Archive for Março, 2012

30/03/2012

AGENDA CULTURAL

Image


Projeto Sexta às Seis, com banda “LULA`S BITUCAS”
Local: Complexo Ambiental
Dia: 30/03
Horário: 18h
Ingressos: Livre

Lançamento da Antologia “ Ramalhetes Princesinos” – 3a Edição
Local: Centro de Cultura Cidade de Ponta Grossa
Dia: 30/03
Horário: 19h
Ingressos: Livre
Classificação: Livre

Atividade da ONG “ Dentista do Bem” – Apresentação da Banda Escola Lyra dos Campos e Coro Municipal Cidade de Ponta Grossa
Local: Cine-Teatro Ópera – Auditório A
Dia: 30/03
Horário: 19h
Ingressos: Entrada Franca

Apresentação de Teatro “Marcas de Batom e outros Vícios”
Cia. Abuso em Cena
Local: Cine Teatro Ópera – Auditório B
Dia: 30/03
Horário: 19h30
Ingressos: R$ 4,00 ( inteira) e R$ 2,00 ( meia-entrada) – Venda no Centro de Cultura
Classificação: 16 anos
Atividade Inserida na programação da Semana do Teatro e do Circo em Festa – Ano 3

Concerto de Câmara “Série Vila Hilda”- Com Quarteto de Cordas da Orquestra Sinfônica Cidade de Ponta Grossa
Local: Cine-Teatro Ópera – Auditório B
Dia: 30/03
Horário: 20h
Ingressos: R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia-entrada)

Show com a banda de Rock n’ Roll “Lacônicos”
Local: Bola 13 Snooker Rock Bar
Dia: 30/03
Horário: 22h
Ingressos: R$ 5,00

Palestra de Capacitação para professores
Tema: 3° FESTA- Festival Estudantil de Artes de Ponta Grossa, qcom base n’Os Objetivos do Milênio da ONU
Local: Cine-Teatro Ópera
Dia: 31/03
Horário: 9h às 12h

Espetáculo de Teatro “Campos Gerais”
Cia. Abuso em Cena
Local: Centro de Cultura de Ponta Grossa
Dia: 31/03
Horário: 19h30
Ingressos: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia-entrada)
Classificação: 16 anos

Atividade Inserida na programação da Semana do Teatro e do Circo em Festa – Ano 3

“Páscoa Solidária” – Espetáculos de Dança Beneficentes- Apresentação de grupos e academias de dança locais
Local: Cine-Teatro Ópera – Auditório A
Dia: 31/03
Horário: 20h
Ingressos: 1 caixa de bombom, para doação à entidades de assistência à crianças carentes

Stand up Comedy “ Humor em HD”
Local: Cine-Teatro Ópera- Auditório B
Dia: 31/03
Horário: 21h
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$5,00 (meia-entrada)
Promocional antecipado para entrada inteira – R$5,00
Classificação Indicativa: 14 anos

Projeto Tela Alternativa
Filme: A Bela da Tarde (Luíz Buñuel, 1967)
Local: Cine-Teatro Ópera – Auditório B
Dia: 03/04
Horário: 19h30
Ingressos: Livre
Classificação: 16 anos

Encenação “A Paixão de Cristo”
Academia de dança Angelus
Local: Cine Ópera
Dia: 04/04
Horário: 20h
Ingressos: R$ 2,00 + 1Kg de alimento.

Anúncios
Etiquetas:
30/03/2012

Fim de um espaço de formação teatral em PG?

Curso de Teatro pode fechar definitivamente por pouca procura e falta de incentivo dos próprios artistas envolvidos

O Curso de Teatro do Colégio Estadual Senador Correia está com problemas. Caso não se complete a turma, com 25 alunos, em breve o curso será fechado. É difícil imaginar que um curso esteja acabando por falta de procura, numa cidade com mais de 300 mil habitantes. Ainda mais pela região mobilizar, todo ano, o Festival Nacional de Teatro (FENATA), que deveria ser forte estímulo a produção de teatro local.

Image

A falta de divulgação é fator essencial para explicar a pouca popularidade do curso. Não se vê nenhuma propaganda ou anúncio que estimule a procura pelo teatro no Colégio Senador Correia. A última turma formada no curso, em 2011, começou com 30 alunos e somente cinco concluíram.

