Archive for Agosto 19th, 2011

19/08/2011

20 de Agosto –Sábado

Atividade: “Projeto Folclore em Cores” – Apresentação de Danças com Grupos Folclóricos de Ponta Grossa: Grupo de Dança Ucraniana Zoriá

Promoção: PMPG/SMCT

Local: Shopping Antártica

Horário: 12h

Atividade Livre

 

Atividade: “Projeto Folclore em Cores” – Apresentação de Danças com Grupos e Academias de Danças de Ponta Grossa.

Promoção: PMPG/SMCT

Local: Cine-Teatro Ópera

Horário: 20h

Ingressos: Entrada Franca

 

 

Atividade: Stand up Comedy- Com “Comédia S/A Humor Mix”

Local: Cine-Teatro Ópera

Horário: 21h

Ingressos: R$10,00 ( preço único)

Classificação Indicativa: 12 anos.

Mais Informações: Fone 9960-0929 Diego

20 e 21 de Agosto –Sábado e Domingo

Atividade: Projeto Folclore em Cores: “ V Tanabata Matsuri”

Exibição de Animês ( desenhos animados japoneses), exposição de Mangá, Stands de vendas de produtos, Mesa de RPG, Exposição de Ilustrações, Oficinas de Mangá e Origami, Matsuri Odori e Vendas de produtos gastronômicos típicos.

Promoção: PMPG/SMCT e Associação Cultural Project Yume ( Regional Ponta Grossa)

Local: Praça Centro de Cultura

Horário: 10h ás 19h

Atividade Livre

21 de Agosto- Domingo

Atividade: Projeto Folclore em Cores/Semeando DançaApresentação de Danças com Grupos e Academias de Ponta Grossa: Centro Cultural Ilê de Bamba, Grupo de Dança Estampa Campeira, Grupo Parafolclórico Aracê Poranga, Grupo de Danças Gaúchas Estância Serrana, Grupo de Dança de do Ventre Bagdá – Fadwa Neme, Grupo Querência Amiga, Grupo de Taikô de Ponta Grossa

Promoção: PMPG/SMCT e SOS

Local: Complexo Ambiental

Horário: 15h

Atividade Livre

 

Atividade: “I Festival de Música com Playback Sonoro”

Sinopse:

Promoção: PMPG/ Secretaria de Cultura e Turismo

Local: Cine-Teatro Ópera

Horário: 18h

Mais informações: Mais Informações pelo fone : (42) 3901-3038/ 3901-1699 ou pelo edital no site WWW.pmpg.pr.gov.br/Agenda Cultural

Dia 23 de agosto – Terça-feira

Atividade:  Projeto Tela Alternativa exibe o filme, O terceiro tiro de Alfred Hitchcock

Local: Cine Teatro Ópera

Horário: 19:30

Entrada Franca

                                              Dia 24 de agosto – Quarta-feira

 

Atividade: Curso “ Iniciação ao Teatro”- Com Emerson Rechenberg

O Curso será realizado todas as quartas-feiras, com duas turmas sendo: Turma A- 15h e Turma B-19h, direcionado para maiores de 13 anos

Inscrições: Mensalidades R$ 60,00, no Cine-Teatro Ópera

Local: Cine-Teatro Ópera

Mais Informações: Osmar- fone 3901 1591

 

Multiplex Palladium

Assalto ao Banco Central
Elenco: Milhem Cortaz, Eriberto Leão, Giulia Gam, Lima Duarte.
Classificação: 14 anos
Programação: SALA 3 19/08 A 25/08
NACIONAL

DIARIAMENTE 19:30 21:30

 

 

Lanterna Verde

Classificação: 10 anos

Programação: SALA 2 19/08 A 25/08

DUBLADO

SEX, SAB, DOM, SEG, QUA 15:00 17:15 19:30 21:45

TERÇA E QUI 16:30 19:00 21:15

 

  Uma Professora Sem Classe
Elenco: Cameron Diaz, Justin Timberlake, Jason Segel
Classificação: {14}
Sala: MULTIPLEX
Programação: SALA 1 19/08 A 25/08
LEGENDADO

DIARIAMENTE 17:30 19:30 21:30

 

Os Smurfs
Elenco: Neil Patrick Harris, Jayma Mays, Sofia Vergara, Hank Azaria
Classificação: LIVRE
Sala: MULTIPLEX
Programação: SALA 3 19/08 A 25/08
DUBLADO

SEX,SAB,DOM,SEG E QUA 15:15 17:15
TER E QUI 16:00

SALA 4 19/08 A 25/08
DUBLADO 3D

SEX,SAB,DOM,SEG E QUA 15:30 17:30 19:30 21:30
TER E QUI 16:30 19:00 21:00

 

Super 8
Elenco: Elle Fanning, Kyle Chandler, Noah Emmerich, Joel Courtney
Classificação: 12 ANOS
Sala: MULTIPLEX
Programação: SALA 1 19/08 A 25/08
DUBLADO

DIARIAMENTE 15:30

 

 

 
19/08/2011

O possível clássico contemporâneo

Atuação de jovens iniciantes e tecnologia em Super 8 surpreendem o espectador

Em cartaz nos dois cinemas de Ponta Grossa, Super 8 é uma aventura de ficção científica produzida por Steven Spielberg e Jeffrey Jacob Abrams. A história se passa na cidade fictícia de Lilian, Ohio, em 1976. Seis amigos gravam um filme sobre zumbis, em uma câmera Super 8 mm, quando testemunham um acidente entre um trem de carga e uma caminhonete. Após desvendarem que o desastre foi planejado, inicia uma série de acontecimentos estranhos e inexplicáveis. O clima de mistério aumenta quando descobrem que o exército tenta encobrir a verdade.

O elenco não deixa a desejar, principalmente pela atuação dos jovens iniciantes. A interpretação dos atores transmite o sentimento e a química da amizade e companheirismo de infância. Os conflitos entre as famílias de dois jovens que se gostam é a história secundária, o que atribui dramaticidade à película. Os efeitos visuais foram bem dosados, nenhum excesso que não se possa justificar pelo gênero do filme. Destaque para uma das cenas iniciais, o acidente ferroviário, que deixa o espectador vidrado e impressionado com a seqüência. Os toques dos produtores ficam bem evidentes ao longo dos 112 minutos de filme. Spielberg garante a parte emocional do filme, mantendo o clima durante toda a história. J.J Abrams é o responsável, principalmente, pelo suspense e não seria por menos, pois tem no currículo a produção do filme Cloverfield e da série Lost.

Ao ver o trailer de Super 8, é praticamente impossível não fazer uma associação ao filme E.T. – O Extra-terrestre. Logo se pensa em mais uma produção de Spielberg em que crianças e alienígenas criam uma relação que comove o público. Não julgue o filme pelo trailer! Ao final, é simplesmente perceptível que a película tem tudo para se tornar um clássico contemporâneo. É um filme que une a atuação incrível dos atores, e todas as sensações que eles transmitem, à tecnologia, que permite efeitos impressionantes. Vale a pena ficar até o final dos créditos. E, se você é dos anos 1980, se prepare para a nostalgia.

Alana Fonseca

Serviço:

 

Filme: Super 8

Duração: 112 minutos

Classificação: 12 anos

Em cartaz nos cinemas do Shopping Total e do Shopping Palladium

Produção: Steven Spielberg

Direção: Jeffrey Jacob Abrams

Elenco: Elle Fanning, Kyle Chandler, Noah Emmerich, Joel Courtney

 

19/08/2011

Quem canta, emociona, diverte e seus males espanta

Primeiro dia do Festival de Corais das Escolas Municipais de PG emociona o público

Com cerca de 20 minutos de atraso, começou no dia 17 de agosto o II Festival de Corais das Escolas Municipais de Ponta Grossa. O palco do auditório A do Cine Teatro Ópera, no centro da Cidade, recebeu autoridades da educação para uma solenidade de abertura. Após o protocolo, subiram ao palco os oito corais formados por alunos do ensino fundamental das escolas municipais de Ponta Grossa. Alguns vieram de longe, como as escolas Professor Eloy Avrechack e Professora Maria Eulina, do distrito (rural) de Itaiacoca.

Mas nem distância, nem atraso, foram capazes de diminuir a emoção que abraçou a plateia durante as apresentações. O público, composto de familiares e alunos dos outros corais, em muitos momentos cantou junto ou se mostrava emocionado, como quando o coral “Do-ré-mi”, da escola Deodoro Alves Quintiliano, cantou ‘Conquistando o Impossível’, música de superação interpretada pela cantora gospel Jamily.

Outros grupos abusaram da ousadia. O primeiro coral a se apresentar, “Inocentes em canção”, da escola Heitor Ditzel, da vila Dal Col, cantou, além de músicas infantis, a música Ritmo da Chuva, consagrada na voz de Fernanda Takai, Los Hermanos e outros artistas. Além de entrar no palco já cantando, o grupo surpreendeu ao abrir guarda chuvas no palco para ajudar a encenar a canção.

Afinação, organização, tranquilidade. Como cobrar esses elementos de crianças que se expuseram em frente ao público com, em alguns casos, apenas um mês de ensaio. Não se cobra! O festival premia todos os corais com um certificado de participação. A graça está em vozes tão frágeis e infantis tocarem os corações de quem ouve. Ao fim das apresentações, ninguém se preocupava com afinação, nem sentia vergonha. O sentimento é de orgulho e superação, de apesar de dificuldades como distância e pouco tempo de ensaio, estavam lá, crianças, que fizeram o que cantou o coral da escola Eloy Avrechak: “Se se se jogue de cabeça”!

Marrara Tayane

Serviço:

II Festival de Corais das Escolas Municipais de Ponta Grossa

Quando? 17 de agosto de 2011

No Cine Teatro Ópera (auditório A), Centro de PG.

19/08/2011

Horror da perspectiva cômica do teatro

Grupo de teatro apresenta, em Ponta Grossa, a peça ‘Hotel’ com várias singularidades alegóricas

Aliar um enredo que mistura gêneros como o ‘trash’, horror e comédia é um obstáculo a ser pensado desde a concepção da peça até sua execução. Com essa proposta, o grupo de teatro do Colégio Estadual Senador Correia, comandado por um dos novos diretores princesinos, Fernando Meira, apresenta a peça Hotel. O nome do espetáculo remete à franquia ‘Hostel’ (O Albergue, em português) do cineasta Quentin Tarantino.

A história tem como ponto de partida um maníaco que se passa por sua própria mãe para assassinar mulheres e servi-las no jantar. O protagonista, que representa um serial-killer, trabalha de forma simples com os acontecimentos da peça. Já os outros atores encontram dificuldades na encenação, com características visíveis ao público como o sotaque carregado de duas atrizes. Muito dos problemas com encenação se deve ao fato de o grupo ser formado por alunos iniciantes do teatro.

O jogo de luz e a sonoplastia são pontos fortes da peça, levando ao público a sintonia de agonia com um humor sarcástico, muito explorado pelos atores, mas que ficam subentendidos quando o espectador não entende o contexto em que ele foi executado. Apesar das dificuldades, o público, que não chegava a 20 pessoas (na apresentação da semana, que o Crítica de Ponta acompanhou), se entusiasmou com o esforço dos atores durante os quase 40 minutos de peça. Destaca-se, ainda, o cenário fixo que depende, muitas vezes, da improvisação dos atores para não perder o sentido da peça.

Hotel mostra também o esforço do teatro pontagrossense na busca de novas formas de explorar o público da cidade. A proposta é atingir segmentos de audiência ainda pouco explorados. E, partindo da ‘renovação’ do teatro na cidade, Hotel tem ferramentas para tornar-se um dos pioneiros na 5ª arte.

Dhiego Tchmolo

 

Serviço:

 

Peça: Hotel

Grupo de Teatro ‘ Colégio Estadual Senador Correia’

Diretor: ‘Fernando Meira

Duração: 40 minutos

19/08/2011

Cultura para todos

O site Cultura Plural, lançado dia 11 de agosto, pretende disponibilizar ao público uma variedade de temas culturais dos Campos Gerais

O projeto Cultura Plural, em aperfeiçoamento há quase um ano, foi lançado oficialmente no dia 11 de agosto de 2011. O site tem características positivas importantes, como a acessibilidade, reportagens em vídeo e áudio e um linguajar simples, o que possibilita que as notícias sejam apreciadas por uma grande parte da população pontagrossensse.

A variedade também é um ponto positivo a se destacar, visto que em geral os sites regionais são focados em determinados tipos de manifestações culturais. O Cultura Plural parece estar interessado na amplitude e pluralidade dos assuntos e assim sendo o leitor pode se identificar com matérias variadas do site.

A página da internet é nova e, por isso, embora com assuntos variados ali expostos, o conteúdo é escasso. Pode-se ver nas categorias apenas um exemplar de fotografias, entrevista e nota, por exemplo.

O design utilizado na página também não foi muito explorado, as ferramentas são simples e as cores um tanto quanto neutras, na página inicial as informações parecem confusas demais. Talvez, uma ênfase no aspecto da aparência do site chamasse mais a atenção dos leitores.

O projeto parte de uma iniciativa de professores e alunos do curso de Jornalismo da UEPG, e “linka” as atividades aos demais projetos realizados no Curso. Como por exemplo, o próprio Critica de Ponta e o Lente Quente, que já foi objeto de análise no blog. O link favorece o leitor que visa o aprofundamento em alguns assuntos. Assim, se o internauta gostar de fotografias, pode ser encaminhado ao site do Lente Quente e apreciar os trabalhos.

Juliana Zavadzki Maier

 

Serviço:

Confira o site: http://www.culturaplural.com.br

19/08/2011

Notícia fora dos grandes centros

SBT Paraná traz notícias de todo o estado, mas esbanja sensacionalismo e demonstra mais opinião do que necessário

O canal SBT (Sistema Brasileiro de Televisão) completa 30 anos na sexta-feira (19/08). Com isso, o espaço Na Tela da semana analisa o programa SBT Paraná, jornal produzido pela Rede Massa, afiliada do SBT no estado.

O boletim vai ao ar de segunda a sexta, às 19h05, e é caracterizado por um tom sensacionalista de apresentar as notícias, com chamadas fortes e impactantes. Os apresentadores Denian Couto e Joice Hasselmann alternam chamadas e manchetes, além de utilizar o formato de diálogo para dar a notícia. E, assim, os jornalistas estabelecem uma relação mais informal o tratamento “você”, utilizado pelos apresentadores para se dirigir ao telespectador, assim como as canecas com o símbolo da emissora que ficam em cima da mesa.

Um ponto positivo do telejornal é a presença de cidades de todo o estado no noticiário. Os municípios pequenos não são excluídos para que as metrópoles ocupem todo o programa.

O estúdio tem uma decoração moderna e de cores fortes, com ênfase no azul escuro, o que pode dar um ar de confusão. Apesar dos apresentadores passarem grande parte do boletim atrás da bancada, sentados, eles também se levantam e andam pelo estúdio, representando a informalidade que caracteriza o jornal. A entonação ao falar as notícias, principalmente por parte da apresentadora Joice Hasselmann, deixa explícita a opinião dela sobre cada caso.

Os temas apresentado são bastante diversificados, vão da política à economia, além da cobertura policial, que ocupa a maior parte do telejornal. Noticias esportivas, previsão do tempo, cultura e agricultura também são assuntos abordados.

Nayra Gazafi

19/08/2011

Um lugar esquecido

A Praça do bairro Santa Paula, inaugurada em 1985, enfrenta dificuldades com o comércio da região

Um dos espaços menos perceptíveis do bairro Santa Paula, um dos mais populosos dde Ponta Grossa, a Praça Tancredo Neves de Almeida foi inaugurada em 1985 pela Companhia de Habitação do Paraná (COHAPAR). O espaço ilustra como os bairros que alcançam o desenvolvimento perdem algumas de suas raízes. A praça de inauguração do núcleo residencial do Santa Paula é um monumento que está em situação precária pelo crescimento comercial da região, desde 2000.

A praça tem formato de triângulo, com suas ‘pontas’ localizadas nas esquinas das ruas cerejeira, castanheira e pitangueira. Todas em situação bem precária. A praça, além de estar no esquecimento dos usuários da vila da Santa Paula, tornou-se apenas um espaço de deposito de lixo, e acaba por perder a simbologia para uma região de forte crescimento comercial. O local é pequeno para qualquer tipo de atividade comercial. Há uma única loja de serviços (sapataria) que ainda se encontra na praça.

O espaço é pouco arborizado. As travessias, calçadas e beiradas estão deterioradas pela ação do tempo e da má conservação dos usuários da região. A praça foi inaugurada em 07 de agosto de 1985 pelo então Prefeito de Ponta Grossa, Otto S. Cunha.

O centro do local é marcado por um monumento, uma placa retangular em posição vertical onde está escrito em letras de bronze o nome “Conjunto Residencial Santa Paula”. Atualmente, existem espaços na praça para estacionar veículos e um ponto de táxi desativado. O contraste entre as ruas de calçamento e o asfalto, marcado pela Praça Tancredo de Almeida Neves, cria um diálogo entre o desenvolvimento e a tradição no bairro Santa Paula.

