   A revista Ponta Grossa Turismo trata de assuntos culturais da cidade. O objetivo é criar um produto que valorize a multiplicidade cultural. Ela traz temas de educação, gastronomia, história ou lazer, e trata principalmente de aspectos pertinentes à região de Ponta Grossa e Campos Gerais. Porém, ela não traz somente atividades culturais como a pré-estreia do fenata e a semana cultural, mas também assuntos estaduais.

   Mesmo sendo uma revista com interesse em promover a cultura da cidade, faz destaque em inglês e português das sete cataratas da Foz do Iguaçu na capa – “que maravilha! cataratas eleitas pelo voto popular”, ”what a wonder! Falls are elected by popular vote” -, em sua °19 edição, do mês de abril e maio de 2012. Isso provoca uma ambiguidade por parte do leitor. Porém, os conteúdos são enriquecidos com detalhes e fotos complementares que dão uma boa compreensão aos leitores.

   A estratégia editorial é capturar a atenção do leitor usando fotos, ilustrações, textos detalhados e diagramação que facilita a visualização. PG Turismo tem 40 paginas (contando até capa e contracapa) e  conta com distribuição gratuita. Da pagina 34 ao final, o periódico expõe ofertas de compras em vários lugares turísticos. Na revista a publicidade em geral é voltada ao publico consumidor, sobretudo turistas. E, assim, tenta aumentar a credibilidade de seus leitores, colocando abaixo da coluna da edição anterior uma errata, admitindo erros cometidos na sessão “Check in” e “Com a Palavra”. Para outras informações, confira www.revistaturismopg.com.br.

Temitope jane Aransiola

20/04/2012

Alma sertaneja de um músico cego

A deficiência visual não impediu João de viver da música e espalhar o sertanejo de raiz
por várias regiões do País

Foto: Ana Paula Schreider

O músico João Patrício começou a tocar violão aos três anos de idade. Tinha aulas na Associação de Deficientes Visuais de Curitiba e era interno no Instituto Paranaense de Cegos. A deficiência visual nunca o impediu de tocar e levar sua música de uma cidade para a outra. Na maioria das vezes, viaja sozinho, outras vezes a esposa o acompanha. Há 20 anos João toca profissionalmente, e já passou por cidades como Cuiabá (MT), Campo Grande (MS), Florianópolis e Joinville (SC), Paraisópolis e Sete Lagoas (MG), ou Aparecida do Norte (SP).

Acompanhado de um banquinho e o violão, o repertório do músico se resume ao sertanejo de raiz. No meio da multidão que vai e vem e competindo com os alto-falantes do comércio onde prevalece o sertanejo universitário, com músicas, por exemplo, de Luan Santana, Gustavo Lima e Michel Teló, João resgata as raízes que antecederam esse novo segmento do sertanejo, recuperando melodias como Fuscão Preto de Almir Rogério, Um violeiro toca de Almir Sater, Galopeira, maior sucesso de Donizetti, O menino da Porteira de Sérgio Reis, entre inúmeras outras canções sertanejas.

João começou a tocar por necessidades financeiras. Hoje, sua maior renda vem das moedas que ganha tocando nas ruas. Há seis anos, três vezes por semana, a rotina de João é sair de Ipiranga (cidade onde reside), às 6h da manhã, e chegar a Ponta Grossa após 01h15 de viagem, para iniciar o show. O palco da apresentação sempre é o Calçadão, no centro da cidade. O músico vai embora ao anoitecer, com a viola, o banquinho e as moedinhas que garantem seu sustento.

Ana Paula Schreider

20/04/2012

Comida chinesa com toque brasileiro

Com massa fina e crocante, rolinho de queijo acompanha molho agridoce e é mais uma opção em restaurante chinês

    A variação de queijo do rolinho primavera pode não ser tão conhecida como a versão feita de legumes, mas é capaz de agradar o paladar com a mesma intensidade. De acordo com a lenda, o prato original resulta da celebração do Ano Novo Chinês e, devido à sua cor dourada, simboliza riqueza e prosperidade. Com a vinda dos imigrantes chineses ao Brasil e com o passar do tempo, ocorreu um “abrasileiramento” do prato original, o que deu origem a outros recheios para o rolinho, entre eles o de queijo.

   O segredo está na massa composta por apenas três ingredientes: farinha de trigo, água e sal. Antes de ser recheada e frita, a massa deve ‘descansar’ na geladeira e depois ser esquentada em pequenas e finas porções numa frigideira. Em Ponta Grossa, os restaurantes da rede China Master fazem jus à descrição do prato no cardápio: “massa leve e crocante”. O único desconforto para quem for saborear a entrada é que, devido à crocância, a massa tende a esfarelar no prato.