Os poucos que apresentam uma formação teatral na cidade migram para outros centros, como Curitiba, Londrina, São Paulo e Rio de Janeiro, que são referência no teatro nacional. A migração acaba deixando uma carência de artistas que estimulem o crescimento do teatro em Ponta Grossa.

Outro fator que colabora para o fim do curso é a falta de produção. Só se ouve grande divulgação de teatro à época do FENATA. Claro, o Festival é de extrema importância para a cultural local, mas, e além dele? E, quando acontecem, tais peças não ficam muito tempo em cartaz e é raro ver uma produção de qualidade.

Dentro do próprio curso do Senador Correia se admite a falta de qualidade das criações, pois o processo de criação de uma peça leva anos e necessita de experiência para ser construído – e não alguns meses de curso. Divulgação e qualidade são essenciais para que espaços estimulantes de teatro não desapareçam, como corre risco o Senador Correia.

Ana Paula Schreider

Serviço:

Curso de Teatro do Colégio Estadual Senador Correia

Rua Engenheiro Schamber, Centro – Ponta Grossa/PR

Telefone: 3224-1458

 

30/03/2012

Lacônicos que não são breves

Image

Com mais de 20 músicas no repertório, banda de PG se destaca por pegada anos 60 e estilo próprio

Com três anos de existência, a banda Lacônicos, formada em Ponta Grossa, já teve vários nomes e integrantes. Hoje, com apenas dois membros da formação original, a banda se mostra mais sólida e em maior sintonia.

Image

Esta sintonia é perceptível cada vez que os músicos se reúnem e fazem, literalmente, um show, em cima de composições de The Doors, Amy Winehouse, Creedence, Barão Vermelho, Cazuza, Lobão, e outros, que sempre estão no repertório da Lacônicos. O ponto fraco é que, apesar da seleção ser indiscutivelmente boa, ela demora a mudar – com a entrada dos novos integrantes uma variedade maior começou a surgir.

Através de apresentações enérgicas, a banda consegue transmitir um som harmônico e melódico sem perder a força do rock’n’roll. Estilo é outra característica pela qual a banda se destaca: tocam as músicas sem tentar imitar versões originais e conseguem deixar suas marcas, a ponto de serem facilmente reconhecidos. O vocal se destaca por possuir um estilo mais Doors, a bateria remete aos primórdios, à raiz do rock, e a guitarra possui grande influência do blues, com presença constante de solos.

No mercado local de bandas atual, é difícil encontrar um grupo como este. O talento dos músicos é notável desde o primeiro contato, o que faz ser uma pena os Lacônicos terem apenas três músicas próprias e elas não serem tão conhecidas por seu público. Com mais shows programados, a imagem da banda se consolida no cenário pontagrossense e quem sabe, as composições próprias se tornem mais freqüentes.

Mariel Riveros

Serviço:

Os Lacônicos se apresentam nesta sexta-feira, 30-03, no Bola Treze, 22h.

Entrada: R$5,00.

Chain of Fools, de Aretha Franklin, é uma das músicas novas no repertório da banda, assista o vídeo em: http://www.youtube.com/watch?v=aTxgB9prwT

 

 

30/03/2012

Do Oriente Médio para as cozinhas brasileiras

Prato árabe se populariza em restaurante de Ponta Grossa e é sucesso entre os universitários

Quem já foi ao Bar Aladin, nas proximidades do Campus Central da UEPG, em Ponta Grossa, com certeza já ouviu falar ou experimentou o Shawarma. O lanche, originalmente árabe, é feito de carne assada em um espeto giratório – que lembra o churrasco grego –, legumes e outros acompanhamentos dentro de um pão sírio. No Paraná, a popularização do prato aconteceu com a chegada dos imigrantes libaneses em Foz do Iguaçú.

Imagem

No Oriente Médio a carne adicionada ao prato varia de região para região, embora a carne de cordeiro seja mais utilizada. Por questões religiosas, o porco raramente é usado no lanche. Em algumas regiões ainda é feito com peru. Às vezes até mesmo com outros tipos de carne misturadas.

O bar oferece três opções de shawarma: carne bovina, frango ou as duas opções juntas. Ainda conta com alface, batata, cebola e tomate. Como acompanhamento, é servido um molho de alho, receita especial da casa, feita pelos próprios cozinheiros do local. A mistura entre o molho de alho e o shawarma lembra o sabor marcante da culinária árabe.

