Criatividade como objetivo

Nesta edição do Crítica de Ponta, se percebe o esforço dos autores em inovar. Tanto nos assuntos, como na escrita do texto. O maior desafio da crítica é fugir do texto informativo. E nesse aspecto, a presente edição do blog tem conseguido ficar mais próxima de um bom resultado.

O destaque dessa semana vai para a editoria de turismo. Quem pensaria em um cemitério como opção de passeio na cidade? A inovação no tema poderá gerar opiniões divergentes, mas não se pode tirar o mérito pela criatividade. Além de texto conduzido com simplicidade e clareza. O autor só peca ao citar estilos arquitetônicos sem a explicação de suas características.

Já o texto da editoria Entre Linhas falhou ao não apresentar de forma mais aprofundada as características do “O Portal”.“Irreverência ou estratégia de mercado jornalístico” não explica ao leitor ao longo do texto o sentido do título. Qual é a estratégia de mercado? E ao falar da diagramação inovadora, a autora não detalha ao leitor onde e como jornal se destaca em sua aparência.

Outra crítica conduzida com clareza é a de TV. A crítica analisa todos os aspectos do programa, incluindo produção, exibição e apresentação. Texto que consegue fugir da descrição do produto e realmente se ater a crítica. O que tem faltado nessa editoria é apresentação de programas fora TV a cabo, a qual nem todos tem acesso.

As críticas de literatura, cinema e rádio não conseguiram ainda se desvencilhar totalmente da descrição. Mesmo quando o assunto precisa ser apresentado ao leitor, a descrição deve ocupar o mínimo espaço possível, senão o texto passa a ser mais informativo que crítico. O leitor que já conhece o produto não será atraído para a leitura sobre algo que já conhece.

A crítica ‘Nunca é tarde’ ainda merece destaque ao apresentar algumas características da vida da autora e uma curiosidade sobre a capa do livro.O texto sobre o curso de teatro faz apontamentos pertinentes à esse produto. É feito a analise do valor e oferta do curso, que apesar de livre, têm dificultado o acesso dos participantes, mostrando ao leitor um outro ângulo a ser analisado sobre o curso.

É importante destacar que o Crítica de Ponta tem melhorado visivelmente na qualidade dos textos, na criatividade dos assuntos e na proximidade, do que pode ser considerado, uma crítica ideal. A cada edição o desafio de criticar ao invés de simplesmente informar têm se tornado mais possível, mesmo que ainda não alcançado na totalidade.

Mariana Galvão

One Comment to “Criatividade como objetivo”

  1. Ah, i see. Well th’ats not too tricky at all!”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: