Archive for Setembro, 2010

30/09/2010

Música de qualidade com quem entende do assunto

O Quinteto Latino-Americano de Sopros da Paraíba apresentou-se na última sexta-feira, dia 24, no Auditório B do Cine Teatro Ópera. A apresentação fez parte do Sonora Brasil, um projeto do SESC, que objetiva formar ouvintes musicais.  O público presente, certa de 30 pessoas, entre crianças e adultos, deleitou-se com as composições de Cláudio Santoro e Guerra-Peixe, interpretadas pelos músicos Carlos Rieiro (clarinete), Cisneiro Andrade (trompa), Renan Rezende (flauta), Heleno Feitosa (fagote e saxofone) e João Johnson (oboé).

Além de ótimos músicos, com formação especializada em seus instrumentos e em música em geral, os integrantes do Quinteto Latino-Americano de Sopros da Paraíba demonstraram carisma e contagiaram o público com seu bom-humor.   Entre cada música que era tocada, Cisneiro Andrade explicava ao público um pouco da histórica do dodecafonismo, do qual dois dos principais representantes brasileiros foram Cláudio Santoro e Guerra-Peixe, os homenageados pela atual edição do Projeto Sonora Brasil. Talvez devido a pouca divulgação do projeto e à realização de outro evento em paralelo no Auditório A do Cine Teatro Ópera, houve pouco público para assistir à apresentação. Desse público, grande parte era composto por crianças, o que talvez não fosse o principal público – alvo do projeto, uma vez que certas explicações sobre as músicas eram bastante técnicas e poderiam não ser entendidas por quem não tivesse uma compreensão prévia dos conceitos básicos da música. Mesmo assim, foi uma apresentação proveitosa e o espaço menor, com menos espectadores, proporcionou uma atmosfera mais intimista entre público e músicos.

 

 

Aline Jasper

 

Serviço:

Projeto Sonora Brasil : http://www.sesc.com.br/sonorabrasil/index.html

Quinteto Latino – Americano de Sopros da Paraíba: Carlos Rieiro (clarinete), Cisneiro Andrade (trompa), Renan Rezende (flauta), Heleno Feitosa (fagote e saxofone) e João Johnson (oboé).

Anúncios
29/09/2010

A fé sobe no palco

O grupo ‘Artenhação’, da Paróquia São Pedro Apóstolo, apresentou sábado dia 18 de setembro o espetáculo “Redenção”. A peça faz parte do Festival Ecumênico de Teatro e usa a arte teatral para evangelizar. As cenas reproduzem a criação do Universo segundo a crença dos cristãos e usam o pecado para exaltar a sociedade contemporânea. A trama é pantomima, ou seja, isenta de diálogos.O público era composto por famílias, pessoas de todas as idades, aproximadamente 100 expectadores. Porém, no desenrolar da trama, percebe-se que a peça não devia ser indicada para crianças. Há cenas fortes ao retratar a promiscuidade, a prostituição e, principalmente, a caracterização do inferno.

Por ser uma peça sem falas, a gesticulação, a maquiagem, a música e a expressão facial eram fatores cruciais para uma boa apresentação. Porém, nem todas as músicas cabiam ao momento que estava sendo interpretado. A maquiagem não foi explorada e o diretor não soube dosar partes do espetáculo, pois houve exageros em cenas do inferno e extrema calma, beirando a sonolência, em cenas mais tranqüilas. O que dá um aspecto assustador para o público e prejudica a continuidade do espetáculo. O jogo de luz é harmônico e acompanha cada cena muito bem. A multimídia utilizada falhou várias vezes durante a peça, o que prejudicou um pouco a concentração dos atores.

Janaina Lellis

Serviço:
Festival Ecumênico de teatro “Palco da Fé”
Grupo Artenhação – Paróquia São Pedro Apóstolo
Peça: Redenção – Adaptação de Jhony Skeika
Horário: 20h
Local: Cine-teatro Ópera
Entrada franca

28/09/2010

‘Moda’ Chico Xavier e efeitos especiais marcam ‘Nosso Lar’

Moda, segundo o dicionário Aulete, é “maneira, estilo de vida, vestir-se, comportar-se, etc. predominante numa determinada época ou lugar”. O que se pode dizer do filme brasileiro que vem batendo recorde de bilheteria, ‘Nosso Lar’, é que ele não foge de um modismo do cinema no contexto brasileiro. Seguindo as grandes produções hollywoodianas como Avatar, Fúria de Titãs e Como Treinar seu Dragão, o filme é carregado de efeitos especiais. Cerca de 90% das cenas contam com este recurso. Neste quesito o filme vai bem: o cenário é bem construído, os efeitos chegam perto da perfeição, parecendo produção americana. O que é um avanço para o cinema brasileiro.