O valor do Shawarma (R$ 7,00) atrai os universitários que circulam pelos arredores do local e estão em busca de comida rápida. Os frequentadores lotam o bar, localizado na Rua Riachuelo, no centro da cidade em frente ao Bloco B da UEPG. Embora acessível, o preço tem subido cada vez mais, o que é compreensível, se considerada a qualidade.

A quantidade de pessoas no bar, principalmente nos finais de semana, acarreta a demora dos pedidos. O pouco espaço faz com que pessoas tenham de esperar do lado de fora do ambiente.

Caroline Belini

Serviço:

Bar Aladin – Rua Riachuelo, 350/434, Centro (Ponta Grossa/PR)

Preço unitário do Shawarma: R$7,00

 

Etiquetas: , ,
30/03/2012

Favor manter o ambiente habitável (pelos cães!)

Imagem

Palco de lutas e reivindicações, a Praça Santos Andrade, hoje, está mais pra canil do que pra lugar histórico

As recentes manifestações na UEPG não mudaram a atual imagem da Praça Santos Andrade. Situada em frente ao prédio central da Universidade, o local se tornou um canil mal cuidado. Outrora palco de lutas e reivindicações estudantis e ainda usada como cartão postal, a Praça hoje tem um aspecto que espanta até as manifestações, que migraram para o pátio interno da UEPG.

Imagem

Foto: Matheus Lara

O dia amanhece e a Praça atinge seu maior contingente de pessoas, todos estudantes, socializando ao ar livre. À tarde, a representatividade humana se restringe a casais que trocam carícias nos bancos. Ao cair da noite, a Praça escurece e, sem segurança, acaba ficando deserta.

Os cães de rua são os freqüentadores mais assíduos da Praça. Sempre estão lá em grupos, com chuva ou sol, descansando. Os alunos parecem não se incomodar com eles. E os cães também não dão a mínima aos estudantes. No período da tarde, os canídeos são maioria.

A grama vira mato em pouco tempo e a quantidade de lixo jogado nas calçadas assusta. Os cães procuram os lugares limpos. Quem passa ao lado das lixeiras, nota o cheiro forte. Os dejetos parecem ficar lá por muito tempo até serem retirados. Os cães merece(ria)m um lugar mais bem cuidado!

Já que a movimentação urbana impede os estudos no local, o que resta para a Praça são cães, mato e lonas pretas transpassadas pelas colunas do prédio da UEPG em tempos de manifestações. Ao que tudo indica, a Praça continuará sendo o ponto de referência para coberturas jornalísticas e cartões postais, isso até o momento em que se considerar errado não cuidar de um espaço público. Aí, talvez, poderá ser esquecida de vez!

Matheus Lara

Serviço:

Praça Santos Andrade, Nº 1 – Centro

Avenida Bonifacio Vilela, em frente ao campus central da (UEPG)

30/03/2012

Há poucas jardas da vitória

Imagem

Ponta Grossa Phantoms mostrou nos últimos jogos que está mais qualificado para o Paranaense

O Phantoms fará o último jogo como mandante no Campeonato Paranaense de Futebol Americano no dia primeiro de abril (2012), contra o Curitiba Predadores. Caso o clube vença, será a primeira vitória na temporada. E será o terceiro jogo da equipe no campeonato, restando apenas três partidas que disputarão como visitantes.

A partida de estreia aconteceu em 4 de março, contra o Curitiba Hurricanes, e a equipe de Ponta Grossa foi derrotada por 6 x 0. Uma semana depois da estreia, no dia 11, o grupo enfrentou o atual tri campeão, Coritiba Crocodiles, e perdeu por 32 x 24. Mesmo começando com derrotas, é possível ver o avanço na nova temporada. A defesa continuou jogando bem e o ataque tem se mostrado superior, em comparação com o campeonato
do ano passado, em que o time ficou na 6º colocação.

O Coritba Crocodiles não levava 24 pontos em uma partida há algum tempo. Se o time continuar jogando como na última partida, terá chance de brigar pelo título. Pode-se esperar uma ótima temporada, pois a equipe está bem entrosada.

Infelizmente, o amadorismo tem prejudicado o time na competição. No primeiro jogo, o Phantoms quase perdeu por W.O. devido a falta de um médico. No regulamento do campeonato, para o jogo acontecer é obrigatório ter ambulância e uma equipe médica em campo, e no dia só havia socorristas. No segundo jogo, o time quase acabou prejudicado novamente, por causa do atraso da equipe médica. Pelo jeito, são as falhas que acontecem fora de campo que tendem a prejudicar os times.