Foto: Camila Gasparini

   O tipo de queijo mais utilizado na fabricação do rolinho é a mozarela, que mesmo sendo um queijo com bastante gordura, se bem feito, não deixa o prato com excesso de óleo. Os rolinhos do China Master são bem dosados de sal e o acompanhamento sugerido pela empresa é o molho agridoce, que nem sempre agrada a todos. Como a maioria dos restaurantes chineses, o preço não é acessível à grande parte da população. Os rolinhos podem ser consumidos nas sete lojas do China Master no buffet por quilo por R$23,90, no buffet livre por R$18,90 e na porção com dois rolinhos por R$6,50. Em todas as opções o molho agridoce é servido.

Camila Gasparini

 

Serviço:

Restaurante China Master – Rua Penteado de Almeida, 566, Centro – Ponta Grossa/PR

Preço da porção: R$6,50 (2 unidades)

20/04/2012

Leitura feita para se reciclar

             Marcelo Vieira, o“Gari Poeta”, da continuação ao  projeto (livro) “Minha Poesias” com “O sonho continua”

Foto: Afonso Verner/Lente Quente

    A obra de Marcelo Viera, morador de Ponta Grossa, conta com poesias relacionadas ao cotidiano. O livro apresenta, de forma direta, fatos que, por vezes, o leitor não percebe. Em alguns poemas, como Bairro de Uvaranas e Homenagem ao Operário Ferroviário Esporte Clube, ele valoriza a cidade. Nota-se também que o poeta transmite sua fé para o livro, como nos versos, Obrigado Senhor, Oração rimada, Quando Deus manda e Uma conversa com Deus.

   Com a proposta de atingir todos os públicos, Marcelo utiliza uma linguagem simples e consegue alcançar todas faixas etárias. O fato de o poeta ser gari facilita tal ação, pelo contato que tem com diversas pessoas. Apesar da percepção do autor, alguns assuntos são tratados de maneira comum, como na poesia O amor existe. Nela o sentimento é idealizado e quem não o possui, segundo o escritor, não é feliz.

   O poeta valoriza sua profissão e traz textos relatando a rotina, como em Dia do Gari. Na poesia Sou um gari poeta, Marcelo chama a atenção para problemas sociais, dando ênfase ao preconceito com garis. A obra inclui poemas sobre clubes esportivos e os trata com saudosismo. Eentre eles estão Palmeiras, Grêmio, Santos e Operário. A poesia também retrata valores presentes na família e na amizade, além de datas comemorativas.

   Marcelo já escreve a terceira obra, Por gentileza, dai-me licença, a poesia pede passagem, que tem previsão de ser lançada ainda em 2012. O “Gari Poeta” tem um programa humorístico de rádio, O show do poeta, que vai ao ar todos os sábados na Rádio Central AM, das 16 às 18h.

Gustavo Dornelles

 

Serviço:

Livro “Minhas poesias: O sonho continua”.

Autores: Marcelos Vieira

Publicado em 2011

Número de páginas: 106

20/04/2012

Reino das Águas Claras Pontagrossense

Represa responsável pelo abastecimento de água e geração de energia da cidade esconde riquezas naturais, entre a mata nativa

Foto: Prefeitura de PG

   Dentre os inúmeros pontos de lazer nos Campo Gerais, a represa do Alagados é mais uma opção para aqueles que buscam diversão e tranquilidade. Há 20 quilômetros do centro de Ponta Grossa, a área de preservação concentra diversas propriedades privadas de entretenimento, um ponto a ser questionado, já que essa privatização bloqueia e dificulta o acesso de moradores e turistas.

   A represa, construída na década de 40, é responsável pelo abastecimento de água da cidade, o que enumera mais um item que impossibilita o lazer com recursos hídricos movidos a combustão de carboneto. Um desperdício de quatro quilômetros de espaço para a prática de esportes aquáticos, já que foi comprovado por estudos realizados no Núcleo de Estudos em Meio Ambiente (NUCLEAM), que a poluição causada por estes é mínima, e que o uso dos agrotóxicos de fazendas ao redor é o maior responsável pela poluição.

   O lago é habitat de uma diversidade de peixes. A pesca é permitida em épocas de reprodução, desde que siga as normas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Porém a precariedade de vigilância no local não garante a manutenção ideal dos procedimentos de preservação, tanto do local como da diversificada fauna presente.