Outro ‘modismo’ é o tema: espiritismo está em novelas, livros e cinema. O livro de mesmo nome que originou o filme já vendeu mais de 2 milhões de cópias e foi traduzido para dez línguas. Claro que o filme puxou as vendas e a novela das seis, Escrito nas Estrelas, da Rede Globo reintroduziu o tema no debate público. Basta assistir aos programas de variedade, que passam à tarde na TV aberta brasileira, para ver que a religião está em voga. Por último, Nosso Lar conta com um ‘selo’ de garantia: selo Chico Xavier – e talvez seja este o que mais tem arrebatado espectadores às salas de cinema.

A produção de Wagner Assis atingiu a marca de um milhão de espectadores apenas em cinco dias de exibição. Depois de ‘Chico Xavier’ (2010) este é o segundo filme sobre o médium ou baseado em alguma obra sua. E com méritos: reconhecido mundialmente, as psicografias de Chico ainda são estudadas por especialistas e desde seu surgimento a doutrina espírita passou a ser mais difundida. O tema é atrativo (nada como lidar com religião e pós-morte) e a produção é o que o mundo tem consumido em termos de produção. Para quem não esta na Era Avatar de cinema e pensa no que existe depois do céu, Nosso Lar é um bom começo.

 Leonardo Barretta

Serviço: Titulo original: (Nosso Lar)

 Lançamento: 2010 (Brasil)

Direção: Wagner de Assis

Atores: Renato Prieto , Fernando Alves Pinto , Othon Bastos , Paulo Goulart , Rosanne Mulholland

Duração: 102 min

Gênero: Drama

 Distribuidora: Fox Filmes do Brasil

Efeitos Especiais: Intelligent Creatures

Fotos: Divulgação

27/09/2010

‘Nova Pauta’ com erros na diagramação

Jornal laboratório do curso de Jornalismo das Faculdades Santa Amélia (Secal), o ‘Nova Pauta’, em sua edição 1 do mês de setembro, traz como destaques na capa a manchete e cinco chamadas. Tratando-se de um jornal laboratorial, é natural que existam erros de diagramação e/ou edição. Mas vale destacá-los quando comprometem a identidade do jornal.
Já na capa algumas escolhas da diagramação são equivocadas. O uso de linhas tem a função de separar ou destacar alguns assuntos em relação a outros. No entanto, logo acima do nome do jornal, existe uma linha que nada acrescenta à diagramação. A foto, utilizada no lado superior direito, está sobre a linha e rouba a função que ela poderia exercer.

Outro equívoco presente na capa é em relação às fotos. Além de não possuir crédito (autoria próxima a imagem), as pessoas presentes nas fotos estão “olhando” para fora do jornal. Isso tira a atenção do leitor do centro da capa, que é o espaço de destaque.
A ausência de cuidado em relação às colunas nas páginas internas, que indicam o formato do jornal, também é notável. O Nova Pauta trabalha com quatro colunas por páginas. Mas algumas fotos invadem espaço de colunas e, dessa forma, elas possuem tamanhos variados, não fornecendo um aspecto linear. E as fotos nas páginas internas também não têm crédito. Não fica claro para o leitor se quem as produz são os próprios alunos, que assinam os textos.

O jornal faz uso de uma editoria, Reportagem, em páginas casadas. Vale destacar o sucesso da diagramação ao conseguir uni-las e mostrar ao leitor que tratam do mesmo tema e possuem o mesmo título, o que por vezes, é uma dificuldade. Com o título em fundo colorido e grande, e com uma foto no centro das páginas, a idéia de continuidade é inquestionável.

Samara MachadoServiços:
Nova Pauta – Jornal Laboratório do Curso de Jornalismo das Faculdades Santa Amélia – Secal
Ano 9 – Edição 1 – Setembro de 2010-09-22
Distribuição Gratuita