Cesar Paulo Silva

Foto por Lucas Matos

Serviço:

Ponta Grossa Phantoms Futebol Americano

Site Oficial: http://phantoms.esporteblog.com.br/

Próximo jogo: Phantoms x Predadores – 14h

Preço: 5,00 reais

No campo do Olinda Futebol Clube, Bairro Olarias.

30/03/2012

Vazio de informação, e muita repetição

Imagem

Programa discute moda mas, sem informações, se torna propaganda da própria apresentadora

Espera-se de todo programa que recebe o nome de seu apresentador uma personalidade de imagem forte capaz de sustentar a audiência do começo ao fim. Carisma em excesso poderia prejudicar! É isso o que acontece em “Evelyn Ferreira na TV”. A tentativa de cativar o telespectador acaba por transparecer uma falta de planejamento e nervosismo.

Imagem
Com um script modesto e poucas de informações relevantes, a apresentadora torna-se repetitiva ao longo do tempo, o que dá aos intervalos comerciais um certo alívio. Voltado ao público feminino da classe média-alta ponta-grossense, o programa perde relevância social ao mostrar uma apresentadora que fala sobre moda, fotografia e festas, muitas vezes sem ter um amplo domínio do assunto.

Uma das tentativas de prender a atenção do público até o final do programa é o sorteio de brindes, provenientes de empreendimentos ligados à própria âncora, que tem o resultado revelado ao final do programa. “Evelyn Ferreira na TV” parece, assim, não sintonizar muito com a lógica do consumidor, que paga um canal a cabo para obter melhores informações, à medida que o programa gera um aspecto que poderia ser denominado de “preenchimento de vazio”.

Em termos técnicos, Evelyn não facilita em vários aspectos: segura o telefone celular na mão durante todo o programa, conversa com o produtor que está atrás das câmeras e tem problemas de linguagem – como utilização exagerada de onomatopeias e gerúndios. Ao mandar beijos a amigos e por repetir comentários das (mesmas) lojas e interesses, pode-se entender que o programa apenas vende a imagem de uma apresentadora, com foco em (auto) promoção.

Camila Gasparini

Serviço:

Programa: Evelyn Ferreira na TV

Transmissão: Rede TVM – Canal 14

Horário: 22h às 23h, quarta-feira

Site: http://www.redetvm.com.br/?p=37

30/03/2012

De carona com as ondas radiofônicas

Imagem

Enquanto esperam o ônibus, passageiros do Terminal Central acompanham programação sonora

Um sistema de mídia alternativa chama a atenção dos usuários do serviço público de transporte em Ponta Grossa. A Rádio VS Terminal é um sistema terceirizado, contratado pela Viação Campos Gerais (VCG) e administrada pela VS Propaganda. Com uma programação que funciona há 19 anos no Terminal Central, a rádio abre espaço para música e informação enquanto as pessoas esperam o ônibus.

Imagem

Em torno de 120 mil usuários circulam diariamente no Terminal Central, o que garante ao anunciante 100% de audiência, afinal é a única rádio a frente desse espaço. Todavia, a exclusividade não é sinônimo de qualidade da programação. O monopólio da concessão gera comodismo por parte dos produtores, que não diversificam a programação, imposta aos ouvintes, sem direito a escolha do conteúdo.

Previsão do tempo e hora certa são os principais destaques no que diz respeito ao interesse público. Informações jornalísticas são escassas e geralmente repetem o que já foi noticiado em outros veículos de comunicação. O que, sem dúvida, é um desperdício de espaço, onde o cidadão poderia ganhar voz em relação aos temas pertinentes da região. A única forma do ouvinte interferir é a sugestão de música através de redes sociais.

O principal foco da rádio é a publicidade. Diversos anunciantes divulgam seus produtos e serviços, o que otimiza as verbas para investimentos na estrutura e manutenção da equipe, composta por operadores, locutores e programadores. Após 6 anos de afastamento, a VS Propaganda reassumiu a Rádio Terminal em 2011, tentando aprimorar a interatividade através de um site e telefones para contato.