   Atrativo turístico, o Alagados tem problemas no acesso. As estradas de terra estão esburacadas e a atual administração municipal deixa de lado a manutenção. Próxima da Cachoeira São Jorge, a represa oferece um espaço rural rico em fauna e flora. Além dos recursos hídricos, ideais para natação, trilhas, concursos e treinos de triatlo acontecem geralmente próximos ou dentro do Iate Clube de Ponta Grossa.

Higor Lima

 

Serviço:

Represa de Alagados. Situa-se 20 km do centro de Ponta Grossa. Acesso pelo Rio Verde (Bairro Uvaranas), caminho para Cachoeira São Jorge.

A sede do Iate Clube está na Rua 15 de Novembro, 512, centro.  Ponta Grossa/PR. Tel: (0xx)42 3222- 9960

20/04/2012

Titanic voltou, para afundar de novo

Filme, dirigido por James Cameron, volta aos cinemas para repetir a mesma história, mas desta vez, em 3D

   Exibido pela primeira vez em 1997, o filme Titanic retorna às telonas em 2012, ano em que se completa o centenário da viagem inaugural do transatlântico que deu nome à produção, e ao consequente naufrágio. O filme conta a história de amor entre Jack Dawson (Leonardo DiCaprio), um passageiro de terceira classe, e Rose Dewitt (Kate Winslet), moça prometida em casamento pelos pais, por interesse, e que viajava na primeira classe, junto ao noivo.

   O enredo é simples. Uma história de amor proibido – formula repetida à exaustão desde os tempos de Romeu e Julieta. Mas, por contar com uma produção cuidadosa e humanizar a catástrofe do navio que era ostentado como um símbolo da capacidade do homem, essa história rendeu, em bilheteria, US$ 1,9 bilhões.

  O filme, dirigido por James Cameron, ocupou o posto de maior bilheteria da história até 2009, quando o próprio Cameron lançou aquele que ficaria marcado para sempre como o principal precursor do cinema 3D, o filme Avatar, que ocupa a posição até hoje.

Foto: divulgação

  Seguindo a ideia de George Lucas, que relançou o episódio 1 de Guerra nas Estrelas em 3D, que alcançou a quarta maior bilheteria dos Estados Unidos, Cameron leva o Titanic de volta para as telonas.

   No caso de Lucas, relançar o Guerra nas Estrelas em 3D, parece ir além de uma estratégia financeira, pois o filme, com suas naves, lutas de sabres de luz e explosões, pôde explorar o recurso ao máximo. O Titanic, por sua vez, prima por cenas românticas entre os protagonistas e grandes enquadramentos no navio, nada que justifique afundá-lo em 3D. Nada além do fator financeiro, é claro.

                                                                                                                                                                                                                                   
  Rubens Anater

Serviço:

Local: Cine Araújo (Shopping Palladium, Rua Ermelino Leão, 703 – Olarias)

Horário: Diariamente, às 20 horas

Classificação: 12 anos

20/04/2012

No llores por mi, Argentina!

 

Academia de dança faz do aprendizado de tango uma  experiência de interação social

Foto: Thaina Kedzierski

   O tango, dança originada no final do século XIX em prostíbulos argentinos, é conhecido por mesclar drama, sexualidade e paixão. Hoje é considerado como uma atividade que desenvolve comportamento e socialização. Em Ponta Grossa, a escola de dança “Studio Marcos de La Cruz”, além das aulas de dança de salão, jazz, dança gaúcha, ballet adulto e dança de ventre, oferece também aulas de tango, que se apoiam no clássico argentino Carlos Gardel.

   Apesar do tempo destinado ao alongamento que inicia a aula, grande parte dos alunos não parece preparado para as atividades, devido ao uso de jeans e sapatos que restringem os movimentos corporais. O professor Marcos da Cruz contextualiza, entre passos e ensinamentos, a história do tango, o que facilita o entendimento da dança.

   A proporção de sete mulheres para cada homem faz com que elas acabem improvisando o sexo masculino, de modo a prejudicar a compreensão do papel feminino na dança. O grande número de alunos não permite que o professor dê atenção às atividades realizadas, o que fica claro quando é solicitada uma atividade que envolve a turma inteira.

   Outro fator que atrapalha o desenvolvimento da dança é a inexistência de nivelamento na turma, visto que a aula é frequentada tanto por alunos que praticam o tango há três anos quanto por praticantes há menos de duas semanas. O espaço destinado ao aprendizado acaba tornando-se muito mais de interação social do que de formação profissional destinado à dança argentina.

Thainá Kedzierski

 

Serviço:

Rua Bonifácio Vilela, nº 786, Centro.

Aulas: Terças e Quintas-feiras

Horário 20h às 21h

Mensalidade: R$ 65,00

Telefone: (42) 8855-5555