Gildo Antonio

Serviço

Local: Praça Tancredo de Almeida Neves

Endereço: Rua Castanheira, s/n. – Bairro Santa Paula, Ponta Grossa/PR

19/08/2011

Quase como redescobrir a América

Professor de geografia conta historicamente a passagem de Cabeza de Vaca pelo continente americano

Se Cabeza de Vaca pudesse ler O Andarilho das Américas, provavelmente ficaria contente com a reconstituição de suas aventuras compiladas num único livro. Primeira obra da Série Casa Paranista, da Editora UEPG, o livro reconta em capítulos quem era o espanhol Cabeza de Vaca e como eram as Américas do Norte e do Sul antes e após sua chegada.

A leitura leve e dinâmica, aliada ao número de páginas nada avantajado e as gravuras explicativas, embarcam o leitor através das páginas. As legiões de nomes e datas que ora se repetem, ora são apenas citados, podem confundir a cabeça dos desavisados. Desnecessários? De forma alguma, já que a função do livro é o resgate historio e geográfico.

Os acidentes geográficos, o encontro com as diversas tribos de índios, são desvendados durante o livro. Segue ainda trechos do livro Comentários onde é citada a passagem do grupo do aventureiro pelo Paraná onde, como o autor bem explica, é notória a tentativa do espanhol de promover-se.

Quando descrevendo o continente sul-americano antes da vinda de Cabeza de Vaca, o autor remete às principais histórias desta região, como a jornada de Aleixo Garcia ao Peru. Já no que diz respeito ao protagonista do livro, o leitor vive a frustração do espanhol por não ser escolhido como governador da Província da Flórida, tendo que descer à América do Sul, na Província de Rio da Prata, para governar os que ali estavam. E foi sem dúvida o melhor capítulo da saga do espanhol nobre amigo dos índios.

André Luiz Moura

Foto: Divulgação

Serviço:

Livro: O Andarilho das Américas: Cabeza de Vaca

Autor: Olavo Soares

Ponta Grossa, 2009

Páginas: 140

Editora: Editora UEPG

Valor: R$20,00 (Livraria UEPG)

19/08/2011

Notícias na manhã do agricultor

Jornal Agropecuário leva informações pertinentes para quem vive no campo

O homem do campo tem companhia certa logo ao nascer do dia nas ondas da Rádio Sant’ana (AM 900), em Ponta Grossa e Região. Às 6h30 da manhã, entra no ar o Jornal Agropecuário, apresentado por Stefano Junior, e controles técnicos de Vilson Carvalho.

O informativo é curto, tem, teoricamente, cerca de 25 minutos, mas na prática não passa de 15. O apresentador, Stefano, usa uma linguagem clara e simples, muito adequada ao horário e público que o programa pretende atingir. Além de lançar mão de um dos mais eficientes artifícios do rádio: a ligação próxima com o ouvinte, que é reforçada por recados e avisos de aniversários, que Stefano lê durante o jornal.

O uso de entrevistas ao vivo ajuda na dinâmica do programa. Quadros como ‘Agricultura Familiar’ e ‘O homem e a terra’, produzidos pela EMATER Paraná, aproximam os assuntos noticiados à vida dos ouvintes. O Jornal Agropecuário traz informações úteis ao agricultor(a) e dados básicos para um programa de rádio que vai ao ar no começo no dia, como previsão do tempo.

Mesmo com o nome de Jornal Agropecuário, o programa traz pouquíssimas informações sobre o meio agropecuário, propriamente dito. No entanto, quando esses dados aparecem, a forma como são apresentados não é maçante e nem rebuscada. Por exemplo, dados da queda na produção agrícola são explicados de maneira didática, fazendo com o que o agricultor(a) entenda como aquilo vai interferir na vida no campo.

 A maior vantagem do programa da Rádio Sant’ana é que ele é o único no horário com esse perfil. O trabalhador rural que acorda cedo e quer obter informações, ou mesmo entretenimento, tem pouquíssimas alternativas – a maioria dos programas de rádio nesse horário só veicula músicas. O ‘Jornal Agropecuário’ alia duas funções fundamentais do rádio: a prestação de serviços e a proximidade com o ouvinte.

Afonso Verner

Foto: Divulgação

Serviço:

Programa: Jornal Agropecuário

Horário: 6h30 às 6h55

Emissora: Rádio Sant’ana AM 900 (a partir de Ponta Grossa/PR)

Apresentador: Stefano Junior