26/09/2010

O bar dos motoqueiros em Ponta Grossa

Nascido da ideia de dois amigos fãs de rock and roll, que não encontravam em Ponta Grossa um bar que representasse realmente esse estilo de música, o Motor Breath Rock Bar foi fundado em 21 de agosto de 2009. Hoje, segundo um dos sócios, o estabelecimento recebe, em média, 100 pessoas por noite.
O local é ambientado ao melhor estilo roqueiro ponta-grossense. Na parede, em sequencia, as bandeiras do Operário Futebol Clube, a de Ponta Grossa, a do estado do Paraná e do Motörhead, banda de rock pesado. Há também um triciclo cheio de adesivos de diversos moto clubes, com algumas galinhas de borracha amarradas e um crânio de boi, no canto do bar.
O Motor Breath tem uma estrutura limitada para shows, que conta com um pequeno palco, bateria, dois amplificadores e um fraco spot de iluminação, que fica no chão. Quando não há bandas ao vivo, são transmitidas, em duas televisões, DVDs de shows de bandas de rock. No estabelecimento pode-se encontrar qualquer vertente do rock, desde os estilos mais brutais, como black metal, ou bandas mais leves que tocam o rock clássico, como Led Zeppelin.

A movimentação começa só a partir das 22h30, o que é bom para quem gosta de jogar sinuca sem muito tumulto, já que o local é relativamente pequeno para receber tantas pessoas. O bar também serve para encontros do Moto Clube da cidade.
Motor Breath é apenas para fãs de rock, pois quem não está acostumado com o estilo pode se sentir deslocado. Mas para quem gosta de motos e rock o local é uma ótima escolha para se passar a noite falando de bandas e motores.

Marco Antonio Favero
Foto: Marco Antonio Favero
Serviço:
Motor Breath Rock Bar
Rua Barão do Cerro Azul, n° 106
Horário de atendimento: de segunda à sábado a partir das 19h

25/09/2010

Agenda Cultural

25 de Setembro- Sábado

Atividade: Núcleo de Dramaturgia com Paulo Zwolinski
Promoção: Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (SMCT)  em parceria com SESI Paraná
Local: Centro de Cultura Cidade de Ponta Grossa
Horário: 14h
Informações: 3901- 1588 – Alfredo Mourão

Atividade: Projeto Cine-Arte – Exibição do Filme “Bye Bye Brasil”
Direção: Carlos Diegues ( Cacá Diegues)- Brasil-Comédia- 1979- 105min.
Elenco: José Wilker , Betty Faria , Fábio Junior , Zaira Zambelli , Jofre Soares
Sinopse: Salomé (Betty Faria), Lorde Cigano (José Wilker) e Andorinha são três artistas ambulantes que cruzam o país juntamente com a Caravana Rolidei, fazendo espetáculos para o setor mais humilde da população brasileira e que ainda não tem acesso à televisão. A eles se juntam o sanfoneiro Ciço (Fábio Junior) e sua esposa, Dasdô (Zaira Zambelli), com os quais a Caravana cruza a Amazônia até chegar a Brasília.
Promoção: JM NEWS e SMCT
Local: Cine-Teatro Ópera – Auditório B
Horário: 17h
Ingressos: Entrada Franca
Classificação: 18 anos

Atividade : Espetáculo de Dança do Ventre “ Oásis”- Bagdá- Escola de Danças Árabes
Direção: Fadwa Neme
Promoção: Bagdá- Escola de Danças Árabes
Apoio Cultural: Secretaria de Cultura e Turismo
Local: Cine-Teatro Ópera – Auditório A
Horário: 20h
Ingressos antecipados: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia- entrada)
Ingressos no dia e local do espetáculo: R$ 15,00

26 de Setembro- Domingo

Atividade: “ 1° Encontro de fãs de Harry Potter”
1° Encontro do novo Fã Clube Hogwarteam de Harry Potter, com escolha para as casas, debates, troca de experiências, normas de funcionamento para os interessados em participar do fã clube e muita alegria e descontração.
Promoção: Hogwarteam Fã clube
Apoio Cultural: SMCT
Local: Jardins da Mansão Vila Hilda- ( Sede SMCT) – Rua Júlia Wanderley- Centro
Horário: 14h
Ingressos: Entrada Franca
Informações: Lauro 9912 6611

Atividade: Concerto da Orquestra Sinfônica Cidade de Ponta Grossa “ Música Americana”
Regência do Maestro Adailton Pupia. Participação especial do Coro Cidade de Ponta Grossa
Promoção : Secretaria Municipal de Cultura e Turismo/ Conservatório Musical Maestro Paulino Martins Alves
Local: A ser definido ( UEPG ou Vila Velha)
Horário: 18h

Atividade : Espetáculo de Dança “ Poesia do Tango”
Direção: Marcos De La Cruz
Promoção: Grupo Nataraja e Teatro Stúdio Art
Apoio Cultural: Secretaria de Cultura e Turismo
Local: Cine-Teatro Ópera – Auditório A
Horário: 20h
Ingressos antecipados: R$ 10,00
Ingressos no dia e local do espetáculo: R$ 15,00

