Archive for Outubro 11th, 2011

11/10/2011

Fundamental é fundamentar

Para um bom argumento encontrar base lógica de sustentação e, assim, dar corpo a uma crítica, é preciso antes que o produto em discussão tenha fundamentação. O quesito falhou em alguns momentos nos textos, mas pode ser facilmente alcançado para as próximas construções críticas. Na editoria Livro Aberto, por exemplo, não dá para dizer ‘da boca para fora’ que é “cena comum” o passageiro de transporte público em Ponta Grossa desfrutar de leituras de poesias nos ônibus. Não é comum. Não há rotatividade de produção e muitas linhas não veiculam os textos. Logo, a motivação para esta crítica deveria ser a não continuidade do projeto por parte dos organizadores, em vez de focar no usuário do serviço.

 A fundamentação deixa a desejar mais uma vez em Outros Giros. O contraponto fica evidente: fala-se na dificuldade de descrição do ponto de venda de confeitos logo na primeira linha, porém mais da metade do texto se revela descritivo, descaracterizando o modelo crítico proposto.

                Parece difícil ainda para os colaboradores do blog se concentrarem no gênero a que se propõem, a crítica. Talvez se se partisse da premissa de que o leitor médio do blog já consumiu determinado produto ou pode fazê-lo por meio do serviço postado junto ao texto, a produção seria fundamentada na real crítica. Até agora se percebe, majoritariamente, que há uma preocupação do autor em situar o leitor do que se trata o produto analisado, o que faz com que aquele que tem sede de crítica tenha que esperar até o último parágrafo para se saciar. Ou ainda: o leitor tem de caçar a proposta do gênero em meio a tantas falas descritivas.

                Como nem tudo em blog de crítica consegue ser crítico, vale apontar a diversidade de temas que os autores têm trazido ao espaço. É de grande valia para o leitor ter acesso a conteúdos que se referem à peça de teatro exposta na cidade na semana passada, ou saber da nova emissora de rádio que vem para atender um público até então esquecido, e até mesmo fazer comparações entre jornais da região, o que não é costumeiro para se ler. São assuntos que só um projeto preocupado com produção de cultura e informação local consegue oferecer aos interessados. E, por conseqüência, conquistar um leitor não tão interessado.

Bruna Bronoski