Higor Lima

Serviço:

Rádio VS Terminal – propriedade da VS Proaganda S/S Ltda.;

Programação diária no Terminal Central de Ponta Grossa, Av. Vicente Machado, Ponta Grossa;

Rua Marechal Bormann, 119 – Ponta Grossa

Telefone: (42)32228471

e-mail: vsterminal@gmail.com

Site: http://vsradioterminal.webnode.com.br/

Etiquetas: , , ,
30/03/2012

Pequenas histórias, pequenas piadas

Apesar de conteúdo inapropriado, Família Salgueiro apresenta espetáculo de classificação livre

O Espaço Cultural Chic Chic do Sesc Ponta Grossa recebeu na quarta-feira (28/03) a peça “Esquetes e Historietas”, interpretada pela Família Salgueiro. O espetáculo faz parte da programação da terceira Semana do Teatro e Circo. A peça estava prevista para às 19h30min. Antes de começar, músicas de Seu Jorge, Vanessa da Mata e algumas cantigas infantis seguravam o público. Com 11 minutos de atraso a interpretação feita pelos palhaços Sardinha e Bidosa começou.

Com uma boa iluminação e um som regular, as pequenas histórias eram narradas pela atuação mediana dos palhaços, seguida, em alguns momentos, por um coadjuvante de pouca experiência. Eram 53 espectadores, alguns levantavam antes mesmo de acabar, porém os que ficaram, riram em bom som.

No folder de divulgação do evento, a classificação mostrava a peça como livre, todavia, certas piadas tratavam de assuntos adultos e obscenos, onde as crianças muitas vezes sem entender, acabavam por rir. Além de não serem direcionadas ao público infantil, a maioria delas podiam ser antecipadas pelos espectadores. Piadas repetidas eram constantes durante o espetáculo.

O público que sentava ao fundo não conseguia ver o cenário por competo e visualizam apenas do tronco para a cima, devido a disposição das cadeiras. Ao menos não perdiam de ver os detalhes das roupas dos palhaços, que usaram as mesmas desde o começo da peça, para todas as histórias.

O melhor ficou para o fim do espetáculo. O palhaço Bidosa equilibrou uma criança, sua filha, de pouco mais de um ano, usando apenas a mão direita. Quem foi embora durante a peça perdeu o fechamento.

Amauri Barbosa

Serviço:

Local: Espaço Chic Chic (SESC Ponta Grossa – Rua Theodoro Rosas, 1247 – Entrada Franca)

Classificação livre

Semana do Teatro e do Circo

30/03/2012

Hollywood e o clichê da Comédia Romântica

ImagemMais um filme conta a velha história de dois amigos disputando o coração da mesma mulher

“Guerra é Guerra”, nome brasileiro para o filme “This Means War”, começa cheio de tiros e efeitos especiais que até levam o telespectador a pensar que se trata de um filme de ação. Mantendo os clichês de comédia romântica hollywoodianos, o filme conta a história de Lauren (Reese Witherspoon), uma jovem solteira e bem sucedida que é disputada por dois homens, Tuck (Tom Hardy) e FDR (Chris Pine), melhores amigos que trabalham juntos na CIA.

Imagem

A confiança entre Tuck e FDR se abala ao descobrirem que estão saindo com a mesma mulher. Chris Pine interpreta o ‘sabe-tudo’ das mulheres, enquanto Tom Hardy faz o papel do recém-saído de um relacionamento. O discurso dos atores é recheado de ironias e piadas com características dos personagens, que são perdidas se o filme não for acompanhado atentamente.

Até então, o longa poderia ser considerado mais uma comédia romântica para prateleira das locadoras, mas a disputa entre o mulherengo e o sensível ultrapassa o comum dos romances e o relacionamento de Lauren com os dois homens ‘torna-se alvo’ de investigação nacional. Os dois espiões usam de artifícios da CIA para monitorar a protagonista: desde arquivo de interesses pessoais a câmeras e gravadores de voz.

Se o enredo principal do longa é muito comum, as atuações se destacam. Apesar da Reese Witherspoon não conseguir representar como protagonista, Chris Pine e Tom Hardy o fizeram. O extraordinário fica por conta dos efeitos especiais, presente nas cenas entre Tuck e FDR, enquanto o clássico da comédia romântica se resume às cenas em que Lauren está presente.

Thainá Kedzierski

Serviço:

Local: Cine Araújo (Shopping Palladium, Rua Ermelino Leão, 703 – Olarias)

Horário: Diariamente, às 17h30 e às 20h30

Classificação: 12 anos

95 minutos