25 e 26 de Setembro- Sábado e Domingo

Atividade : Feira “ Ponta Grossa Matsuri”
Atividades artístico-culturais, esportivas e gastronômicas como: Rádio Taissô, Show de Taikô, Karaokê, Yosakoi Soran, Odori, Origami, Judô, Tênis de Mesa, Project Anime, Taichichuan, Park Golf, Janquempo, Soroban, Cerimônia do Chá, Tanabata, exposições de fotográfica, de bonsai, de veículos, comidas e produtos típicos, entre outras.
Promoção: Associação Cultural Esportiva Nipo-Brasileira de Ponta Grossa, Prefeitura de Ponta Grossa/ Secretaria de Cultura e Turismo e Ponta Grossa e Convention & Visitors Bureau.
Apoio: Comunidade Nipo-Brasileira e Consulado Geral do Japão em Curitiba.
Local: Estacionamento externo do Shopping Total
Horário: 25/09- 10h 26/09- 10h30
Ingressos: Entrada Franca

30 de setembro

Atividade: Continuidade da exibição de filmes “Horroshow”

Filmes: “Starsky e Hucth” do diretor  Todd Phillips e “Cemitério Maldito” do diretor Mary Lambert

Local: Abismo do Rock Bar

Bonifácio Vilela – 433

Às 21 horas.

Loise Clemente

25/09/2010

Paradoxos em um mesmo blog

Trazer ‘notícias antigas’ em um curso de Jornalismo, que valoriza a imediaticidade, é lamentável. Postar eventos já passados é pior ainda. Foi o que ocorreu com a ‘Agenda Cultural’ desta semana que, embora rica em informações e no conteúdo, apresenta eventos com atrações anteriores ao momento da postagem no blog. Causa no leitor a dúvida do fundamento quanto à importância da agenda.

A editoria ‘Antena’ ganha a atenção dos leitores, já que mostra uma crítica e análise a respeito da rádio comunitária, ressaltando o aspecto positivo do meio, apesar das dificuldades. ‘Livro Aberto’ traz informações de um evento na cidade, não caindo na mesmice de criticar sempre um livro específico.Já a editoria ‘Na Tela’ possui uma crítica fundamentada, mas o leitor pode acreditar que parte de uma crítica pessoal ao apresentador do programa, pois pouco se fala (critica) do referido programa.

Quem ainda não conhece a ‘Casa café e chá’ pode conhecer esta semana, através do Crítica de Ponta. A editoria ‘Outros Giros’, que trazia como tema a lanchonete, apresenta o espaço O autor, preocupado em mostrar ao público a ‘Casa’, esquece da proposta de crítica, essencial ao blog. O site demonstra um grande paradoxo entre os acadêmicos: de um lado há boas críticas e, do outro, apenas descrições.

A editoria ‘Vitrola’, embora descritiva, merece destaque, uma vez que busca uma (certa) originalidade, abordando um estilo nunca antes criticado pelo blog. Já a editoria ‘Entre Linhas’, mais uma vez, não esteve presente na edição. Não é mais surpreendente a ocorrência disso, que se tornou comum aos estudantes de Jornalismo e aos demais leitores a ausência de um ou mais textos em cada edição do Crítica de Ponta. Tal constatação demonstra uma falta de comprometimento de alguns alunos com a disciplina, a perda de credibilidade do blog e a constatação de que nada (ou pouco) está sendo feito para reverter a situação.

Rafaela Mendes

23/09/2010

Não é trabalho, é só Curtição

O gênero musical pagode pode não fazer tanto sucesso entre os acadêmicos quanto o famoso sertanejo universitário, mas também tem seu espaço. No Bar e Restaurante Amarelo, localizado nas redondezas do Campus Uvaranas da UEPG, toda quinta-feira se apresenta o Grupo Curtição que em seu repertório traz músicas do gênero pagode e samba.

Composto por oito integrantes, em sua maioria universitários da própria UEPG, o Curtição vem ganhando espaço não só em Ponta Grossa, mas em toda a região dos Campos Gerais. O que é indiscutível é que o espaço cedido no Bar Amarelo foi essencial para que “alavancasse” o início da carreira de pagodeiro dos rapazes.

O Curtição não apresenta composições próprias. Seu repertório não traz novidades, só clássicos do samba, sambarock e pagode. O grupo tem potencial, mas de fato, só agrada aos amantes desse estilo musical. O potencial de “convencer” quem não gosta de pagode a gostar ou pelo menos a ouvi-lo, o grupo não tem, pelo menos não ainda. Mas, tendo em vista várias apresentações pela cidade de Ponta Grossa, agrada a maioria.

São amadores no sentido amplo da palavra. Tocam simplesmente porque gostam e isso é nítido nos shows pelo entrosamento entre os integrantes que parecem se divertir, acima de tudo. Os membros do grupo que também são universitários estão nos momentos finais de seus cursos e fica a dúvida se, como dezenas de grupos musicais pelo Brasil, vão pendurar o diploma na parede ou seguir a carreira musical.

Raísa Jorge

Serviço:

Grupo Curtição

Integrantes:

Pedrinho: Vocalista

Kassyus: Surdo e percussão

Dani Mayer: Rebolo

Leandro: Repique de mão, tamborim

Renan Pagode: Pandeiro

Vitor Hugo: Banjo

Henrique: Cavaquinho

Rodriguinho: Reco-Reco

Todas as quintas-feiras no Bar e Restaurante Amarelo a partir das 20h

Entrada Franca

Informações para shows e festas: (42) 9111-4692 ou (42) 9107-6057

Foto: Divulgação

22/09/2010

Festival de dança marca setembro em PG

Desde o primeiro dia do mês de setembro, Ponta Grossa prestigia o maior evento de dança da cidade. O ‘Setembro em Dança’, festival que acontece todo ano desde 2004, chega a sua sexta edição neste ano. O primeiro dia, realizado no Cine Teatro Ópera, centro da Cidade, foi marcado com uma apresentação de academias e ministérios de dança de algumas igrejas da cidade, lotando o maior auditório do Teatro.

Um fator especial do festival é que as apresentações não se restringiram a teatros fechados e clássicas de balé. Diversas apresentações ocorreram em lugares alternativos, como escolas municipais e praças públicas da cidade.

O festival abre espaço para tipos de expressão corporal, como balé clássico, hip hop e grupos folclóricos. Além das apresentações, os interessados podem participar de oficinas e apresentar suas produções. O festival busca aproximar o ponta grossense da dança, e as peças ao ar livre ajudaram muito nesta aproximação.

O maior problema do festival ‘Setembro em Dança’ é a falta de divulgação. Um evento que toma o mês inteiro e conta com tantos participantes merecia por parte de seus organizadores uma melhor divulgação. O festival acontece dia 30 de setembro e a programação, com oficinas e horários de apresentações, está disponível no site da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa.

Larissa Silvestre

Serviço:

Setembro em dança

Data: de 1° a 30 de setembro

Local: Teatro Ópera, Praça Barão do Rio Brando, Escolas municipais

Mais informações: http://www.pontagrossa.pr.gov.br

Foto: Marco Antônio Favero

21/09/2010

‘Casa, café e chá’ como opção de lanche no Campus Centro UEPG

As redondezas do Campus Central da Universidade Estadual de Ponta Grossa oferecem diversas opções de restaurantes e lanchonetes para seus frequentadores. Porém, apesar da concorrência, os preços nem sempre são tão acessíveis ao orçamento (limitado) de um universitário. Assim, a lanchonete e restaurante ‘Casa, Café e Chá’ é uma das alternativas para quem quer economizar. Situada na rua Dr. Penteado de Almeida, ao lado do Campus Central da UEPG, o local oferece variados produtos alimentícios. Desde salgados, comuns como pão-de-queijo, até pedaços de tortas frias.

Além dos salgados, o local conta com um cardápio com mais de 10 tipos de lanches e sucos de diferentes sabores. O restaurante também oferece um prato feito que inclui arroz, feijão, um pedaço de carne(frango ou gado), salada e batata frita por R$ 5,00.

Os preços, se comparados com outras lanchonetes como a cantina da UEPG, por exemplo, se mostram acessíveis, tanto nas bebidas quanto nos alimentos. É possível encontrar outros produtos à venda na ‘Casa, Café e Chá’ como alguns enlatados, cigarro e giletes para barbear.

Por se encontrar em uma rua movimentada, o barulho se torna um ponto negativo para a lanchonete. Além disso, o ambiente é relativamente pequeno e é comum encontrá-lo cheio, sem lugar para se assentar. O local abre às 8h e fica aberto até às 22h.

Lucas Waricoda

Serviço:

Local: Casa, Café e Chá – Centro PG ( Ao lado da UEPG )

Rua: Dr. Penteado de Almeida

Horário de atendimento: 8h às 22h